Início » Celular » Apple prepara iPhone dobrável e Touch ID sob a tela

Apple prepara iPhone dobrável e Touch ID sob a tela

Apesar dos testes com telas flexíveis, lançamento do primeiro iPhone dobrável pode demorar – se é que vai acontecer

Ana MarquesPor

O primeiro iPhone dobrável está no horizonte de possibilidades da Apple, mas ainda deve demorar para chegar, de acordo com informações recentes obtidas pela Bloomberg. Um novo relatório indica que a empresa está trabalhando em um modelo de smartphone com tela flexível, o que corrobora com rumores que circularam na mídia no último ano. A previsão de lançamento, porém, ainda é desconhecida.

Conceito de iPhone dobrável (Imagem: Reprodução/ConceptsiPhone)

Conceito de iPhone dobrável (Imagem: Reprodução/ConceptsiPhone)

Segundo o documento, os engenheiros da Apple estão testando protótipos de telas dobráveis há um tempo. Não se sabe ao certo qual tipo de dobra o produto seria capaz de fazer, mas uma das opções envolveria um dispositivo com tela de 6,7 polegadas quando aberto – o mesmo tamanho do display do iPhone 12 Pro Max.

Além disso, o aparelho teria dobradiças praticamente invisíveis. O modelo, se lançado, poderia concorrer com o Galaxy Z Flip, da Samsung. Mas as coisas não estão muito avançadas, de acordo com uma fonte citada pela Bloomberg.

O informante – alguém “familiarizado com o assunto”, que pediu para não ser identificado – afirmou ao veículo que os testes estão sendo feitos em um dispositivo dobrável que ainda não é totalmente funcional, eliminando expectativas de lançamento em um futuro próximo, como em setembro deste ano, por exemplo.

Apple deve apresentar poucas novidades em 2021

Enquanto a marca se prepara para a próxima mudança radical de design, devemos nos contentar com poucas novidades para 2021.

Um dos motivos para o “atraso” da Apple é a pandemia da COVID-19. Em 2020, a empresa adiou o anúncio de sua nova linha de smartphones e deixou de apresentar o AirTags – o que permitiu que a Samsung saísse na frente com a sua versão da tecnologia, chamada de “Galaxy Smart Tag”.

As previsões são de que a Apple lance o sucessor do iPhone 12 praticamente sem alterações em design, mas com uma função bastante esperada: o Touch ID sob a tela. O recurso seria uma alternativa biométrica ao Face ID, algo útil para o uso fora de casa, quando as máscaras de proteção se fazem necessárias e o reconhecimento facial vira um inconveniente.

Se os rumores estiverem corretos, a próxima geração de iPhones deve ser uma espécie de versão “S” da última safra. A Apple não comentou o assunto.

Com informações: Bloomberg

Comentários da Comunidade

Participe da discussão
10 usuários participando

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

² (@centauro)

Só eles fazerem uma parceria com a NEC e boa.

Acurácia de 99% com máscara parece bem acurado.
Pesadelo pra quem se importa com privacidade, sonho pra quem quer praticidade.

Douglas Knevitz (@Douglas_Knevitz)

Acho que eles já tem uma solução própria, que poderia servir de proteção extra, usando detecção de veias faciais. E também tem outras patentes de modelos de machine learning, para segmentar partes do rosto, que estejam oclusas.

brad (@brad)

Mais uma “novidade” da Apple.
E os fanboys vão fazer malabarismos para dizer que a Apple é pioneira o que o dela será melhor.

brad (@brad)

Patente é o que ela mais tem.

Matheus Motta (@Matheus_Motta)

O pior nem é isso, mas sim a p**** dos leigos achando que ela inventou isso. Às vezes sinto pena dos engenheiros das outras marcas, fazem um trabalho f*** e não recebem reconhecimento nenhum

Schio ☭ (@Sckillfer)

Espero que a Apple (pelo menos nisso) não decepcione e coloque o TouchID no botão de força!

Fabio Neves (@Fabio_Neves)

Face ID é legal, mas desbloquear por biometria me faz uma falta…

Rafael Salgado (@rafasalgado)

Cara, acho que a maior questão é que, por um tempo, a Apple não era a que criava, mas era a que fazia bem feito. Acho que esse pensamento é herança dessa época

Zanac_Compile (@Zanac_Compile)

Exatamente, igual o relógio !!!
A Sony já tinha a anos, o Pebble já vendia muito, Samsung já tinha com câmera embutida, fez história, criou uma tendência no mercado, hoje todos os relógios vem com câmera integrada, faz todo sentido.

Daí a Apple vem com o Apple Watch, uma imitação barata. E os fanboys compram aos milhares, um produto ruim, imitação. Apple só cópia, ruim e cara. Mas a lavagem cerebral que fazem é exclusivamente o motivo do sucesso.

O iPhone foi assim, tudo tecnologia já existente a anos. Ridículo fazer o sucesso que fez. O Android com teclado semelhante ao Black Berry que deveria ter dominado. Mais uma vez culpa dos fanboys.

Apple, um câncer. Graças a nós, hater boys, abrimos os olhos do povo.

Zanac_Compile (@Zanac_Compile)

O tablet, já existia a uma década, um da HP com Win XP e interface sem modificações com comportamento de mouse no uso do touch.

O iPhone era simplesmente um BlackBerry, sem teclado, com touch (já inventado nos 80) e com loja de apps já inventado no Apt do Linux.

O Apple Watch nem tem palavras. Já existia toda uma indústria de relógios, com câmera embutida, até rodando emuladores e DOOM.

O IPOD veio onde já exista MP3 player pra todo lado, era só espetar no PC e entupir de MP3 ilegal do Napster e do Kazzaa. Muito melhor.

O Macintosh usa uma interface criada e redondinha pronta pra uso roubada da Xerox.

O Apple II é uma cópia do Altair. Ele que tem todo o mérito.

O mercado é muito injusto. Tem que valorizar a Microsoft que chegou atrasado no PC e comprou o DOS pronto e fez um negócio matador com a IBM, depois fez um acordo legal com a Apple, levou vários Macs pra casa e surgiu o Windows. Depois perdeu o bonde da Internet, foi lá, comprou o Mosaic da Spyglass e nasceu o IE, embutiu nativo no Windows, matou o Netscape inovador e percursor. E a navegação na internet por quase uma década foi dominada pela MS para nossa sorte.

Douglas Knevitz (@Douglas_Knevitz)

Mas é isso que a Apple faz, entra em mercados já estabelecidos. Ela deixa uma galera dominar, fazer a curadoria do que da certo e é lucrativo, para depois apresentar um produto baseado nesses aprendizados.

Zanac_Compile (@Zanac_Compile)

Meus comentários foram debochados. A Apple sem sobra de dúvida é a empresa mais inovadora e revolucionária a 4 décadas. Que outras empresas inovaram tanto com resultado direto no usuário final. A Sony com o walkman ? Um produto em 50 anos.

Douglas Knevitz (@Douglas_Knevitz)

Nah, conservadora mesmo.

Mas acontece que nós como geeks queremos inovação atrás de inovação, porém as vezes um produto inovador é só isso, inovador, não é prático, não melhora a vida das pessoas, mas é diferentão.

O mérito da Apple está em pegar tudo que já foi feito e repensar a estética, funcionalidade, e utilidade. E não é à toa que vende muito. Os produtos são bons, mas não são nada alienígena.

O M1 só é tudo isso, porque ela levou 10 anos pra aprender como fazer, e não errar no momento crítico. Mas já existiam SoCs ARM da Qualcomm, e a Microsoft já vinha tentando. Mas falhou miseravelmente, e talvez nunca consiga migrar em escala global por ser tão grande.

Eu (@Keaton)

iPhone dobravel? O iPhone 6 e 6 XL já não eram dobraveis? hahaha