Início » Computador » Framework Laptop pode ser atualizado e tem peças fáceis de trocar

Framework Laptop pode ser atualizado e tem peças fáceis de trocar

Framework Laptop foi projetado para ser reparado ou atualizado facilmente; portas podem ser personalizadas com módulos

Emerson AlecrimPor

Já pensou na possibilidade de personalizar um notebook com a mesma facilidade com a qual você pode montar um desktop? Essa é a proposta de uma startup de San Francisco chamada Framework. O produto da companhia é o Framework Laptop, um notebook relativamente compacto que pode ser reparado ou atualizado de vários modos.

Framework Laptop (imagem: divulgação/Framework)

Framework Laptop (imagem: divulgação/Framework)

Nirav Patel, fundador da startup, não é um novato no mercado. Ele foi um dos primeiros funcionários da Oculus e teve passagem pela Apple, por exemplo. Com base nessa vivência, o empresário acredita que o atual modelo de negócios da indústria de consumo incentiva o desperdício e a ineficiência.

É aqui que o Framework Laptop entra em cena: por ser bastante personalizável e poder ser reparado mais facilmente na comparação com notebooks convencionais, Patel entende que o equipamento deve durar muito mais tempo do que a média.

Framework Laptop: escolha o hardware

O Framework Laptop tem um conjunto de hardware padrão: o corpo é predominantemente de alumínio e pesa 1,3 kg, a tela tem 13,5 polegadas e resolução de 2256×1504 pixels, a webcam gera vídeos em 1080p e 60 fps, o teclado possui botões com profundidade de 1,5 mm quando pressionados e a bateria é uma unidade de 55 Wh.

Somente a carcaça é imutável. Os demais componentes mencionados, apesar de serem padronizados, podem ser substituídos facilmente em caso de dano ou desgaste, de acordo com a Framework.

Na verdade, qualquer componente pode ser trocado por outros com características diferentes se algum fabricante se dispuser a fornecê-los, detalhe que nos leva a outro aspecto notável do notebook: os módulos.

Chamados de Expansion Cards pela startup, esses módulos devem ser encaixados em quatro slots existentes na laterais do notebook (dois em cada lado) e permitem que o usuário escolha quais recursos de conectividade o equipamento terá. Há Expansion Cards para DisplayPort, USB-C, USB-A, HDMI e microSD, por exemplo.

Expansion Cards (imagem: divulgação/Framework)

Expansion Cards (imagem: divulgação/Framework)

Framework Marketplace

Existe também um módulo com armazenamento adicional (250 GB ou 1 TB). E muitos outros podem surgir. A ideia da startup é criar um marketplace para que terceiros possam vender Expansion Cards com diversas funções, bem como outros tipos de componentes para o notebook.

Cada peça do Framework Laptop é acompanhado de um QR Code que leva para uma página na loja online que permite a sua reposição ou troca por um componente diferente, quando for o caso.

Framework Laptop DIY Edition

O Framework Laptop vai ser oferecido em várias versões pré-configuradas. Todas poderão ser personalizadas, mas existe uma que é mais flexível nesse aspecto: a Framework Laptop DIY Edition.

Como o “DIY” no nome sugere, essa é uma versão do tipo “faça você mesmo”. A ideia é que o usuário decida quais módulos incluir no equipamento, defina o hardware básico (como o processador e a quantidade de memória RAM) e até indique o sistema operacional desejado: Windows 10 (Home ou Pro) ou Linux.

Por padrão, qualquer versão do Framework Laptop pode ser equipada com um processador Intel Core de 11 ª geração, até 64 GB de memória DDR4 e armazenamento de até 4 TB.

Porém, a placa-mãe do notebook é passível de troca. Na teoria, isso significa que chips de gerações sucessoras poderão ser suportadas em algum momento.

Framework Laptop (imagem: divulgação/Framework)

Framework Laptop (imagem: divulgação/Framework)

Disponibilidade

Nos Estados Unidos, as primeiras versões do Framework Laptop entrarão em pré-venda no próximo trimestre, quando então seus preços serão revelados. Ao The Verge, Patel garantiu que os valores serão “comparáveis aos preços de outros notebooks bem avaliados”.

Porém, mais do que os preços, a maior dúvida sobre essa iniciativa talvez seja: vai dar certo? Ideias parecidas já foram exploradas, sem sucesso, por companhias como a Dell — o Alienware Area-51m foi projetado originalmente para suportar upgrades, mas a proposta não convenceu.

Para Patel, as iniciativas anteriores não vingaram por falta de comprometimento dos fabricantes. Como a personalização é o elemento central do modelo de negócio da Framework, ele acredita no sucesso da startup: “isso não é um projeto paralelo para nós que alguém achou interessante, mas a essência da nossa empresa”.

Comentários da Comunidade

Participe da discussão
2 usuários participando