A situação da Mandriva SA, que financia a distro Mandriva, não está fácil. A empresa, que no passado era um dos braços fortes do software livre na Europa (quando ainda se chamava Mandrake), chegando até mesmo a comprar a Conectiva (a partir daí, adotando o nome pelo qual é conhecida hoje), atualmente passa por sérios problemas financeiros e vem demitindo vários funcionários, entre eles desenvolvedores com um bom tempo de casa.

Assim, preocupados com a situação e com os rumos que a distro pode ter no futuro, um grupo de ex-funcionários da Mandriva resolveu criar um Fork do Mandriva, o Mageia.

Mas o que vem a ser um fork? Nada mais é do que uma “bifurcação”, um novo projeto baseado em um código-fonte que continua sendo lançado. Forks são comuns quando há desentendimento entre desenvolvedores sobre o rumo do projeto e um grupo resolve continuar o desenvolvimento separadamente. Outras situações em que um fork acontece envolvem o software mudar a forma de licenciamento (de gratuíto para pago, ou de livre para fechado, por exemplo).

Assim, o Mageia passará a ser desenvolvido pela comunidade a partir de algum ponto do Mandriva, e será uma distro independente, sem ligações com empresas. E, assim esperamos, livre dos problemas financeiros da distribuição original.

No site oficial do Mageia já existe uma versão em Português do Brasil explicando a origem da distro e os problemas que a originaram. Em destaque, os primeiros parágrafos:

Como você deve ter ouvido falar, o futuro do Mandriva Linux é incerto.

A maioria dos empregados que trabalhavam na distribuição foram demitidos quando a Edge-IT foi liquidada. Nós não confiamos mais nos planos da Mandriva SA e não acreditamos que a empresa (ou qualquer outra empresa) seja um porto seguro para tal projeto.

Muitas coisas aconteceram nos últimos 12 anos. Algumas foram muito boas: a comunidade em torno do Mandriva Linux é grande, motivada e experiente, a distribuição se tornou uma das mais populares e premiadas, fácil de usar e inovadora. Alguns outros eventos tiveram consequências realmente muito ruins, que fizeram as pessoas ficarem não tão confiantes quanto a viabilidade de sua distribuição favorita.

As pessoas que trabalham nisto apenas não querem ser dependentes da economia flutuante e errática, e os inexplicáveis movimentos estratégicos de uma empresa.

Comentários

Envie uma pergunta

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

Rafael Luik
Você está zoando que respondeu um comentário meu de 4 ANOS ATRÁS quando nada disso era previsível!!!???!?!?!?? Eu sei muito bem de tudo que você está falando...
Roberto Santos
O teu papo furado e a balela, se tornaram realidade, mano. A Mandriva agora transformou-se numa empresa idêntica a Red Hat onde mantem produtos comerciais com excelente suporte, a comunidade esta órfã desde 2011 quando foi lançada a ultima versão mandriva 2011.1, a Red Hat pelo menos criou a Fedora como sistema livre para a comunidade, como a Novel Suse criou a Opensuse, mais a Mandriva não fez nenhum esforço para criar um sistema livre e sem a marca mandriva para a comunidade. Agora Mandriva é uma marca comercial e portanto não pode ser usada em produtos sem autorização. Uma pena uma das melhores distros do mundo rpm. Alguns desinformados alegam que a Mageia seria esse sistema equivalente ao Mandriva como o Fedora é para a Red Hat, mais isso não é verdade, pois a equipe da mageia é forma por dissidentes do grupo Mandriva que não mantém nenhum vinculo com esta nem mesmo os repositórios, pois a Mandriva fechou seus servidores apenas para os produtos comerciais e oficiais. Quem sabe um dia irá surgir uma versão que seja realmente sucessora hereditária da mandriva, pois a Mageia deixa muito a desejar pela falta de facilidade principalmente no gerenciador rede, coisa que a mandriva era primorosa com facilidade e simplicidade. Voltei pro Debian e Opensuse, pelo menos continuo com aquilo que a mandriva tinha de bom.
Roberto Santos
Uma pena que para ser um real sucessor da Mandriva ainda falta muito. A filosofia Mandriva sempre foi de colocar o usuário em primeiro lugar com simplicidade e facilidade no uso do sistema, coisa que a mageia não tem, uma pena, o gerenciador de rede escolhido é terrivelmente limitado, e precisa de intervenção manual para atingir o objetivo, coisa que a Mandriva não fazia.
Mi
O mandriva é ótimo, agora aguardo o Mageia..vamos testar...
kylefurtado
Nunca usei quaisquer sistemas Linux, e me arrependo por isso.
Rafael
Assim como a versão ... 2009.0, 2009.1, 2010.0, 2010.1 foram? AFF
Alisson melo
Talvez a versão 2010.1 seja a última aposta da Mandriva antes de se despedir.
Rafael
Papo furado, balela. A Mandriva SA nunca encerra as atividades, mesmo passando por rumores de dificuldades finaneiras. Esse ano mesmo inventaram que a Mandriva ia acabar, e não acabou, a versão 2010.1 saiu sem atraso...
JoseRenan
pena, usei mandriva por um dia ela era bastante legal, pelo menos na época de minha leiguisse em Linux.
Bruno Gall
Legal, mas o mundo ainda está nos .yum e .deb
Pedro Moisés
Slackware for the win
Guilherme Mac
Mandrake já não ia bem das pernas quando aconteceu a compra dos ativos da Conectiva. Aliás, essa sim ia bem e era referência na América Latina. Depois da fusão a água começou a entrar aos poucos nos porões.