Início » Telecomunicações » IPTV pirata deverá ser bloqueada pelo Cloudflare, decide Justiça

IPTV pirata deverá ser bloqueada pelo Cloudflare, decide Justiça

Justiça italiana entende que Cloudflare facilitou pirataria de IPTV com seu serviço de CDN; empresa diz que não hospeda conteúdo

Lucas BragaPor

O Cloudflare foi condenado pelo poder judiciário da Itália e deverá bloquear dois servidores de IPTV que utilizam a plataforma da empresa. A companhia chegou a figurar em uma lista de observação de pirataria da União Europeia por não adotar medidas de combate a crimes contra o direito autoral.

TV e controle remoto (Imagem: Glenn Carstens-Peters / Unsplash)

Cloudflare deve remover serviços de IPTV (Imagem: Glenn Carstens-Peters / Unsplash)

O Cloudflare é um serviço de CDN, sigla para Content Delivery Network. A empresa mantém uma rede que armazena conteúdo (cache) de diversos sites – incluindo o Tecnoblog – em servidores espalhado mundo afora, de forma a otimizar o desempenho para os usuários finais.

Na prática, a empresa não é responsável pelo conteúdo da web, ficando a cargo apenas da distribuição. No entanto, a operadora de TV paga Sky Itália (não é uma empresa relacionada com a Sky do Brasil) e a liga de futebol Serie A solicitaram ao Cloudflare o bloqueio dos serviços piratas IPTV THE BEST e ENERGY IPTV.

Cloudflare contribuiu pirataria de IPTV, diz Justiça

Com o argumento de não ter o conteúdo hospedado e ser apenas um intermediário neutro para tráfego de dados na internet, o Cloudflare decidiu não agir para bloquear os serviços de IPTV. Duas decisões judiciais foram expedidas na Itália ordenando que a empresa interrompa o acesso aos provedores piratas.

A Justiça da Itália considerou que o Cloudflare “contribui para as infrações dos seus clientes” e que a plataforma “facilita o acesso” aos serviços ilegais. O magistrado também afirma que é “irrelevante” o fato de que o provedor de IPTV possa funcionar sem a distribuição de conteúdo da empresa.

Ao Torrentfreak, o Cloudflare afirmou que cumpre as ordens de bloqueio nas juridições relevantes – ou seja, o conteúdo continua disponível nos demais países onde não houve intervenção da Justiça.

IPTV é alvo da Justiça no Brasil e outros países

Essa não é a primeira vez que serviços de IPTV enfrentam polêmicas: um site que fornecia listas ilegais foi condenado nos Estados Unidos a pagar US$ 15,8 milhões para a Dish, uma operadora tradicional de TV via satélite.

No Brasil, uma operação do Ministério da Justiça desligou 300 serviços de TV pirata que eram usados por 26 milhões de pessoas. Além disso, a Anatel e Receita Federal confiscaram milhares de TV Box irregulares. Entre julho e setembro de 2020, o órgão apreendeu mais de 240 mil equipamentos ilegais e destruiu outros 7 mil aparelhos que foram retidos em uma cidade que faz divisa com o Paraguai.

Estima-se que a TV pirata está disponível em 4,5 milhões de lares brasileiros. Enquanto isso, a TV paga oficial sofre com a perda de clientes, com cerca de 800 mil contratos encerrados em 2020.

Comentários da Comunidade

Participe da discussão
14 usuários participando

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

Anderson Antonio Santos Costa (@Anderson_Antonio_San)

A caça ao IPTV pirata tem crescido muito nos países desenvolvidos. Principalmente por causa de provedores de internet pertencerem também a empresas do ramo midiático, como ocorre nos EUA.
No Brasil, somente o IPTV pirata deve movimentar muito $$$.
A dúvida que fica é se com o surgimento de IPTV legalizada no Brasil a preços mais convidativos a caça ao IPTV pirata cresça no Brasil.

@Rogerio.Neves

Enquanto o conteúdo estiver espalhado por diferentes serviços, a melhor opção seria assinar cada serviço por apenas um mês e maratonar tudo o que quiser ver. Acabando o mês, assina outro serviço e por aí vai. Faz um rodízio de serviço de streaming.

Ou contrata o Jack Sparrow e boa sorte.

J. Alves (@alves)

Não conseguiria usar IPTV por alguns motivos.

Primeiro a qualidade da imagem, não consigo me adaptar, principalmente no futebol que a imagem não é tão fluida e isso fica bastante evidente. Não sei se foi particular dos serviços que testei, mas achei impraticável.

Segundo pela interface e recursos do decodificador, querendo ou não a NET dá de 10 a 0 nesse quesito, desde os menus até a possibilidade de voltar a programação ao vivo e o Net Now, a qualidade é muito superior.

Terceiro, o delay, pra quem assiste futebol não dá, principalmente se você morar em prédio onde terá dezenas de vizinhos comemorando antes de você. As vezes até no whatsapp você fica sabendo do gol antes dele acontecer na sua TV.

Adriano Angelo (@Angelo)

IPTV pirata não é um “serviço” profissional. Quem tem grana para ter TV não vai atrás de gambiarra. Quem não tem, opta por gastar $25 sem reclamar da qualidade.

Adriano Garcez (@Adriano_Garcez)

O problema do IPTV no Brasil não é apenas a pirataria, mas o envolvimento de milícias, então tem de derrubar mesmo.
Já em relação aos serviços de IPTV legítimos, deveriam surgir mais além do DirecTV GO, que veio por um valor salgado.

imhotep (@imhotep)

As pessoas não entendem que o IPTV pirata é barato porque sonega impostos, não paga direitos de transmissão para os produtores etc.

O problema não é o preço da tv a cabo. O problema é que somos um povo miserável, que mal consegue manter o básico em dia.

@doorspaulo

Combater a pirataria é uma tarefa ingrata demais. É como combater uma Hydra.

Só se combate a pirataria com um serviço melhor, e com valor razoável, como a Steam fez, e o streaming até alguns anos atrás.

Daniel Plácido (@Daniel_Placido)

Assino IPTV pir e não tenho o que reclamar, canais HD e vários Full HD, raramente trava, não tem problema de sincronia de audio e video como já tive quando assinava NET, minha internet é fibra 200Mb e como decodificador uso uma MiBox na sala (que conecta no 5Ghz) e no quarto uma TV com AndroidTV embutido que só conecta no 2.4Ghz mas ainda assim a tenho a mesma qualidade.

Como comentaram acima, o preço das IPTV legais a primeira vista parecem bons, mas é só lixo, vai escolher alguns canais que você quer o valor quadruplica, o servidor que assino mesmo deve ter mais de 100 canais (claro desconsiderando os duplicados, triplicados, globo por ex tem mais de 20), e minha lista de favoritos que são somente os canais que assisto mesmo tem só uns 20.

Douglas Knevitz (@Douglas_Knevitz)

Não, a culpa é de quem consome pirataria e fomenta essa indústria.

Os preços sempre foram bem altos, principalmente se desbloqueasse todos os canais. Mas lembro de existirem planos mais acessíveis. Agora se eles não atendem às necessidades de quem quer TV pagando pouco e tendo acesso aos canais mais cobiçados, é outra questão.

Fato é que TV por assinatura não é um serviço essencial, paga quem quer essa comodidade e vê valor no serviço.

O que da pra se argumentar é que sempre foi um serviço caro e tem toda uma burocracia envolvida, que vai além de margens de lucro. Lembro te ter um tecnocast que abordou um pouco, mas não me recordo qual.