Início » Finanças » Investidores que estocam bitcoin já detêm 15% da criptomoeda

Investidores que estocam bitcoin já detêm 15% da criptomoeda

15% de todo o suprimento de bitcoin (BTC) do mundo está trancado em contas de investidores de longo prazo

Bruno Ignacio Por

Investidores de criptomoedas que visam o lucro a longo prazo já acumularam 15% de todo o suprimento de bitcoins (BTC) existente no mundo. Um montante de 2,8 milhões de unidades da moeda digital se encontra completamente paralisado em fundos ou carteiras digitais, prejudicando a liquidez do mercado.

Bitcoins estão trancados em contas de investidores de longo prazo (Imagem: Ewan Kennedy/Pexels)

Bitcoins estão trancados em contas de investidores de longo prazo (Imagem: Ewan Kennedy/Pexels)

De acordo com dados do Glassnode, plataforma de monitoramento do mercado de criptomoedas, nesta terça-feira (02) os endereços identificados como pertencentes a “holders” aumentaram para o maior número dos últimos 3 anos. Esses são investidores que decidem comprar bitcoin para estocar o criptoativo na esperança de lucros gigantescos a longo prazo.

Como resultado, 15,32% do total de 18,6 milhões de bitcoins existentes no mercado estão parados em fundos ou carteiras digitais. O CoinDesk, site especializado em criptoeconomia, explica que esses endereços são divididos entre dois principais tipos: aqueles que compraram bitcoin no passado e nunca mais mexeram no ativo, e aqueles que adquirem pouco a pouco a criptomoeda ao longo de anos, sem nunca vendê-la.

Contudo, o sistema de cálculo exclui contas criadas a mais de sete anos, já que a maioria representa valores perdidos, esquecidos ou que pertencem a mineradores de criptomoedas e a corretoras. Assim, as métricas apontam com mais precisão para endereços, geralmente de investidores do varejo, que estocam bitcoin há anos sem nunca vendê-los.

Volume de bitcoin estocado ao longo de um ano (Imagem: reprodução/Glassnode)

Volume de bitcoin estocado ao longo de um ano (Imagem: reprodução/Glassnode)

Estocagem de BTC gera escassez no mercado

Os dados ainda indicam que o volume de bitcoins travados em contas de holding cresceu 22% de um ano para o outro. Somente na última semana, mais de 80 mil BTC foram estocados e saíram do mercado.

O efeito dessa estratégia de investimento é muito impactante para a liquidez do criptoativo. O bitcoin só é criado a partir do processo de mineração, que além de ser muito lento, exige equipamentos caros e que consomem muita energia. Assim, com uma quantidade unitária limitada no mercado, quanto mais contas trancarem seus ativos, menor será sua oferta.

O resultado final é o aumento no preço da moeda digital e a maior dificuldade em se comprar grandes volumes de BTC de uma vez, como muitos investidores institucionais fazem quando veem boas oportunidades. Esse efeito tem gerado preocupação entre os chamados “bulls” das criptomoedas, grandes empresas e organizações que buscam comprar o ativo em quantidade.

Disponibilidade de bitcoin é a mais baixa em 2,5 anos

O Glassnode tuitou no dia 1º de fevereiro que os estoques de bitcoin nas exchanges de criptomoedas caíram para os níveis mais baixos desde a metade de 2018. Cerca de 18.500 BTC saíram das bolsas durante a última semana, totalizando mais de US$ 625 milhões em compras do criptoativo. Desde então, o preço da moeda opera em alta.

Hoje, o preço do bitcoin está na casa dos US$ 37 mil e o mercado já espera mais um boom como o visto no início de janeiro, quando a criptomoeda bateu seu mais alto valor da história, beirando os US$ 42 mil.

Com informações: CoinDesk

Comentários da Comunidade

Participe da discussão
2 usuários participando