Início » Telecomunicações » Agora em órbita, eis o que o satélite brasileiro Amazonia 1 vai fazer

Agora em órbita, eis o que o satélite brasileiro Amazonia 1 vai fazer

Satélite desenvolvido no Brasil irá tirar fotos do planeta para monitorar desmatamento, agricultura e desastres naturais

Lucas BragaPor

O Amazonia 1 foi lançado ao espaço neste domingo (28), e trata-se do primeiro satélite em órbita que foi totalmente desenvolvido em território nacional. O equipamento será utilizado para observar e monitorar o desmatamento no Brasil e faz parte da Missão Amazônia, que deverá criar outros dois satélites de sensoriamento remoto.

Satélite Amazonia-1 será lançado em 28 de fevereiro (Imagem: Reprodução/INPE)

Satélite Amazonia-1 irá tirar fotos da Terra a cada cinco dias (Imagem: Reprodução/INPE)

O Amazonia 1 deverá gerar fotos do planeta a cada cinco dias, e conta com uma espécie de câmera capaz de observar uma faixa de aproximadamente 850 quilômetros. O satélite ficará numa altura de 700 km e pesa cerca de 638 kg. Por dentro, o equipamento contém 6 km de fios e 14 mil conexões elétricas.

O Brasil já possui outros satélites para sensoriamento remoto, e o Amazonia 1 se juntará ao CBERS-4 e o CBERS-4A para fornecer imagens da Terra. Além de mensurar o desmatamento de florestas naturais e cultivadas, os dados de monitoramento serão úteis para observar a região costeira, reservatórios de água, agricultura, desastres ambientais e outras aplicações.

A construção do Amazonia 1 foi feita pelo Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE), em parceria com a Agência Espacial Brasileira e coordenação do Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovações. O lançamento faz parte do programa Missão Amazonia, que prevê o desenvolvimento de outros dois satélites, o Amazonia 1B e o Amazonia 2.

O INPE afirma que o Amazonia 1 já executou as primeiras atividades em órbita, como abertura do painel solar, estabilização de sua orientação em relação à Terra e verificação preliminar dos sistemas. O equipamento ainda entrará na fase de testes para mais verificações e ajustes da câmera.

Um detalhe importante é que os dados coletados pelo Amazonia 1 estarão à disposição da comunidade científica, órgãos de governo e quaisquer interessados. A vida útil prevista para o satélite é de quatro anos.

Lançamento do satélite Amazonia 1 foi feito na Índia

Apesar de ser um satélite nacional, o equipamento foi lançado a partir da base espacial de Sriharikota, na Índia. Como aponta o UOL, o Brasil não tem um foguete com tamanho suficiente para colocar o Amazônia 1 em órbita, e esse é o motivo para que a decolagem não tenha acontecido da base de Alcântara, no Maranhão.

Além de lançar o Amazônia 1, o foguete indiano foi responsável por levar outros 18 satélites ao espaço.

Com informações: INPE

Comentários da Comunidade

Participe da discussão
4 usuários participando

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

Desenvolvimentista (@mandatario)

O satélite foi um marco histórico no âmbito nacional, apesar de não ser o primeiro brasileiro, é o primeiro projetado, produzido e testado majoritariamente pelo país. Representando um salto de tecnologia nacional, com inovações e originalidade. Destacam-se a camera WFI de alta resolução (desenvolvida pela Akaer, mesma empresa que já fabrica partes dos caças Gripen Br F39).
O sistema de estabilização e a plataforma multimissão – esta uma inovação genuinamente nacional.