Início » Aplicativos e Software » Xfce para Linux melhora gerenciador de tarefas e Thunar em nova versão

Xfce para Linux melhora gerenciador de tarefas e Thunar em nova versão

Tradicional ambiente de desktop para Linux, Xfce teve nova versão em dezembro (2020) e trouxe mais melhorias em fevereiro

Emerson AlecrimPor

Com 25 anos de existência, o Xfce é um ambiente gráfico para desktop bastante popular entre usuários de Linux (e outros sistemas baseados em Unix) por sua leveza e facilidade de uso. No final de 2020, o Xfce 4.16 foi lançado e trouxe vários avanços para a sua interface. Mas novidades continuam chegando: o Xfce 4.16.3, anunciado em fevereiro, melhora o gerenciador de arquivos Thunar, por exemplo.

Layout padrão do Xfce 4.16 (imagem: Sean M. Davis)

Layout padrão do Xfce 4.16 (imagem: Sean M. Davis)

Quando o Xfce 4.16 foi liberado, a principal novidade da versão girou em torno da plena adoção do GTK3, ambiente de desenvolvimento específico para interfaces e, naturalmente, mais avançado que a versão anterior, o GTK2.

Na ocasião, o gerenciador de arquivos Thunar também foi atualizado. A ferramenta recebeu a opção de permitir que o usuário pause uma operação de copiar ou mover arquivos e passou a possibilitar transferências com fila de espera, por exemplo.

Com o Xfce 4.16.3, os ajustes no Thunar continuaram. O gerenciador agora pode exibir todos os volumes de armazenamento existentes por padrão, corrige falhas e atualiza as traduções para diversos idiomas (incluindo o português).

Task Manager do Xfce (imagem: Twitter/XfceNation)

Task Manager do Xfce (imagem: Twitter / XfceNation)

O gerenciador de tarefas (Task Manager) do Xfce também ganhou correções para bugs e agora tem um padrão de cor que funciona tanto com temas claros quanto escuros.

Já a barra de tarefas do Xfce (Xfce Panel) também foi atualizada para adicionar uma documentação mais moderna e traduções mais recentes, bem como para suportar novos layouts: o Xfce 4.16 (padrão), o Cupertino (em alusão ao macOS) e o Redmond 7 (remete ao Windows).

Layout Redmond 7 do Xfce (imagem: Sean M. Davis)

Layout Redmond 7 do Xfce (imagem: Sean M. Davis)

Outras novidades incluem atualizações de plugins e no Mousepad, editor de textos padrão do ambiente de desktop.

São mudanças pequenas se olharmos só para o Xfce 4.16.3. No entanto, elas jogam luz para os esforços contínuos que permitem que um projeto como esse exista por tanto tempo e, com isso, mantenha a relevância.

Mais detalhes no site oficial do Xfce.

Com informações: 9to5Linux.

Comentários da Comunidade

Participe da discussão
6 usuários participando

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

Sérgio (@trovalds)

Gosto do XFCE. Só que ele ainda está parado no tempo em matéria de interface. Tudo bem que o foco dos desenvolvedores não é ter um visual arrojado e sim a estabilidade do sistema. Pelo menos eles finalmente deixaram pra trás o GTK+ 2, que já é uma biblioteca praticamente sem suporte nenhum pela idade.

Fora que é uma interface leve e que roda tranquilamente em máquinas mais antigas sem problemas e sem engasgos.

imhotep (@imhotep)

Também gosto e uso o XFCE desde o fim do Gnome 2.
Mas ele está longe de ser um primor visual, mesmo fazendo personalizações. O que é legal no início, mas depois passa a ser um saco.

Sérgio (@trovalds)

MATE = fork do GNOME 2.2x.

Goku SSGSS (@renatodantas)

Quem quer beleza, vai pro KDE ou pro Elementary.

imhotep (@imhotep)

É uma também.
Mas tenho preferido a leveza do XFCE.

imhotep (@imhotep)

Essa cara de MacOS do elementary é bem simples de replicar no XFCE, sem o Pantheon.

Jhonny (@jokalokao)

Tá aí um que nunca gostei, KDE. Sempre achei uma confusão.

Minhas preferências: Gnome, XFCE e Cinamom.
Se eu tivesse mais tempo pra ficar configurando, voltava pro i3wm

imhotep (@imhotep)

O visual do KDE é bem datado tb, apesar de eu gostar.
Tb deixei o KDE, mais ou menos na época do fim do Gnome 2, qd o KDE instituiu o Plasma, se não me engano, na versão 4. Melhorou muito desde então, mas naquela época era muito confuso, o q me fez desistir dele e buscar algo mais simples, como o XFCE.

Detestava aquele widget folderview.

Goku SSGSS (@renatodantas)

Essa widget de folder era uma desgraça mesmo. Totalmente incoerente como o padrão dos outros 99% dos desktops.

Mas as versões mais novas já removeram (ou, se ainda há, nem uso). Voltou a ser um diretório/atalho normal.

Rafael Machado de Souza (@rafael.mds)

Além de bonito o KDE tá muito leve.

Rafael Machado de Souza (@rafael.mds)

Eu usei muito KDE 3.x, mas quando introduziram o Plasma meu computador já não deu mais conta… e também achei uma bagunça…
Agora no Plasma 5 eu não consigo mais usar outro ambiente. Tá muito pratico e muito leve.