Início » Finanças » Coreia do Norte rouba US$ 300 mi em criptomoedas através de ciberataques

Coreia do Norte rouba US$ 300 mi em criptomoedas através de ciberataques

Coreia do Norte realizou dezenas de ataques cibernéticos a exchanges de criptomoedas e a empresas militares estrangeiras

Bruno Ignacio Por

A Coreia do Norte vem lançando uma série de ataques cibernéticos para roubar criptomoedas e informações militares de outros países. Os principais alvos são respectivamente exchanges de criptoativos e empresas estrangeiras do setor de defesa militar. Os fundos arrecadados em moedas digitais provavelmente são destinados ao financiamento armamentístico e nuclear, conforme aponta um relatório da ONU obtido pela Associated Press e pelo jornal japonês Nikkei.

Bandeira da Coreia do Norte em Pyongyang (Imagem: stephan/Flickr)

Bandeira da Coreia do Norte em Pyongyang (Imagem: stephan/Flickr)

Dezenas de invasões roubam criptomoedas e informações

O documento foi formulado por um painel de especialistas das Nações Unidas que afirmam que a Coreia do Norte roubou cerca de US$ 316 milhões em criptomoedas ao longo de 2019 e 2020.

A arrecadação foi feita através de múltiplos ataques cibernéticos a corretoras de moedas digitais. Essa é uma maneira do governo norte-coreano gerar verba de fontes internacionais enquanto dribla múltiplas sanções impostas sobre o país.

A pandemia da COVID-19 gerou uma maior movimentação no mercado de criptomoedas, uma vez que o isolamento fez com que todas as transações digitais aumentassem.

Além disso, a ditadura asiática invadiu servidores de múltiplas empresas do setor de segurança e defesa militar de outros países. O objetivo era o roubo de informações privadas e sensíveis.

Relatório será apresentado ao Conselho de Segurança

O relatório, na verdade, ainda não é público. Trata-se de um rascunho que deverá ser apresentado ao Comitê de Sanções da Coreia do Norte no Conselho de Segurança da ONU, que analisa a implementação das medidas sobre o país. O objetivo é gerar discussões internacionais para que sejam tomadas decisões de isolamento mais severas.

O documento também aponta que a Coreia do Norte segue obtendo moedas digitais de maneiras ilegais. Os especialistas afirmam que o país foi responsável foi duas grandes invasões no final de 2020. Uma delas foi a uma empresa de câmbio de criptoativos que foi hackeada e US$ 218 milhões foram roubados em criptomoedas. No outro caso mencionado, foram US$ 2,5 milhões arrecadados pela ditadura.

Segundo os especialistas, a Coreia do Norte faz uso de uma técnica mais avançada de hacking chamada de “salto em cadeia”, que visa dificultar ainda mais o rastreio dos fundos roubados. As moedas digitais são então trocadas por dinheiro através de comerciantes chineses.

Fundos são destinados ao desenvolvimento de armas

Muito provavelmente, o desenvolvimento de armas de destruição em massa e pesquisa nuclear são os principais destinos dos fundos arrecadados por meio desses roubos. O relatório indica que ao passo que ocorreram as invasões, foram também identificadas atividades crescentes no setor militar norte-coreano.

“Ele exibiu novos sistemas de mísseis balísticos de curto e médio alcance, lançados por submarinos e intercontinentais em desfiles militares”, disseram os especialistas. “O país anunciou a preparação para o teste e a produção de novas ogivas e o desenvolvimento de armas nucleares táticas… e atualizou sua infraestrutura de mísseis balísticos”, conclui o relatório.

Com informações: Associated Press e Nikkei

Comentários da Comunidade

Participe da discussão
6 usuários participando

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

Eu (@Keaton)

Claro que eles já fizeram palhaçadas contra empresas chinesas… (Huawei, Xiaomi, etc)

Filho… Sabe quantas bitcoins seriam necessárias pra juntar 300m? Com a cotação atual? 647BTC. Leva uma eternidade pra farmar isso… mesmo com 256 RTX 3090, vai levar uma eternidade. Ainda teria o custo de energia, 256 RTX 3090 consumindo, digamos, 300W (contra os 350W padrão) já dariam quase 77 kilowatts somente para as placas de vídeo… para um pais que mal consegue produzir energia para deixar as cidades com luz à noite… é bastante.
Para um pais que faz seus cidadões comerem grama por falta de opção, acho muito pouco provável que eles gastariam essa pequena fortuna. Além disso, a Coréia do Norte sofre diversas restrições comerciais…

detalhe: dificultar é bem diferente de impedir…

Dá uma olhada o que a Coréia do Norte vem fazendo nas ultimas duas décadas… o Tio Kim das bombinhas andava jogando bomba nos oceanos próximos ao Japão e à Coréia do Sul…
Além disso, eles já não fazem mais parte do tratado de não proliferação de armas nucleares desde 2003… e é sabido que eles tem ao menos 40 bombas nucleares e muito mais armas biológicas…

Ou tem de viver num mundo paralelo para realmente acreditar no que tu disse…