Início » Telecomunicações » Oi vai arrecadar até R$ 2,5 bilhões para expandir internet por fibra

Oi vai arrecadar até R$ 2,5 bilhões para expandir internet por fibra

Oi irá emitir debêntures conversíveis para aumentar caixa da InfraCo; valor será utilizado para expandir internet banda larga por fibra

Lucas BragaPor

A Oi anunciou que irá emitir R$ 2,5 bilhões em debêntures conversíveis para investir na rede de fibra óptica da InfraCo. A companhia precisa dessa tecnologia para continuar relevante, e segue com a expansão da infraestrutura da banda larga Oi Fibra e planeja dobrar o número de clientes em 2021.

Modem utilizado pela Oi Fibra (Imagem: Lucas Braga/Tecnoblog)

Modem utilizado pela Oi Fibra (Imagem: Lucas Braga/Tecnoblog)

Debêntures são títulos de crédito emitidos por empresas, e o valor obtido é utilizado para que uma determinada companhia reforce o caixa e viabilize investimentos. Na prática, a Oi está vendendo uma dívida na qual a própria operadora é a devedora, de forma similar ao que acontece com títulos públicos como o Tesouro Direto. No caso da tele, a debênture é conversível e o valor investido poderá ser revertido em ações.

As debêntures conversíveis da Oi possuem garantia real pela Brasil Telecom Comunicação Multimídia (BTCM), a subsidiária da tele que responde pela InfraCo, braço de fibra óptica da companhia. Sendo assim, os recursos captados não serão direcionados para a unidade de clientes da operadora (ClientCo).

Oi Fibra teve crescimento acelerado em 2020

A Oi tem um extenso plano estratégico para colocar em prática, e a empresa quer se transformar em uma grande companhia de fibra óptica. A unidade de telefonia móvel foi vendida para Claro, TIM e Vivo por R$ 16,5 bilhões, mas o negócio ainda precisa ser aprovado pela Anatel e Cade.

Os investimentos em fibra óptica se mostraram importantes nos resultados da companhia, que está em ritmo acelerado de crescimento: a Oi atingiu a marca de 2 milhões de clientes da banda larga Oi Fibra, sendo que 1,3 milhão de acessos foram adicionados apenas em 2020.

A operadora encerrou o ano passado com disponibilidade de fibra em 9,1 milhões de casas (home passed) em 228 municípios. Para 2021, a Oi quer ter 4 milhões de clientes da Oi Fibra e cobertura em mais 94 cidades.

Oi precisa expandir fibra pra continuar relevante

A maior parte dos clientes da Oi ainda é atendida por linhas de cobre, que entrega internet por tecnologia xDSL com velocidades baixas. A empresa perdeu diversos clientes para os pequenos provedores de internet, que costumam ter um melhor serviço e mais rápido com fibra óptica.

Para continuar sendo uma operadora relevante para usuários residenciais, a Oi precisa expandir a rede de fibra com tecnologia FTTH. Para isso, a empresa irá aproveitar sua extensa rede de transporte (backbone), que possui mais de 400 mil km de cabos ópticos interligando cerca de 2.300 municípios brasileiros.

Uma forma encontrada para otimizar o investimento é transformar essa extensa malha óptica em uma rede neutra, que poderá ser “alugada” por outras empresas. A Oi busca um sócio para a unidade de fibra InfraCo, e já firmou um acordo de exclusividade com o banco BTG Pactual.

Comentários da Comunidade

Participe da discussão
9 usuários participando

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

// (@Francisco)

R.I.P pequenos provedores de capitais

Alex (@wuhkuh)

Eu não entendo real como as grandes operadoras demoram tanto pra passar a Fibra, eles tem tudo mais facilitado, tem o backbone, não precisam contratar link e nem nada, não é nada raro ver capitais e região metropolitanas inteiras sem fibra de uma das grandes operadoras, enquanto isso, qualquer empresa de bairro tem fibra até no inferno!

// (@Francisco)

Cara, a gerencia local e a equipe de vendas de um provedor grande é sempre ruim e os pequenos provedores ganham nesse quesito e isso pode explicar o motivo deles terem fibra até no inferno. kkkkk Sem contar que as grandes operadoras só contratam engenheiros, enquanto que os pequenos buscam freelancers. Tem também outros motivos como ter poucos funcionários, terceirizar serviços, lucro por cliente a partir do terceiro mês e sem fidelização (as grandes precisam de 12 só pra sair do prejuízo), compram materiais baratos de marcas pequenas (as grandes só utilizam Furukawa, Nokia, Technicolor, etc)… (a lista dos motivos é longa, deu preguiça hehe)

Na minha cidade, Belém, os pequenos provedores estão crescendo em uma velocidade absurda, enquanto que as grandes só perdem clientes. Encontro um novo provedor no GMaps, SpeedTest ou no bgp.he.net todo mês huehue

André Noia (@Andre_Noia)

Além disso, os pequenos provedores sequer pagam aluguel dos postes que carregam as fibras.
Aqui no DF estão tentando vender a empresa estatal de eletricidade alegando que ela não tem dinheiro pra investir. A empresa que arrematá-la vai pagar a compra apenas com essa cobrança dos aluguéis dos postes. Até para cobrança precisa de investimento.

André Noia (@Andre_Noia)

O futuro será bem a repetição do passado:

Internet discada: havia inúmeros provedores pequenos e regionais que foram engolidos pelos grandes (UOL, Terra, AOL). O meu provedor de fibra atual era um provedor de Internet discada!

Adsl: já era uma tecnologia restrita às empresas de telefonia. Os pequenos e regionais ficavam com rádio.

Fibra: vai acontecer a mesma coisa da época da Internet discada. As grandes ficarão nos grandes centros (e vão engolir os menores, que não terão capacidade de investimento) e os menores ficarão onde não é economicamente viável para as grandes.

Já dá pra perceber um movimento dos pequenos abaixando os preços (que já eram relativamente baixos) para competir com as ofertas atuais de Oi, Claro e Vivo (a TIM é a mais careira delas). Pra ganhar dinheiro vendendo 200 mega a 99,00 só com muito volume de assinaturas, coisa que os pequenos não vão conseguir sustentar por muito tempo devido a baixa capilaridade. Também já se observa a fusão de pequenos provedores.

// (@Francisco)

Você está enganado, dá sim pra ganhar dinheiro oferecendo 200Mbps por 99 reais e com poucas assinaturas. O custo de banda por cliente é irrisório. Com 600Mbps de Link Dedicado você consegue oferecer planos de 200Mbps para 400 clientes e ainda sobra banda.

André Noia (@Andre_Noia)

Você está corretor nesse aspecto, mas um provedor, enquanto negócio, não é feito apenas de uma simples divisão de link. Envolve marketing para captar clientes, equipe para suporte e instalação, equipamentos etc. Tudo isso vai onerando a operação, que se for pequena não vai se pagar com um pingado de assinantes.

Como exemplo: na rua da minha mãe só havia Claro e Vivo Adsl. Há vários meses chegaran dois provedores pequenos. O primeiro, bem estruturado, até propaganda na caixa tinha, mas não liberava nunca as instalações. O segundo fez um cabeamento todo errado e bagunçado, dizia que já estava liberado na região, mas sequer tinha as CTOs no local. Daí veio a Oi. Cabeou e começou a vender em 2 semanas. Abocanhou a maioria dos clientes da Claro e Vivo e deixou essas menores no limbo (não vi uma instalação deles nas ruas). O marketing da Oi Fibra todo mundo conhece.

// (@Francisco)

Lembre-se que minha resposta foi apenas para o lucro em oferecer planos de 200Mbps por 99 reais… Esse assunto já foi discutido e superficialmente esclarecido (para não prolongar) no comentário que você mesmo respondeu.

Sim, se paga. Repetindo o que falei para o Wuhkuh: Os pequenos provedores não contratam muitos funcionários e gastam pouco com infraestrutura, link, etc. Eles também terceirizam muitas coisas, então a margem de lucro é alta. (falo por experiência própria e também utilizando meus concorrentes como base) Não é à toa que virou “moda” ter provedor.

Sua rua é apenas uma exceção e exemplo do que não fazer ao abrir um provedor.

Alex (@wuhkuh)

Pois é, aqui mesmo no meu distrito tem 4 pequenas empresas, o ruim é que a melhor delas ainda consegue ser parear que a Oi ADSL, por aí você já tira, os cara cobram R$300 pra instalar e R$150 por 15MB, a rede sempre parece mega instável, você abre o Fast da Netflix pra medir e no meio do processo, dá erro de servidor, é um caos, eu prefiro morrer na Oi com 10MB, do que ficar nessa rede mal gerenciada. Tirando que eu sou do que usa a banda toda e os caras ficam loucos derrubando meu sinal, tem também aquela impressão que o cara meteu um RJ45 no roteador dele e vendeu pra mim, eu fico possesso, por isso não assino nenhum

// (@Francisco)

Alguns utilizam OI Velox mesmo, mas só os aventureiros (eles nem costumam ter CNPJ ou quando tem, utilizam CNAE errado pra sonegar e fugir da fiscalização da Anatel). Qual o nome desses provedores?

Eduardo Alvim (@Eduardo_Alvim)

@LucasBraga, mudei minha empresa de sede mês passado, para a Av. Afonso Pena, logo depois da praça Milton Campos. Estou te falando pois sei que você também é de BH. Como você também sabe, a sede da Oi é ali do lado. Então, acredita que o nosso novo prédio comercial não tem fibra da Oi? Fomos obrigados a contratar Net coaxial ou morrer em 600/mês em um link dedicado. Dureza. Precisam resolver isso urgente, rs…

imhotep (@imhotep)

Normal. Quando eu morava em BH, na Savassi, minha rua não tinha GVT (hoje Vivo) e a sede da GVT na cidade era na mesma rua, no mesmo quarteirão.
Vai da demanda que eles esperam para o local.

Trabalhei muitos anos para a Telemig Celular, Claro e Oi (no segmento móvel) e foi essa a justificativa que me deram.

No seu caso são 2 bairros consolidados (Serra e Cruzeiro) com redes consolidadas (Net, desde a época do Multi Canal). Soma-se a isso o ranço pela Oi ADSL e o fato de o mineiro ser muito apegado ao que tem, não mudando facilmente de fornecedores.

Morei na Serra tb. E essa é bem a realidade da região. Mais fácil ter Oi Fibra no Castelo ou no Fernão Dias, do que nessa parte consolidada da zona sul.

Victor Viana (@Victor_Viana)

Pela minha experiência não vale trocar os pequenos provedores pelos grandes. O suporte é melhor, infinitamente melhor, o serviço é melhor e tudo é bem menos engessado.

Mateus B. Cassiano (@mbc07)

A Vivo tem um combo com internet por fibra de 300 Mbps e assinatura padrão do Netflix (ou Disney+, você escolhe) exatamente por esse valor (129,99), desde o final do ano passado. Se quiser só a internet, sai por 124,99…