Início » Negócios » Investidor pede que Intel reaja a concorrentes como Apple e AMD

Investidor pede que Intel reaja a concorrentes como Apple e AMD

Após queda em ações, Third Point sugere que Intel considere desmembrar suas operações para terceirizar a produção de chips

Ana MarquesPor

As coisas não andam fáceis para a Intel. Após apresentar queda em torno de 20% em ações neste ano, a empresa sofre pressão do investidor Daniel Loeb, CEO da Third Point, para considerar alternativas que possam melhorar o cenário de seus negócios em resposta a ameaças de empresas como Apple e AMD, o que pode envolver a terceirização da sua fabricação de chips.

Escritório da Intel

Escritório da Intel (Imagem: Divulgação/Intel)

De acordo com analistas, a divisão de operações pode ser arriscada e até causar uma piora no cenário da Intel – a menos que a empresa recorra ao método de empreendedorismo conjunto.

O mercado está cheio de outros rivais poderosos que terceirizam a fabricação de chips. Enquanto isso, a Intel perde a disputa e vai ficando para trás em termos de velocidade e eficiência energética.

Este ano, a Apple começou a vender os primeiros Macs com chips M1, que a médio prazo devem substituir por completo os componentes da Intel. Há previsões de que em breve Amazon e Microsoft passem a adotar chips fabricados em empresas do Leste Asiático.

Fontes disseram à Reuters que a Third Point tem uma participação de US$ 1 bilhão na Intel, e que exige que a empresa faça um balanço imediato de suas operações. A sugestão seria contratar um consultor de investimentos para avaliar se a Intel deve continuar atuando como uma fabricante de dispositivos integrados. As preocupações do investidor se estendem ainda ao setor de inteligência artificial – segmento no qual a empresa estaria “ausente”.

Analistas alertam para complicações na divisão de operações

para o analista Stacy Rasgon, da Bernstein, a divisão pode não resolver o problema, já que no início da companhia separada manteria uma dependência da Intel até se consolidar no mercado e conquistar clientes novos – o que poderia levar mais de dois anos para acontecer.

Outra opção seria vender as fábricas da Intel para a TSMC ou para a Samsung, mas como suas bases são no exterior, o processo poderia encontrar dificuldades para ser aprovado por órgãos reguladores.

Em declaração, a Intel agradeceu as contribuições dos investidores e disse que espera um envolvimento com a Third Point para levar as ideias à frente. Não está claro, porém, qual será, de fato, a avaliação de especialistas sobre o cenário, e nem se a empresa estará realmente disposta a acatá-la.

Com informações: Reuters e MacRumors

Comentários da Comunidade

Participe da discussão
5 usuários participando

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

Breno (@bbcbreno)

N consigo ver muito futuro pra Intel. Com o avançado do ARM a Intel até tentou algo fajuto, mas desistiu logo de cara e ficou por isso mesmo.

Intel ainda irá durar muito tempo, mas diria que ela só tende a cair daqui pra frente se ela n reagir (e olha q tem mais de 1 década que o ARM começou a ganhar força, Intel ainda tem tempo).

Felipe Silva (@Felipe_Silva)

Sugaram todo o lucro e não investiram o suficiente em pesquisa, agora estão colhendo os resultados, todo empresa precisa se manter investindo em renovação ou perde mercado.

Juliano Machado Olivetti (@Juliano_Machado_Oliv)

Vai precisar buscar a vendas das fábricas, e em último caso, talvez até uma desastivação das mesmas de forma gradual. Buscar uma “solução” para as fábricas (continuando com elas) só vai sangrar o que resta de capacidade financeira da empresa, além da evolução de litografia. O grande problema a dessa estratégia?? Nesse momento TSSMC e Global F não têm capacidade de absorver de forma relevante a fabricação de Chips Intel…Essa decisão deveria ter sido tomada há pelo menos 2 anos atrás…

Douglas Knevitz (@Douglas_Knevitz)

Acho que estavam se referindo a abrir as fábricas para terceiros, e a intel passar a desempenhar o papel de uma TSMC.

Cada vez que se avança na litografia, é preciso adaptar as fábricas aos novos maquinários. Que são extremamente complexos (de produção limitada), levam meses para serem montados e estarem operantes.

A exemplo da TSMC, já em fevereiro começam a migrar suas linhas de produção para os novos SoCs da Apple, enquanto a outra parte fica responsável das gerações anteriores. Pra ter uma noção, a Apple já reservou a capacidade inicial toda da TSMC, em litografia de 3nm.

Se a intel quiser entrar nesse ramo, vai precisar evoluir muito, porque no próprio ela já está defasada, imagina alcançar quem já está na liderança de outra arquitetura.

O erro foi lá no passado, quando abandonaram a divisão de processadores mobile. Se tivessem feito a virada para ARM naquela época, hoje teriam condições de converter essa divisão para o mercado de PC.

Juliano Machado Olivetti (@Juliano_Machado_Oliv)

O grande problema para migrar suas fábricas para terceiros também (em litografia atualizada) é capital, Tanto TSMC quanto GlobalFoundries são empresas bem capitalizadas, com acesso a Bilhões e evolução constante, coisa que a Intel no momento não detêm. Além da questão que você apontou, começar uma conversão agora, mesmo que com capital garantido, levaria pelo menos 4 anos entre início do projeto, testes e viabilidade dos primeiros lotes comerciais.
Eu pelo menos vejo que a Intel e AMD não focam e nunca focaram em ARM por não ver futuro (para elas) na arquitetura, afinal é questão de pouco tempo os grandes integradores deterem projetos próprios de ARM, terceirizando a produção. Microsoft, Google, Amazon, Apple, Samsung…todas em menor ou maior grau já tem ou iniciaram projetos próprios, que num futuro próximo vão deixar a própria Qualcomm numa situação tão delicada com a da Intel. Eu pelo menos não vejo futuro para a Intel, pelo menos com a atual direção da empresa, justamente por não ter se adiantado a todos esses problemas apontados, vem perdendo mercado de forma avassaladora no X86 para a AMD.