Início » Finanças » Ethereum sobe mais que bitcoin e quebra novo recorde de preço

Ethereum sobe mais que bitcoin e quebra novo recorde de preço

Ether (ETH) acumula ritmo de valorização superior ao do bitcoin (BTC); lançamento de contratos futuros impulsionam criptomoeda

Bruno Ignacio Por

O ether, criptomoeda da rede Ethereum (ETH), segue batendo recordes de preço. Em uma onda ininterrupta de altas desde dezembro de 2020, a moeda digital já ultrapassa o bitcoin (BTC) em termos de valorização acumulada em 2021. Desde o começo do ano, o criptoativo aumentou mais de 140% e atingiu os históricos US$ 1.761 nesta sexta-feira (05).

Ether ultrapassa valorização do bitcoin (Imagem: WorldSpectrum/Pixabay)

Ether ultrapassa valorização do bitcoin (Imagem: WorldSpectrum/Pixabay)

Bitcoin fica para trás em ritmo de valorização

Desde seu preço mínimo de US$ 721 no dia 1º de janeiro, o valor do ether não parou de aumentar. Apenas nas últimas 24 horas, a criptomoeda subiu mais de 10% e hoje ultrapassa o ritmo de valorização da moeda digital líder do mercado, o bitcoin.

Mesmo ainda sendo a criptomoeda de maior valor unitário e de capitalização, o bitcoin acumulou uma valorização de cerca de 30% neste mesmo período, desde seu preço mínimo de US$ 29 mil no começo do ano até os atuais US$ 38 mil. A moeda digital segue em alta estável, mas por múltiplos fatores o ether agora chama mais a atenção do mercado.

Índice CoinDesk de preço do Ether nos últimos 30 dias Imagem: reprodução)

Índice CoinDesk de preço do Ether nos últimos 30 dias Imagem: reprodução)

Lançamento de contratos futuros impulsionam ether

Neste momento, o ether é alvo de muita especulação e está na mira de grandes investidores institucionais diante do lançamento de contratos futuros envolvendo a criptomoeda na semana que vem.

Contratos futuros são um tipo de negociação no mercado financeiro. É um compromisso firmado entre duas partes, nesse caso entre corretoras ou fundos de criptomoedas e grandes empresas. Assim, se estabelece compras ou vendas do ativo digital numa data determinada e a um determinado preço.

A Chicago Mercantile Exchange (CME) lançará esse formato de negociação para a criptomoeda em 8 de fevereiro. Contudo, os efeitos já estão sendo vistos agora, uma vez que investidores institucionais deverão negociar com maior segurança o criptoativo e elevar sua demanda. Assim, a especulação do mercado disparou e inflou o preço do ether.

Bitcoin é escasso para investidores institucionais

Por mais que o bitcoin ainda seja a principal criptomoeda do mercado, sua demanda não condiz com sua disponibilidade. As chamadas “whales”, ou grandes investidores institucionais, buscam comprar criptoativos em grande quantidade, mas esses contratos têm sido difíceis de se fechar.

Acontece que o bitcoin também chamou a atenção de muitos investidores do varejo, e os chamados “holders” já paralisam 15% de todo o suprimento mundial da criptomoeda. Esse tipo de estratégia se baseia em comprar um ativo e guardá-lo por longos períodos esperando enormes lucros futuros.

Há registros de endereços que não vendem bitcoins há mais de 7 anos, conforme apontaram dados do Glassnode, plataforma de monitoramento do mercado de criptomoedas, na última terça-feira (02). Como consequência, os gigantes do mercado financeiro se voltam para o ether que possui maior liquidez.

Grayscale volta a negociar ether

A maior administradora de criptoativos do mundo, a Grayscale, havia paralisado em dezembro as negociações de ether para novos investidores. Mas neste começo de mês a gestora retornou a criptomoeda à sua listagem e acumulou cerca de 25 mil ETH nas primeiras 24 horas. Isso vem impactando diretamente a demanda do ativo digital e se torna mais um importante fator para sua valorização nos últimos dias.

A Grayscale atualmente administra quase 3 milhões de ETH que somam mais de US$ 4,5 bilhões. A gestora oferece serviços principalmente para grandes empresas que atuam no mercado financeiro.

Com informações: Business Insider

Comentários da Comunidade

Participe da discussão
1 usuário participando