Início » Brasil » Privatização dos Correios: governo adianta detalhes sobre projeto de lei

Privatização dos Correios: governo adianta detalhes sobre projeto de lei

O presidente da República Jair Bolsonaro irá ao Congresso entregar PL que abre caminho para a privatização dos Correios

Ana MarquesPor

O Projeto de Lei dos Correios será entregue pelo presidente da República, Jair Bolsonaro, ao presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira, na Casa Legislativa na noite desta quarta-feira (24). A medida garante a universalização dos serviços postais e abre caminho para a privatização de uma das maiores estatais do Brasil.

Presidente da República, Jair Bolsonaro (Imagem: Marcelo Camargo/Agência Brasil)

Presidente da República, Jair Bolsonaro (Imagem: Marcelo Camargo/Agência Brasil)

De acordo com o secretário especial de Desestatização do Ministério da Economia, Diogo Mac Cord, a venda da estatal pode ocorrer por completa, em um oferecimento total ao mercado, ou dividida por regiões de atuação, tal qual o processo de privatização de telefonia no país. Há ainda uma terceira possível estratégia para a venda dos Correios: separar a empresa por unidades de negócios.

O PL, que estava desde outubro sob análise no Planalto, acaba com a imunidade tributária (isenção de impostos) da empresa e impõe o aumento dos indicadores de eficiência em entregas.

Semana reforça agenda de privatizações

A movimentação desta semana reafirma o comprometimento do governo com a pauta econômica liberal: na terça-feira (23), Bolsonaro esteve no Senado, em companhia do ministro da Economia, Paulo Guedes, para entregar outro projeto relacionado a privatizações – a proposta sobre a venda da Eletrobrás.

Os Correios têm atualmente 95 mil funcionários e um passivo de R$ 14 bilhões. A previsão é de que as análises sobre a modelagem econômica de privatização terminem no segundo semestre deste ano. Em seguida, será a vez da audiência pública e aprovação do Tribunal de Contas da União.

Com informações: Valor e Exame

Comentários da Comunidade

Participe da discussão
10 usuários participando

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

// (@Francisco)

Eu queria entender como uma empresa com isenção de impostos e com o frete mais caro do Brasil consegue ter tanto prejuízo e ter um serviço tão ruim ao ponto da própria população pedir a privatização da estatal.
Semana retrasada fui no CEE Cabanagem em Belém e a estrutura dos Correios está precária. As motos estão amontoadas feito lixo e também há bastante carros sucateados. Segurança é uma coisa que esse CEE desconhece, qualquer um pode entrar na sala de triagem e roubar as encomendas, pois ela fica na frente do prédio e não existe segurança na entrada, apenas uma senhora que fica no portão da garagem distribuindo senha para atendimento no CDD que fica nos fundos.

Já fui a favor da privatização, mas hoje penso que a situação dos Correios pode ficar pior com ela, já que a empresa não consegue prestar um serviço decente e ter lucro tendo isenção de impostos e sendo a transportadora mais cara, imagine com impostos e aumento de preços para manter-se economicamente estável.

João M. (@RonDamon)

Problema dela atual n é de imposto e sim de gestão incompetente. Meio que padrão de estatais. A única estatal que deve dar lucro hj em dia de forma consistente é a Petrobras, mas uns anos atrás era uma palhaçada igual.

 • 令和 • Ward'z de Souza 🇯🇵🎌🦊🔥 - Risonho e Límpido (@Wardz_de_souzA)

Tá.

Só acredito quando alguém comprar.

Não que importe agora, já que ML e Amazon conseguiram sanar as deficiências da estatal.

Adsa (@Adsa88)

O serviço de entrega de cartas não dá lucro em nenhum país e lhe garanto que nenhuma empresa privada vai querer cumprir o papel de entregar conta de água/luz/telefone/tv, documentos, telegrama etc em lugares ermos a baixo custo. Simples assim. Existem certos serviços que tem caráter social e o ANCAP médio de internet, morador de capital, nunca vai entender.

Igor Lana de Melo (@igor_meloil)

Só esperando pra ver os pseudo-ancaps entenderem q a isenção de imposto do correio serve justamente pra amezinar o preju de entregar carta na pqp do fim do mundo onde as courriers não entregam, fora a ilusão de q a empresa privada q assumir a bronca não vai ter isenção de imposto tbm, talvez até maior q a dos correios.

E digo mais, essa canetada vai ser tão maléfica para os correios quanto a troca de presidente da Petrobrás, claro, dentro de suas devidas proporções.

E digo mais, quem quiser assumir essa bomba, se é q alguém vai querer, vai fazer um serviço porco, ou cobrar um absurdo (seja da pessoa ou em isenção de impostos) ou simplesmente vai largar de fazer.

Edit: pra complementar, se acha ruim os correios, não compre em quem usa eles e quando comprar da china use UPS ou Fedex, pratique o tal boitoce q tanto falam.

Isso quando ainda mora na capital e em bairro bom, pq se morar na periferia já não é mto inteligente tbm kkkkk

André (@andre00)

Desde julho do ano passado as cartas estão chegando aqui com média de 3 meses de atraso (quando chegam). E olha que não moro no interior.

O PAC/Sedex, se aparece uma nuvem no céu, o entregador marca a encomenda como “Logradouro com numeração irregular” e volta no dia seguinte ou 2~3 dias depois. Fazem o mesmo quando o prazo está para expirar.

Pra postar um pacote é um inferno. Filas imensas, horário de funcionamento mínimo (abrem as 10h, tiram 2 horas de almoço e fecham as 15h), funcionários de má vontade ou mal educados, etc.

Se pegassem e fechassem os Correios hoje eu não sentiria falta.

Adsa (@Adsa88)

Amigo, estamos em uma pandemia e nada tá funcionando normalmente por conta do número reduzido de funcionários e Lockdown em algumas cidades.

Houve uma greve em julho, teve outro momento que alguns funcionários ficaram de 2 a 3 meses sem salário etc.

Matheus Motta (@Matheus_Motta)

Vamos virar uma colônia americana

@LeandroCSC

Privatizar sem antes reformar,reordenar,por ordem na casa é que vejo como maior problema. Querem resolver o problema na base da canetada. Como se tudo fosse ficar às mil maravilhas em um passe de mágica.

André (@andre00)

Apenas o problema das cartas começou durante a pandemia, todos os outros serviços sempre foram péssimos e só pioram ao longo dos anos (enquanto os preços só subiram).

Contas de água, luz e telefone aqui não são entregues pelo Correios há muitos anos, pois é impossível depender do serviço deles.

Ainda tem esse detalhe das greves, que todo ano ocorrem sem falta.
Os funcionários que realmente fazem o trabalho ficam sem salário enquanto os indicados políticos na administração sugam todos os recursos.

Não sou ANCAP, não, longe disso. Só disse que eu não sentiria falta se fechassem os Correios hoje, pois nenhum dos serviços deles funciona corretamente aqui.

Igor Lana de Melo (@igor_meloil)

Finalmente alguém com bom senso.

É só assim q esse governo age, não da nem pra esperar outra coisa. E ainda diz q é “pq o povo quer” ou qualquer besteira assim.

Apoio com ctz os funcionários fazerem greve justamente pelos motivos q citou.

² (@centauro)

Eu tambem não sentiria falta se fechassem todos os hospitais e escolas públicas.
Nem por isso sou a favor de fecharem ou privatizarem tudo.
Saúde, educação e serviço de entrega são alguns dos serviços essenciais e só porque eu consigo pagar opções privadas que funcionam, nunca achei que a opção pública gratuita ou subsidiada deveria acabar porque é muito pior do que as opções privadas.

Muito pelo contrário, eu acho que a opção pública deveria é ser mantida e aprimorada. Pelo tanto de imposto que pagamos, eu acho que praticamente ninguém deveria precisar ter plano de saúde privado ou pagar pra ter uma educação que faça diferença. Mesma coisa com o serviço que os Correios prestam. Manter pessoas em locais distantes conectadas ao resto do Brasil não deveria depender dessas pessoas serem abastadas o suficiente para pagar uma viagem economicamente desvantajosa para a iniciativa privada.

E outra, uma população educada e saudável é benéfico para o país como um todo, não apenas para o indivíduo. E ter um serviço de entrega funcional e acessível para todo mundo também é benéfico para o país, mantém todo mundo acessível a todos.

// (@Francisco)

Ué, nem falei de entregas de cartas no meu comentário, apenas o prejuízo no geral. Acho que respondeu o comentário errado ou faltou interpretação de sua parte.

André (@andre00)

Saúde e educação são serviços absolutamente essenciais. Em nenhum momento falei que sou a favor de privatizar nenhum dos dois. Apesar do nosso SUS ser uma grande bagunça e sofrer com falta de recursos e corrupção, é algo absolutamente essencial que jamais deve ser privatizado.

Nos EUA você vê casos de pessoas sem plano de saúde que sofrem um acidente, perdem a casa e basicamente viram moradores de rua por conta do endividamento absurdo que um internamento pode causar.

Estudei e me formei em escola pública. Faltavam livros, material, ventiladores, mesas, professores, etc, mas quem queria aprender conseguia sem problemas.

Saúde e educação são duas coisas que acredito que deveriam ser oferecidas de graça por todos os governos no mundo. Pagamos mais impostos, mas a vida de todos melhora.

A questão é que os Correios não oferecem serviços gratuitos, muito menos baratos. Você paga caro por um serviço ruim.
Pra mandar um pacote daqui do RJ pro Nordeste, por exemplo, é caríssimo e demorado.

Novamente: falei que eu não sentiria falta, porque o serviço deles aqui é tão ruim que simplesmente não tenho como usar ou depender deles pra absolutamente nada.

Você mora ou conhece alguém que more no interior? Se você mora longe de tudo, eles também não vão lá na sua casa te entregar nada. Você tem que ir até a agência mais próxima (mais próxima não quer dizer que é perto) pra retirar cartas e encomendas.

Adsa (@Adsa88)

O correios faz a entrega de encomendas e serviço postal. O que faz o correios, em grande parte, dar prejuízo é o serviço postal:

-A divisão de encomendas (dos correios) teve um lucro 5 moedas de ouro
-A divisão de serviço postal (dos correios) teve o prejuízo de 10 moedas de ouro
5-10 = faturamento do correios foi de -5 moedas de ouro (prejuízo)

Exibir mais comentários