Início » Brasil » Plano de incluir rádio FM em celulares recebe apoio de emissoras

Plano de incluir rádio FM em celulares recebe apoio de emissoras

Associações de emissoras de rádio e televisão dão "irrestrito apoio" à proposta de incluir rádio FM em todo celular fabricado no Brasil

Felipe VenturaPor

As associações de emissoras de rádio e televisão declararam “irrestrito apoio” à proposta de incluir rádio FM em todo celular fabricado no Brasil. Fábio Faria, ministro das Comunicações, está encaminhando o assunto dentro do governo; o plano recebeu sinal verde do presidente Jair Bolsonaro.

Celular da Samsung com fone de ouvido (Imagem: Photo Mix/Pixabay)

Celular da Samsung com fone de ouvido (Imagem: Photo Mix/Pixabay)

“A recepção livre, aberta e gratuita dos sinais do rádio FM nos aparelhos celulares é uma medida que beneficia a sociedade, garantindo o acesso à informação, especialmente em casos de utilidade pública, além de importante fonte de cultura e lazer”, diz a nota.

As associações dizem que a obrigatoriedade de rádio FM em celulares é “urgente” e que isso vai equiparar o Brasil a “outros países de vanguarda”, sem mencionar quais.

O Chile aprovou em 2020 uma lei que obriga celulares vendidos no país a terem rádio integrado e ativo. Inicialmente, haverá uma exceção para modelos sem esse recurso, como o iPhone e Galaxy S; nesses casos, a operadora deverá facilitar a troca por um smartphone que sintonize as emissoras FM, caso isso seja solicitado pelo cliente.

Emissoras defendem rádio FM no celular

No Brasil, a Frente Parlamentar em Defesa da Radiodifusão atua na Câmara dos Deputados em pautas envolvendo rádio e TV. Uma das principais matérias é o Projeto de Lei 8.438/2017, do radialista e ex-deputado federal Sandro Alex (PSD/PR), que quer tornar obrigatória a presença de rádio FM em celulares fabricados no país. Sua tramitação está parada desde 2019.

A proposta é defendida pela Abratel (Associação Brasileira de Rádio e Televisão), Abert (Associação Brasileira de Emissoras de Rádio e Televisão) e pelas associações de radiodifusão destes Estados:

Alagoas, Amazonas, Bahia, Ceará, Distrito Federal, Espírito Santo, Goiás, Maranhão, Mato Grosso do Sul, Minas Gerais, Pará, Paraíba, Paraná, Pernambuco, Rio de Janeiro, Rio Grande do Norte, Rio Grande do Sul, Santa Catarina, São Paulo, Sergipe e Tocantins

A Abert também vem fazendo a campanha “Smart é ter rádio FM no celular”, para estimular a compra e o uso de celulares compatíveis. A associação criou uma página com modelos que têm (ou não) esse recurso, de marcas como Xiaomi, Samsung, Motorola, LG, Asus e Apple.

As fabricantes se opõem à obrigatoriedade de rádio FM em celulares. A Abinee (Associação Brasileira da Indústria Elétrica e Eletrônica) já havia se manifestado, dizendo que isso seria “uma interferência na estratégia das empresas, seus portfólios e na sua liberdade criativa”. Além disso, cerca de 80 e 90% dos smartphones vendidos no Brasil já trazem esse recurso.

Comentários da Comunidade

Participe da discussão
13 usuários participando

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

Everton Favretto (@evefavretto)

Enquanto isso, na Europa, os carros tem que ter DAB+, rádio digital, que opera numa banda separada do FM, tem cobertura pior e muitas vezes bitrates baixíssimos com áudio pior que o FM analógico. Na França, todos os RÁDIOS tem que ter DAB+. DAB+ é bem mais caro e complicado de implementar que FM analógico. https://industryeurope.com/digital-radios-in-cars-compulsory-under-eu-mandate/

² (@centauro)

“Indústria que se beneficia de uma política apoia essa política.”
“Indústria que é prejudicada por uma política condena essa política.”

Uau! Quem diria!

Anderson Antonio Santos Costa (@Anderson_Antonio_San)

A verdade é que o rádio digital nunca prosperou em grande parte dos países. O DAB tem sido mais criticado por ser um rádio digital pior que o FM analógico e o HD Rádio, que é uma plataforma de rádio digital concorrente ao DAB.
Na verdade, os projetos de rádio digital são superados pelo streaming de rádio, que tem uma qualidade de áudio melhor.
Acho que o IP Radio praticamente acabou com o rádio digital no Brasil, colocando o projeto no arquivo.

Geraldo Lopes (@geralldoloppes)

Como é mesmo? “…haverá uma exceção para modelos sem esse recurso, como o iPhone e Galaxy S…”. Por quê essa distinção? Marcas vip não tem que aturar FM com 99% de programação inútil e sem graça? Igual TV paga que não tem horário eleitoral enquanto TV aberta sofre essa tortura de dois em dois anos? Igual as pickups de luxo que rodam no diesel enquanto povão tem que pagar absurdo na gasolina e álcool? Que país m* que o povo aceita tudo…

@doorspaulo

Plano de incluir A em B recebe apoio de fabricantes de A.

Nossa, que surpresa.

Juliano Machado Olivetti (@Juliano_Machado_Oliv)

Uma burrice sem tamanho!! As rádios FM vem perdendo relevância por outros motivos que não o acesso a meios de reprodução. Isso inclusive pode levar (se aprovado) a vários fabricantes a não compatibilizar seus projetos globais para se enquadrar em exigência brasileira. Mais uma vez, se levado a cabo, é uma medida de setorial que trará prejuízos aos consumidores.

Carlos Alberto Rocca (@carlosrocca)

E como fica a recepção nos celulares mais novos que não tem entrada para fone de ouvido?
Todos os celulares com rádio que eu já tive pedem para conectar um fone de ouvido com fio, pois ele funciona como antena.
Aí além do sintonizador FM, o telefone vai precisar de uma antena interna só para esse recurso? Ou vai pedir que conecte um cabo USB-C/Lightning na entrada de energia só para usar como antena?

Caio Henrique Galli dos Santos (@chgsantos)

Esses modelos não serão fabricados aqui, serão importados…

Douglas Knevitz (@Douglas_Knevitz)

Estou vendo o dia que nenhum modelo mais será fabricado aqui. Definitivamente nós não somos um polo tecnológico. Nem para montar coisa que já existe a gente tem infra e mão de obra, fora logística de transporte, que precária é apelido carinhoso.

A Samsung tem mais de 50% do mercado brasileiro, somos relevantes para eles. Porém não vejo as demais se esforçando muito mais, não é financeiramente viável.

E isso é para tudo, logo que a indústria automotiva tradicional, transacionar para elétrico/autônomo, o Brasil será o último lugar que pensarão em montar algo. Hoje já não temos essa tecnologia, algo que tende a agravar mais com o passar dos anos.

Esse exemplo do estado interferindo diretamente no hardware do aparelho, só demostra que não passamos segurança alguma. Realme que se cuide, caso contrário não vai durar 2 anos.

Já não basta o sistema tributário sufocar a inovação, agora querem ditar os componentes do aparelho. Tanta coisa mais importante para estarem investindo capital político, como o impasse do 5G. Isso sim impacta a vida das pessoas.

Fabio Alvez (@AlvezFabio)

Bom, pra quem tem iphone o importante é o status e pra se exibir no Instagram.
Essa gama tem Spotfy, Deezer…
Quero ver alguém conseguir escutar rádio FM com phone bluetooth

Caio Henrique Galli dos Santos (@chgsantos)

Mais ou menos. Várias fabricantes montam no Brasil, inclusive a Apple. Desse jeito o que tende a acontecer é que os celulares entrada e intermediários que já têm FM vão continuar no mesmo preço, e os flagships vão ficar mais caros pois não serão mais montados por aqui. No fim das contas esse tipo de regulação só atrapalha a população local.

Meu celular tem FM, mas para mim é mais prático usar um aplicativo de rádio na internet (TuneIn Radio, Simple Radio, Youtube) porque para a FM funcionar tem que usar fone de fio, e eu prefiro usar meu fone bluetooth.

Caio Henrique Galli dos Santos (@chgsantos)

Dá para escutar com fone bluetooth, basta você plugar um fone de fio para a antena funcionar e escutar pelo fone bluetooth.

Douglas Knevitz (@Douglas_Knevitz)

Sim, mas não todos os modelos e não em tempo de lançamento. Para começar a ser fabricado local, leva de 6 a 8 meses após o lançamento. Porém o modelo brasileiro teria que ter todo um redesign de antenas para comportar o FM, levando a um projeto apenas para o Brasil. Entretanto, não somos um país viável pra Apple.

O que ela pode fazer é não fabricar mais nada aqui e manter o projeto original. Vergonha de cobrar caro ela não tem.

Caio Henrique Galli dos Santos (@chgsantos)

Comentei isso ali em cima… também acho que não vão mudar o projeto para montar aqui, vai só tirar a produção daqui e importar de outro lugar.