Início » Finanças » Mercado Bitcoin vai investir R$ 200 mi para chegar a mais países

Mercado Bitcoin vai investir R$ 200 mi para chegar a mais países

Mercado Bitcoin, maior exchange de criptomoedas do Brasil, recebeu novos aportes e anunciou planos de expansão internacional

Bruno IgnacioPor

A Mercado Bitcoin, maior corretora de criptomoedas do Brasil, recebeu novos aportes de seis empresas visando acelerar sua internacionalização. Com isso, a exchange anunciou que investirá R$ 200 milhões no projeto ao longo de 2021. De acordo com nota enviada à imprensa, os fundos e empresas GP Investimentos, Parallax Ventures, Évora, HS Investimentos, Banco Plural e Gear Ventures participaram do investimento.

Bitcoin (imagem: Jorge Franganillo/Flickr)

Bitcoin (imagem: Jorge Franganillo/Flickr)

“Queremos desenvolver o ecossistema cripto no Brasil e criar um mercado tão desenvolvido quanto o dos Estados Unidos. Para isso, queremos ser uma das cinco maiores bolsas digitais do mundo”, afirmou Reinaldo Rabelo, CEO do Mercado Bitcoin.

Mercado Bitcoin busca novos mercados

No Brasil, a Mercado Bitcoin é de longe a maior exchange de criptoativos, tanto em volume transacionado quanto em número de usuários. Ela foi fundada em 2013 pelos irmãos Gustavo e Maurício Chamati, se tornando também uma das mais antigas bolsas de criptomoedas da América Latina. Atualmente, a Mercado Bitcoin atende clientes internacionais a partir do Brasil, mas não está institucionalmente presente no exterior.

Atuando quase que exclusivamente no mercado nacional, o novo aporte de investimentos levará a Mercado Bitcoin para outros países da América Latina. Reinaldo Rabelo explica os próximos destinos da exchange: “Agora, vamos olhar também para os demais mercados, como Chile, México e Argentina, que têm uma cultura regulatória mais próxima da nossa. Nosso propósito de longo prazo é participar da construção de uma nova infraestrutura para o mercado financeiro (FMI), baseada em blockchain, smartcontracts e criptoativos”.

A quantidade de clientes da exchange chegou aos 2,2 milhões nos últimos 2 anos. Em 2020, foram negociados R$ 6,4 bilhões na plataforma, que já conta com mais de 200 funcionários. Já neste ano, a corretora movimentou o equivalente a 50% de todo o volume do ano passado diante das altas históricas do bitcoin (BTC) e do ether (ETH).

Argentina Ripio oferece concorrência

A expansão da Mercado Bitcoin acontece logo após a argentina Ripio comprar a brasileira Bitcoin Trade e ampliar seus serviços no Brasil. A startup conta hoje com mais 1,3 milhão de usuários e 150 funcionários. As duas empresas deverão disputar pela liderança no mercado latino-americano.

Em entrevista ao Tecnoblog, o CEO da Ripio, Sebastián Serrano, afirmou que “esse é um mercado que vai crescer muito, e há muitas diferenças entre os jogadores”. Ele acredita que há muito espaço para diferentes bolsas e exchanges operarem.

Comentários da Comunidade

Participe da discussão
1 usuário participando