Início » Aplicativos e Software » Facebook reduz alcance de vários posts em Mianmar após golpe de estado

Facebook reduz alcance de vários posts em Mianmar após golpe de estado

Páginas e contas ligadas às forças armadas de Mianmar são penalizadas pelo Facebook por espalhar desinformação

Victor Hugo SilvaPor

O Facebook decidiu reduzir significativamente o alcance de várias páginas e perfis ligados à Tatmadaw, como são conhecidas as forças armadas de Mianmar. A rede social identificou que elas foram usadas para espalhar desinformação sobre o golpe militar que retirou a líder Aung San Suu Kyi do poder no início de fevereiro.

Site do Facebook no celular (Imagem: Solen Feyissa/Unsplash)

Site do Facebook no celular (Imagem: Solen Feyissa/Unsplash)

A decisão afeta posts de órgãos e líderes militares que violam repetidamente as políticas do Facebook contra desinformação. A plataforma penalizou, entre outras, a página Tatmadaw Information Team e a conta do porta-voz das forças armadas de Mianmar, Zaw Min Tun. Além de perderem alcance, elas deixarão de ser recomendadas para usuários.

Ainda entre as medidas adotadas após o golpe, está a suspensão por tempo indeterminado de pedidos de retirada de conteúdos pelo governo de Mianmar. A plataforma oferece canais para governos reivindicarem a derrubada de posts que consideram inadequados, mas deve mantê-los indisponíveis no país até a situação se normalizar.

Facebook protege posts sobre situação em Mianmar

O Facebook promete manter no ar posts que tratam da situação em Mianmar após o golpe. A empresa afirma que um de seus objetivos é ajudar a proteger a liberdade de expressão dos cidadãos e aponta que esses conteúdos, incluindo discursos políticos, ajudam seus usuários a se expressarem e mostrarem ao restante do mundo o que acontece no país.

Ao mesmo tempo, a rede social pretende remover usuários e grupos que violam as regras ao incitar a violência, propagar discurso de ódio ou espalhar mentiras que podem levar a danos físicos. Os posts com alegações de fraude na eleição realizada em Mianmar ou convocações para pegar em armas também serão removidos.

Depois da tomada do poder pelos militares, a internet em Mianmar sofreu instabilidades por ordem do novo governo. A interrupção dos serviços começou em 1º de fevereiro, quando afetou apps como Telegram e Signal. Em seguida, foi a vez do bloqueio ordenado a WhatsApp e Facebook. No sábado (6), o nível de conectividade no país chegou a 16%, segundo a NetBlocks.

Comentários da Comunidade

Participe da discussão
3 usuários participando

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

Jedielson (@Jedielson)

Queria ver o Facebook assim pras ações da China.

Facebook pra China …/ … Facebook com outros países
880×480 34 KB

// (@Francisco)

Facebook é censurado na China, fera. O que ele vai limitar? Não viaja.

Jedielson (@Jedielson)

Facebook é bloqueado em Hong Kong? viu o Facebook adotando o “pedido” do governo chinês e derrubando páginas e dando dados pro governo? Ficou meses assim, porém parou.