Início » Antivírus e Segurança » Claro, Vivo, TIM e Oi terão que explicar megavazamento à Senacon

Claro, Vivo, TIM e Oi terão que explicar megavazamento à Senacon

Senacon notifica Claro, Vivo, TIM e Oi para apurar megavazamento que expôs mais de 100 milhões de números de celulares

Bruno Gall De BlasiPor

O megavazamento que atingiu mais de 100 milhões de números de celulares ganhou um novo episódio. Nesta sexta-feira (12), a Secretaria Nacional do Consumidor (Senacon) notificou a Claro, Vivo, TIM e Oi para dar explicações sobre o incidente. As operadoras têm até quinze dias para se manifestar.

Senacon notifica operadoras para apurar megavazamento de dados (Imagem: Dariusz Sankowski/Pixabay)

Senacon notifica operadoras para apurar megavazamento de dados (Imagem: Dariusz Sankowski/Pixabay)

O ofício partiu do Departamento de Proteção e Defesa do Consumidor (DPDC), ligado à Senacon. A ação visa descobrir quais informações foram expostas devido ao incidente e como aconteceu o megavazamento de dados revelado na quarta-feira (10).

“A Senacon está apurando todas as denúncias e atuando ex officio (ou seja, diretamente) em todo os casos suspeitos e reportados”, disse a Secretária Nacional do Consumidor, Juliana Oliveira Domingues, à revista Consumidor Moderno.

A manifestação da Senacon acontece logo após o vazamento que alcançou 102.828.814 telefones móveis vir a público. Além dos números de celular, também foram expostos o tempo de duração de ligações e demais informações pessoais dos atingidos. A suspeita é de que os dados tenham partido de grandes operadoras.

Em resposta sobre a notificação do órgão ligado ao Ministério da Justiça, as operadoras afirmaram à TV Globo que estão colaborando com as autoridades e que não identificaram ocorrência de vazamento de dados.

Chip de celular (Imagem: Darlan Helder/Tecnoblog)

Chip de celular (Imagem: Darlan Helder/Tecnoblog)

ANPD apura megavazamento de dados

Além da Senacon, a Agência Nacional de Proteção de Dados (ANPD) também se pronunciou sobre o caso. Nesta quinta-feira (11), a agência informou que está “apurando tecnicamente as informações sobre o incidente”.

“A ANPD atuará de forma diligente em relação a eventuais violações à Lei 13.709/2018 (Lei Geral de Proteção de Dados Pessoais – LGPD), e promoverá, com os demais órgãos competentes, a responsabilização e a punição dos envolvidos”, afirmaram em nota.

Com informações: Consumidor Moderno, Época Negócios e TV Globo (Jornal Nacional)

Comentários da Comunidade

Participe da discussão
4 usuários participando