Início » Celular » Celulares Samsung são vendidos sem apps do Google para maior privacidade

Celulares Samsung são vendidos sem apps do Google para maior privacidade

Os smartphones da eFoundation são equipados com o sistema operacional de código aberto /e/OS, em vez do Android

Murilo TunholiPor

A eFoundation começou a vender celulares livres de qualquer aplicativo do Google nos EUA e Canadá. Os aparelhos comercializados são os Galaxy S9 e S9 Plus, da Samsung, que custam 380 dólares (cerca de R$ 2.187 em conversão direta) e 430 dólares (por volta de R$ 2.475), respectivamente. Esses smartphones são de segunda mão e vendidos com o sistema operacional de código aberto /e/OS, em vez do Android tradicional.

Galaxy S9 e S9+ são vendidos sem aplicativos do Google (Imagem: Divulgação/eSolutions)

Galaxy S9 e S9+ são vendidos sem aplicativos do Google (Imagem: Divulgação/eFoundation)

Como os celulares com /e/OS funcionam?

O /e/OS é um sistema operacional desenvolvido em código aberto, e funciona da mesma forma que o Android, só que não tem os aplicativos do Google pré-instalados. A ideia é garantir a privacidade dos usuários, já que muitos apps da empresa coletam dados em segundo plano, como localização, informações bancárias, endereço, entre outros.

Vale mencionar que os aplicativos normais do Android ainda funcionam no /e/OS. Muitos apps dependem dos serviços da Google Play, e podem nem abrir quando são executados em um sistema customizado. A solução da eFoundation foi usar o MicroG, um software que permite aos aplicativos usarem as APIs do Google mesmo fora do Android.

O sistema é definido como “um projeto não lucrativo de interesse público”. O /e/OS foi desenvolvido por Gaël Duval, o fundador da Mandrake Linux.

Loja de aplicativos do /e/OS. (Imagem: Divulgação/eFoundation)

Loja de aplicativos do /e/OS. (Imagem: Divulgação/eFoundation)

Os celulares equipados com o /e/OS são vendidos na eSolutions Shop. A loja virtual iniciou as atividades há cerca de um ano na Europa, e tinha no catálogo apenas modelos exclusivos da região, como o Fairphone 3+.

De acordo com a eFoundation, os celulares passam por uma análise antes de serem vendidos. Assim, é possível assegurar que os telefones estão em bom estado e totalmente funcionais. Além disso, a empresa oferece um ano de garantia para os dispositivos, incluindo os Galaxy S9 e S9+ usados, e pelo menos três anos de atualizações para o sistema operacional.

Por ser um gratuito e em código aberto, qualquer pessoa pode instalar o /e/OS de casa. A ideia da eFoundation é vender os celulares com o sistema pré-instalado para pessoas que procuram um dispositivo limpo, mas têm receio de substituir o Android por uma plataforma customizada.

Para os usuários que querem se aventurar no mundo das ROMs customizadas, o /e/OS está disponível para download no site oficial da eFoundation. O sistema é compatível com 138 dispositivos, mas cerca de 60 deles podem usar a última versão do sistema.

Com informações: Arstechnica, AndroidPolice.

Comentários da Comunidade

Participe da discussão
5 usuários participando

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

Eu (@Keaton)

Interessante. Pegam smartphones velhos, tiram a compatibilidade dos apps e vendem por um preço acima dos novos? Pode isso, Arnaldo?

² (@centauro)

Bom, é basicamente um smartphone sendo vendido com uma custom ROM já instalada.
A base continua sendo Android e a vantagem é que você tem um ano de garantia pela loja (não sei contra o que que é essa garantia, mas enfim) mais três anos de atualizações garantidas e não tem a dor de cabeça de ficar tendo de aprender a instalar uma ROM por conta.

Eu (@Keaton)

A desvantagem é que tu dança se precisar de qualquer coisa que precise dos APIs do Google… tipo Uber.

Victor (@vsoco)

Vale mencionar que os aplicativos normais do Android ainda funcionam no /e/OS. Muitos apps dependem dos serviços da Google Play, e podem nem abrir quando são executados em um sistema customizado. A solução da eFoundation foi usar o MicroG, um software que permite aos aplicativos usarem as APIs do Google mesmo fora do Android.

² (@centauro)

O MicroG inclui:

Service Core (GmsCore) is a library app, providing the functionality required to run apps that use Google Play Services or Google Maps Android API (v2). Services Framework Proxy (GsfProxy) is a small helper utility to allow apps developed for Google Cloud to Device Messaging (C2DM) to use the compatible Google Cloud Messaging service included with GmsCore. Unified Network Location Provider (UnifiedNlp) is a library that provides Wi-Fi- and Cell-tower-based geolocation to applications that use Google’s network location provider. It is included in GmsCore but can also run independently on most Android systems. Maps API (mapsv1) is a system library, providing the same functionality as now deprecated Google Maps API (v1). Store (Phonesky) is a frontend application providing access to the Google Play Store to download and update applications. Development is in early stage and there is no usable application yet.

Então apps que precisam das APIs deveriam funcionar em sua maioria.

Eu (@Keaton)

Ah, tinha esquecido da existência do microG. hahaha

² (@centauro)

Pois é.
Eu não sei qual o nível de privacidade que o MicroG oferece de fato, mas é a solução que praticamente todos os custom roms usam pra oferecer acesso aos apps que precisam dos APIs do grande G.