Início » Computador » Qualcomm Snapdragon SC8280 para PCs deve ser rival do Apple M1

Qualcomm Snapdragon SC8280 para PCs deve ser rival do Apple M1

Processador Snapdragon SC8280 com tecnologia ARM pode ser a tentativa da Qualcomm de emplacar de vez em PCs

Emerson Alecrim Por

A essa altura, ninguém tem dúvida de que o M1 é um grande acerto da Apple. Pode ser que, em um futuro relativamente próximo, usuários de PCs consigam usufruir de um chip equivalente: crescem os rumores sobre a Qualcomm estar trabalhando em um processador de codinome Snapdragon SC8280 que poderia, finalmente, fazer a plataforma ARM vingar no Windows.

Qualcomm Snapdragon (imagem: divulgação/Qualcomm)

Qualcomm Snapdragon (imagem: divulgação/Qualcomm)

Não que a Qualcomm já não tenha tentado. Em 2019, a companhia apresentou o Snapdragon 8cx, processador com arquitetura ARM desenvolvido especialmente para notebooks com Windows 10. No mesmo ano, a Samsung anunciou o Galaxy Book S, notebook ultrafino baseado nesse chip.

Graças ao novo processador, o laptop da Samsung consegue alcançar autonomia de até 23 horas, uma duração de bateria impressionante para um computador tão portátil.

Mas, apesar dos esforços da Qualcomm, notebooks com tecnologia ARM ainda esbarram em problemas de compatibilidade com softwares e inconsistências no desempenho. Foi por isso, provavelmente, que a Samsung lançou uma versão do Galaxy Book S com chip Intel Lakefield no ano seguinte.

Em novembro de 2020, a Qualcomm anunciou o Snapdragon 8cx Gen 2, mas essa versão trouxe apenas suporte melhorado a tecnologias de conectividade. Praticamente nada mudou no quesito desempenho na comparação com o primeiro 8cx.

Galaxy Book S (imagem: divulgação/Samsung)

Galaxy Book S (imagem: divulgação/Samsung)

Snapdragon SC8280: mais desempenho

Se os rumores estiverem certos, a Qualcomm vai esboçar uma reação verdadeira com o Snapdragon SC8280. As primeiras informações sobre esse chip surgiram em janeiro e dão conta de que ele será tecnicamente parecido com o Snapdragon 888.

Parecido até certo ponto. O Snapdragon 888 tem o Cortex-X1 como núcleo principal, três núcleos Cortex-A78 de alto desempenho e quatro núcleos Cortex-A55 para tarefas simples. Já o Snapdragon SC8280 poderá combinar apenas núcleos de alto desempenho, mas com frequências diferentes, de acordo com informações recentes do site alemão WinFuture.

Pelo menos duas versões do chip estariam sendo testadas pela Qualcomm, ainda de acordo com o veículo. Uma delas supostamente conta com quatro núcleos de alto desempenho identificados como “Gold+” mais quatro núcleos “Gold”. Eles teriam frequências de 2,7 GHz e 2,43 GHz, respectivamente, e essa seria a diferença primordial entre eles.

GPU Adreno 690 e NPU para tarefas de inteligência artificial também fariam parte das especificações do novo chip.

No fim das contas, o objetivo da Qualcomm seria um só: fazer do Snapdragon SC8280 um chip ARM com muito mais desempenho em relação aos modelos Snapdragon 8cx e, assim, torná-lo um equivalente do Apple M1 para o segmento de PCs.

Mas convém controlar as expectativas. A Qualcomm não comenta o assunto e tudo ainda está na fase dos rumores.

Comentários da Comunidade

Participe da discussão
13 usuários participando

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

Breno (@bbcbreno)

Acredito muito que o ARM vingará nos PCs e se a Intel n se reinventar, perderá muito espaço. Claro que isto levará tempo para acontecer.

E aqui temos uma grande vantagem no macOS. A Apple dita o fluxo, ela fornece um compilador para ARM e todos os devs de mac vão atrás disso pq n querem ficar atrás. E coisa de 1 ano os principais e a grande maioria dos apps do macOS já terão suporte ao M1.

Já no Windows… vai se arrastar por muito tempo. Até inúmeras tecnologias suportarem ARM, MS investir pesado nisso e os devs se envolverem… pff! Vai custar pra isso rolar. Talvez mais de 1 década.

Matheus Motta (@Matheus_Motta)

Poderiam arranjar um nome mais comercial…

Sérgio (@trovalds)

Pelo jeito não leu a notícia direito…

Enfim, pro ARM vingar nos PCs o que precisa acontecer é haver suporte. E nisso nem MS nem Linux Foundation (mantenedora do Kernel Linux) parecem estar dando muita importância por hora.

Do lado da MS até tivemos tentativas (ruins) antes mas os rumores apontam pra uma nova versão com compatibilidade pra ARM. Enfim, ainda tudo também no campo dos rumores.

Do lado do Linux: só mais recentemente o suporte do kernel pra ARM64 começou a ter desenvolvimento suficiente pra ser promovido a estável. Mas ainda assim precisa de muito investimento pra tornar de fato estável a ponto de ter uma versão LTS e pelo que os mantenedores sinalizam isso não vai ocorrer tão cedo.

Sem contar com a questão dos desenvolvedores, que precisam ter interesse em portar suas aplicações pra ARM. E pra isso a Qualcomm precisa disponibilizar os tech papers dos seus produtos pra que desenvolvedores de compiladores e ferramentas afins possam trabalhar em cima dele. Nesse sentido de liberar esse tipo de documentação a Qualcomm é bem tranquila até.

Rmcrys (@rmcrys)

Sem dúvida, concordo com você. ARM é o futuro até haver uma revolução no x86; eu tenho um Mac Mini M1 e é incrível o quão rápido e silencioso é!

André Gorgen (@Banana_Phone)

Em uns 2 anos ninguém mais irá cogitar comprar um Macbook com Intel, enquanto isso, daqui uns 5 anos Windows com ARM ainda deverá ser bem limitado e com certeza será apenas uma minoria.
Foi o que a minha bola de cristal disse.

Juliano Machado Olivetti (@Juliano_Machado_Oliv)

Microsoft não faz/projeta semicondutores, fica sempre dependente do que Intel/AMD ou outro player que desenvolva projetos em ARM trabalhe com soluções mais competitivas. Além de que o maior interessado no caso deveria ser a própria Qualcomm, afinal a Microsoft segue com seu ecossistema sendo preservado no X86 sem muita ameaça. A solução da Apple é sim mais eficiente no momento, mas como destaque no seu público de nicho, pouco influindo no gigantesco ecossistema Microsoft.