Início » Internet » SpaceX, de Elon Musk, inicia pré-venda da internet Starlink

SpaceX, de Elon Musk, inicia pré-venda da internet Starlink

Encomendas não garantem a obtenção do serviço, mas valor pode ser completamente estornado, segundo o site da Starlink

Ana MarquesPor

A SpaceX está expandindo os testes públicos do seu serviço de internet via satélite, Starlink, e agora aceita encomendas de possíveis clientes, iniciando pelos Estados Unidos, Canadá e Reino Unido. A pré-venda já está disponível, mas a empresa afirma que algumas regiões terão cobertura a partir de meados de 2021, enquanto outras indicam cobertura em 2022, segundo informações da CNBC.

Satélite Starlink, da SpaceX

Satélite Starlink, da SpaceX (Imagem: Divulgação/SpaceX)

Por curiosidade, eu fiz um teste com o meu endereço aqui do Rio de Janeiro e, de acordo com informações do site oficial da Starlink, a SpaceX planeja oferecer cobertura na minha região até o final deste ano, como é possível observar na imagem abaixo.

O preço cobrado pela assinatura é de US$ 99 – taxa que a empresa afirma ser “completamente reembolsável”, já que o depósito não garante a obtenção do serviço. Segundo a companhia de Elon Musk, os pedidos serão atendidos por ordem de chegada.

Página de captura da Starlink

Página de captura da Starlink (Imagem: Reprodução/Starlink)

O programa beta público da Starlink foi lançado em outubro de 2020, com promessa de conexão de até 150 Mb/s e latência entre 20 ms e 40 ms. Para usar, é necessário adquirir um kit com equipamento (antena e roteador) que custa US$ 499.

Mas os planos de Elon Musk vão bem mais além: o objetivo, a médio prazo, é que a internet da Starlink chegue a 1 Gb/s e, a longo prazo, a impressionantes 10 Gb/s. Atualmente, o serviço conta com 10 mil usuários, mas estima-se que sejam necessários ao menos 3 milhões de assinantes para tornar o negócio lucrativo.

Musk segue otimista, e já disse em diversas oportunidades que planeja fazer IPO da Starlink – mas antes precisa “prever o fluxo de caixa razoavelmente bem”, afirma o CEO da SpaceX.

Com informações: CNBC

Comentários da Comunidade

Participe da discussão
12 usuários participando

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

Sérgio (@trovalds)

O Linus Tech Tips soltou vídeos sobre a tecnologia. O primeiro é de um canal do mesmo grupo, que é mais unboxing e testes preliminares.

E um do canal principal que o equipamento é testado na prática. Esse vídeo também explica mais sobre a tecnologia em si.

E tenho a dizer que: se alguém falava sobre “democratizar” a internet mas na prática não fazia muita coisa (Google e Facebook, oi) a Starlink está abrindo essa porta pra valer.

Jedielson (@Jedielson)

Starlink vai ser a versão do século 21 dos contrabandos de discos em raio-X na URSS.

Jedielson (@Jedielson)

Coloquei meu endereço e previu final de 2021

// (@Francisco)
Jacques (@fioda)

Starlink pelo que vi videos no youtube parece ser uma opção bem interessante pra quem depende de internet por satélite, basicamente o dobro ou o triplo do custa por conta da conversão dolar atualmente, porém, bem mais velocidade, latencia bem menor e principalmente, sem limite de dados que costuma ser bem pouco nesses planos por satélite de hoje em dia

Isso não deve ser viável pra quem mora na cidade e é atendido por fibra, mas é uma excelente opção pra regiões mais remotas!

Giovani (@Giovani)

Esse negócio de vem pro Brasil em x tempo deve ser uma resposta padrão, igual a OIfibra que você coloca o CEP e diz que está “quase lá”. Infelizmente como tudo no Brasil vai ter muito político interferindo, e lobby e chororo das operadoras principalmente as de satélite, pra isso não funcionar aqui, ou pelo menos adiar o máximo possível…

// (@Francisco)

Eu acho que não. A Startlink já teve uma reunião com a Anatel no dia 2 de dezembro e recentemente a Anatel liberou algumas frequências para utilização com satélites. Sem contar que a Startlink abriu 2 CNPJs recentemente, um como Holding e outro para provedor de internet via satélite.

Adriano Garcez (@Adriano_Garcez)

esse ping baixo é absurdo.

o Google e Facebook tentaram aquela internet de balão por um tempo, mas não deu certo. a Starlink prometeu e está cumprindo muito, mas a astronomia já está sendo afetada mesmo não tendo todos os satélites necessários da empresa em órbita. e, como disse o Linus, daqui a 5 anos, teremos milhares de satélites riscando o céu.

Caleb Enyawbruce (@Enyawbruce)

Se o preço for esse mesmo mostrado no site (99 dólares), lascou-se. Em reais é uma fortuna

Bruno Cabral Peixoto (@Bruno_Cabral_Peixoto)

Não se vc morar numa fazenda. Um plano pra fazenda de internet satélite comum custa no mínimo 800 R$. Se o Starlink vier por uns 400 ou 500 R$ isso é cerca de 40 a 50% menos preço.

Giovani (@Giovani)

Tomara que você esteja certo, onde moro passa uma meia dúzia de fibra, mas tenho conhecidos que moram no campo que contam os dias para aparecer uma internet “usável” … aguardar pra ver …

Caleb Enyawbruce (@Enyawbruce)

Ah legal, eles investem bilhões para rechear a terra de satélites e o público alvo se restringe às fazendas. Faz todo sentido

Danilo (@Danilo.m)

não está caro, se converter nesse momento dar 531 reais. Você já viu o preço das empresas que vendem internet via satélite no Brasil? É na média de 200 reais pra cima e ainda limitam a velocidade, ping altíssimo e possuem franquia que acaba em poucos dias. A proposta Starlink vale muito a pena…

Bruno Cabral Peixoto (@Bruno_Cabral_Peixoto)

Não disse que o público alvo são fazendas. Disse que pra propriedades rurais (Sobretudo as pequenas) é interessante, dependendo do preço.

// (@Francisco)

Acho que você está por fora da internet em zona rural, hein? 99 dólares por mais de 100Mbps é um valor justo se comparado aos 200 em internet via rádio (sem contar a infra de 5K) ou 300 em internet via satélite. Essas duas opções não passam de 30Mbps.

Exibir mais comentários