Início » Negócios » Apple nunca inovou tanto quanto em 2020, diz CEO Tim Cook

Apple nunca inovou tanto quanto em 2020, diz CEO Tim Cook

De acordo com o CEO da Apple, “não há uma fórmula para a inovação”; em entrevista, Cook exaltou o sucesso do iPhone 12 e dos chips M1

Ana MarquesPor

Você pode até discordar, mas Tim Cook acredita que 2020 foi o ano de maior inovação da Apple até agora. O CEO fez essa afirmação durante uma entrevista com um aluno da Universidade de Correios e Telecomunicações de Pequim, He Shijie. O universitário de 22 anos conduziu uma série de perguntas sobre temas como criatividade e expansão do acesso à tecnologia para idosos e pessoas em áreas rurais.

Tim Cook

Tim Cook (Imagem: Reprodução/Apple)

Shijie começa a entrevista com uma pergunta sobre a rotina de Tim Cook, para quebrar o gelo, mas em seguida aborda o processo criativo da Apple e questiona como a empresa consegue estar preparada para tantos lançamentos.

Em sua resposta, Cook afirma que “não há uma fórmula para a inovação”, e avalia que, juntando tudo o que foi apresentado sobre os iPhones, iPads, Apple Watches e os Macs com M1 em 2020, a empresa inovou mais do que em qualquer outro ano.

“Nós temos uma cultura de criatividade e uma cultura de colaboração”, explica o CEO da Apple. “Essas duas coisas juntas, quando se cruzam, criam uma enorme inovação”.

Tim Cook e He Shijie

Tim Cook e He Shijie (Imagem: Reprodução/Weibo)

O estudante chinês fez questão de elogiar a linha iPhone 12 e também deixou claro sua satisfação em relação ao Apple Silicon, devido à autonomia de bateria de seu novo MacBook Air com M1. Tim aproveitou a deixa para dizer que a Apple está surfando uma boa onda com seus smartphones, e exaltou o desempenho do novo chip para Macs: “Ele grita! É tão rápido!”.

China e novos recursos

Shijie não deixou passar a relação entre a marca norte-americana e seu país, a China. O jovem perguntou a Tim Cook se a Apple ouve e usa os feedbacks de clientes chineses para desenvolver novos recursos para seus produtos.

O CEO respondeu que há várias funções e tecnologias que a empresa desenvolve com base em feedbacks da China, e citou teclados específicos, o modo escuro e até mesmo o 5G, comentando que as questões que envolvem a cobertura da quinta geração de redes móveis está muito mais avançada por lá.

A entrevista completa pode ser vista na rede social Weibo, com legendas em inglês e chinês.

Com informações: Mac Rumors

Comentários da Comunidade

Participe da discussão
12 usuários participando

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

tec_comentarista (@tec_comentarista)

Inovou em umas áreas e também regrediu em outras (fones e carregadores que não vêm junto com os smartphones)

tec_comentarista (@tec_comentarista)

O que significa “ anamarques listou agora”?

// (@Francisco)

Significa que seu comentário (ou todos os comentários anteriores) vai aparecer lá na página da noticia

João Almeida (@Joao_Almeida)

Ele fala de forma exagerada, é claro, mas o M1 foi de fato uma grande inovação

@doorspaulo

Não concordo com o CEO.
Apesar da inovação com o M1, acho que nada superará o lançamento do iPhone.

brad (@brad)

Pode ter evoluído em algumas partes, inovado? Nem tanto.

Eita (@mandatario)

Desculpe onde o M1 é inovador?

Hélio Márcio Filho (@heliommsfilho)

Eles acertaram de primeira onde Microsoft e Qualcomm falharam e continuam a falhar. A Apple já chegou na primeira geração destruindo tudo. Movimentou um setor estagnado já tempos. Durante anos os laptops não viam ganhos significativos em performance e bateria por causa dos limites da arquitetura x86.

Pra mim soa revolucionário. Esses primeiros M1 são chips “fracos” voltados para baixo consumo e já estão batendo de frente com CPUs de desktop com TDPs altíssimos. Estou ansioso pra ver o que o Apple Sillicon de alto desempenho poderá fazer.

² (@centauro)

Considerando que ele é o CEO, é bem provável que ele tenha acesso a bem mais informação do que qualquer um de nós.
Então tem que levar isso em consideração quando ele faz uma afirmação dessas. Tem que ver o que ele está considerando como “inovação” também.

O M1, pro mercado, pode ser visto como apenas uma inovação, assim como a recarga sem fio do iPhone seria outra, mas pra Apple cada um desses exemplos pode ter sido o resultado de um conjunto de inovações diferentes que pode ser alguma tecnologia que eles aprimoraram ou algum processo interno que eles modificaram pra melhor, por exemplo.

Pode ser que ele esteja exagerando pra vender o peixe, mas inovação pode ser apenas incremental e ainda assim é inovação.

Douglas Knevitz (@Douglas_Knevitz)

Você está olhando do ponto de vista de produto, mas pense no M1 como uma prova de conceito, aí ele se torna inovador.

Combinar alto desempenho e baixo consumo, em uma arquitetura unificada, pode permitir a Apple desenhar novos produtos que antes não eram possíveis.

Douglas Knevitz (@Douglas_Knevitz)

A Microsoft nunca vai conseguir replicar o que a Apple pôs em prática. Windows vive de software legado, cada dia surge uma notícia de alguma coisa crítica ainda operando em Windows 7/XP…

Ela pode tentar, mas não vai passar de um mercado de nicho, e ela já está nisso desde 2012, não ?

A solução mais viável pra Microsoft seria se render, e ela própria otimizar seu Windows ARM para os SoCs da Apple e oferecer essa licença como um serviço. Nada impede ela de continuar o seu desenvolvimento, mas hoje a plataforma da Apple é a melhor para rodar Windows ARM.

Se as duas se unissem nisso, a Apple venderia mais Macs pela versatilidade de rodar dois OS, e a Microsoft teria em mãos uma fazenda de assinaturas.

Eita (@mandatario)

Vc falou, falou mas não disse onde esta a inovação que perguntei acima
Trazer mais velocidade e duração de bateria não inovação!

Logo vão dizer que ela por uma tela maior nos laptops deles é inovação

Eita (@mandatario)

Ainda não vi inovação nisso.
Gente, linux roda em ARM a tempos e tempos.
Sempre ultra otimizado.

A plataforma OSx usa kernel baseado em Unix, mesmos do Linux que roda a anos em
ARM.

Onde ta a inovação em rodar Unix, onde já roda Unix a anos?
Lembrando que Unix é a base.
Logo Linux é um pouco diferente.
Quem tem tempo vai poder fazer rodar Linux de boa no M1

// (@Francisco)

É difícil explicar isso pra quem não entende. A única solução é “deixar os garotos brincar” e achando que estão com a bola toda.

Há alguns anos a Scaleway (antiga Online.net) começou a oferecer servidores de baixo consumo e alto desempenho com SoC ARM, mas foi a Apple que inovou com seu M1 em 2020, não é mesmo?

Samsung já tinha ChromeBook com ARM, mas foi a Apple que inovou…

Eita (@mandatario)

Essa eu não sabia.

Exibir mais comentários