Início » Celular » Novo leitor de digitais ultrassônico da Qualcomm é maior e melhor

Novo leitor de digitais ultrassônico da Qualcomm é maior e melhor

Nova versão do sensor de digitais foi anunciada na CES 2021 e pode estar presente na linha Galaxy S21, da Samsung

Ana MarquesPor

A Qualcomm aproveitou a CES 2021 para anunciar seu novo leitor de impressão digital ultrassônico. O 3D Sonic Sensor Gen 2 promete desbloqueio mais rápido do que a versão anterior, e se espalha por uma área maior da tela.

Samsung Galaxy S10+ biometria

Leitor de digitais ultrassônico sob a tela no Galaxy S10 Plus (Imagem: Paulo Higa/Tecnoblog)

Um sensor maior para evitar erros de leitura

Se para algumas pessoas o posicionamento do dedo exatamente na área de leitura dos sensores sob o display era algo ligeiramente incômodo, e que ocasionava erros ao desbloquear o aparelho, a Qualcomm pretende evitar o problema com um modelo que mede 8 mm x 8 mm – um aumento de 77% contra a geração anterior.

Na prática, um sensor maior também permite coletar mais dados durante a varredura, e essa característica em conjunto com um processamento mais rápido promete aumentar em até 50% a velocidade da verificação biométrica.

Qualcomm 3D Sonic Sensor Gen 2

Qualcomm 3D Sonic Sensor Gen 2 (Imagem: Reprodução/Qualcomm)

Apesar dos ganhos em velocidade, o 3D Sonic Sensor Gen 2 ainda não supera o tamanho do 3D Sonic Max, maior sensor fabricado pela Qualcomm, que mede 20 mm x 30 mm. A tecnologia foi apresentada em 2019, mas ainda não está presente em nenhum modelo comercial.

Disponibilidade do 3D Sonic Sensor Gen 2

A Qualcomm não revelou qual será o primeiro smartphone a trazer sua nova tecnologia para desbloqueio de tela e autenticação, mas afirmou que o 3D Sonic Sensor Gen 2 estará disponível em modelos no início de 2021”.

Como a Samsung emprega os sensores ultrassônicos da Qualcomm desde a linha Galaxy S10, é bastante provável que o Galaxy S21, que será lançado em 14 de janeiro, já traga a nova versão do leitor de digitais.

Com informações: XDA Developers e The Verge

Comentários da Comunidade

Participe da discussão
9 usuários participando

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

Bruno Who? (@brunossn)

Porque até hoje os Androids não tem uma “Face ID”?

Douglas Knevitz (@Douglas_Knevitz)

Eles tinham, porém a Google desistiu do próprio reconhecimento facial via RADAR. Quem sabe em uma próxima tentativa.

A Huawei se não me engano também tem o seu, mas não é a mesma tecnologia do Face ID, é mais simplificado. E os demais tem só autenticação 2D, que não serve pra absolutamente nada.

A Samsung tinha um leitor de iris, mas não era nada prático e com a incursão de remover bordas, deixaram só a câmera de selfie e focaram na biometria por digitais.

A intel tem a solução dela também, mas se vai vingar só o tempo pra confirmar.

Bruno Who? (@brunossn)

Obrigado pela resposta!

Que doido isso. Faz uns três anos que a Apple lançou o Face ID, e pode ser um diferencial pra muitas pessoas. Eu queria entender se os fabricantes de Android não fazem questão de ter reconhecimento facial, ou se estão três anos atrasados.

² (@centauro)

Eu acho que o problema seja o hardware necessário.
O iPhone tem um sensor específico pra isso na parte da frente, por isso (e pelos outros sensores, não lembro quais) ainda tem aquele notch um u.
Os Androids desencanaram completamente disso e deixaram só a câmera comum mesmo, que não tem, até onde eu saiba, a capacidade de fazer um reconhecimento facial no mesmo nível de segurança do FaceID.

Igor Lana de Melo (@igor_meloil)

Defina nada prático
Eu usei bastante e não diferia em nada de usar o face ID

Reconhecimento facial tem, só não tridimensional como o face ID. E com cada vez menos bordas nas telas, duvido muito que seja um recurso q busquem implementar

Gigo CAP (@GigoCAP)

Olha, eu usava o leitor de iris no S8. Apesar de MUITO rápido e por vezes funcionar até de óculos, tentar usar num ambiente aberto com muito sol, era tenebroso.

Sobretudo, eu não gosto da solução do Face ID. Assim como o leitor de íris, acho que ela é ótima como complemento, mas não como ‘única’ e principal.

Igor Lana de Melo (@igor_meloil)

É o q mais me assustava nesse sensor, eu jamais imaginaria q ele seria tão rápido até ver ele em uso.

Realmente, era bem mais difícil.

Com certeza, eu mesmo usava como solução secundária quando a mão estava suja/molhada ou o sensor de digital teimava em não funcionar no meu note 9, jamais seria o principal pra mim.

Gigo CAP (@GigoCAP)

Acredito que nunca foi o foco. Acho que a implementação do Face ID pela Apple foi pra encaixar e buscar uma viabilidade de diminuir as bordas dos aparelhos que as concorrentes já estavam fazendo e, manter o design frontal do 1 até o 8 seria deixar a Apple defasada. O Touch ID inviabilizaria isso. Opções como jogar para a traseira e ou ao botão lateral, seria dar um passo pra trás na visão do marketing da empresa. Então lançou o Face ID.

E acho que uma margem muito pequena de usuários de Android abriria mão dos sensores de impressão digital - independente onde fiquem - para abrigar uma tecnologia como o Face ID.

² (@centauro)

Enquanto isso eu continuo usando só um PIN grande mesmo e boa.

@Banana_Phone

Eu nunca gostei da ideia de usar Face ID. Em época de pandemia seria péssimo ter que ficar digitando senha por ele não conseguir desbloquear com máscara.
No meu Note 9 eu usava o leitor de íris com certa frequência, as vezes eu ia levar o dedo no leitor de digitais e ele já desbloqueava pela íris.
E tbm usava o de íris quando meu dedo estava sujo, molhado ou enrugado por estar muito tempo na piscina.
Agora tenho um S20+ e gosto muito do leitor ultrassonico, único problema é a área de leitura que é bem pequena, mas ele é muito rápido e preciso.

Felipe Silva (@Felipe_Silva)

Pra mim a melhor solução de desbloqueio do celular é a digital, sensor não muito complexo, fácil de usar, falha pouco (pelo menos comigo), adorei a evolução do sensor ultrassônico, finalmente me parece que está realmente pronto pro mercado, espero ver no meu próximo celular intermediário premium lá pro inicio de 2022.

Bruno Who? (@brunossn)

Mas o reconhecimento do Android é seguro como o do iPhone?

Sei lá, vi os fabricantes de Android colocando notche mas não colocando o Face ID, achei bem estranho.

Gigo CAP (@GigoCAP)

O antigo leitor de íris, sim. Já que a Iris é uma impressão digital. Os reconhecimentos 2D, não.

Os notches dos Androids eram uma medida muito mais estética do que funcional, pra copiar o design da Apple. Mas como dito anteriormente, esses mesmos aparelhos dispunhan dos sensores de impressão digital, que são tão seguros quanto o Face ID.