Início » Antivírus e Segurança » ANPD apura vazamento que afeta 100 milhões de números de celular

ANPD apura vazamento que afeta 100 milhões de números de celular

ANPD se pronuncia sobre vazamento de dados de operadoras; mais de 100 milhões de números de celular foram expostos

Bruno Gall De Blasi Por

Após o vazamento que expôs mais de 100 milhões de números de celular, a Agência Nacional de Proteção de Dados (ANPD) se manifestou sobre o caso. Em nota oficial, a agência informou que está “apurando tecnicamente as informações sobre o incidente” revelado nesta semana. O presidente da República, Jair Bolsonaro, e os apresentadores Fátima Bernardes e William Bonner estão entre os atingidos pela exposição de dados.

Chip de celular (Imagem: Darlan Helder/Tecnoblog)

Chip de celular (Imagem: Darlan Helder/Tecnoblog)

O pronunciamento veio a público nesta quinta-feira (11). No comunicado, a agência também disse que oficiou a “Polícia Federal, a empresa que noticiou o fato e as empresas envolvidas” para investigar, prestar auxílio na apuração do caso e adotar medidas para conter e mitigar os riscos relacionados ao incidente.

“A ANPD atuará de forma diligente em relação a eventuais violações à Lei 13.709/2018 (Lei Geral de Proteção de Dados Pessoais – LGPD), e promoverá, com os demais órgãos competentes, a responsabilização e a punição dos envolvidos”, anunciaram.

Vazamento expõe 100 milhões de números de celular

A declaração da ANPD ocorre um dia após a divulgação do caso, na quarta-feira (10). Com base em uma descoberta feita pelo dfndr lab, da PSafe, o site NeoFeed revelou um novo vazamento de dados que expôs 100 milhões de números de celular.

Ao todo, a cifra chega à 102.828.814 de contas vazadas. Além dos números de telefone, há, também, registros como operadoras de telefonia celular, tempo de duração de ligações e outras informações pessoais das vítimas. A suspeita é de que as informações teriam origem em base de grandes operadoras, como a Claro e Vivo.

Em nota, a Claro afirma que “não identificou vazamento de dados” e que irá investigar o caso. A Vivo também diz que não houve “incidente de vazamento de dados” e que “possui os mais rígidos controles nos acessos aos dados dos seus consumidores e no combate a práticas que possam ameaçar a sua privacidade”.

Com informações: Poder360

Comentários da Comunidade

Participe da discussão
1 usuário participando