Início » Finanças » Como funciona o aluguel de ações?

Como funciona o aluguel de ações?

Apenas um empréstimo; saiba como funciona o aluguel de ações e descubra como pode ser vantajoso esse método de investir

Leandro Kovacs Por

A aquisição temporária de ativos traz vantagens para doador e tomador. Veja abaixo, como funciona o aluguel de ações na bolsa de valores e como esse método de investimento pode aumentar a lucratividade da sua carteira.

Como funciona o aluguel de ações (Imagem: Austin Distel/Unsplash)

Como funciona o aluguel de ações (Imagem: Austin Distel/Unsplash)

O que é aluguel de ações?

Aluguel de ações é um método de investimento onde não existe a aquisição efetiva de uma ação. É a operação em que o investidor, conhecido como doador, disponibiliza suas ações para o comprador, chamado de tomador, por uma garantia e uma taxa prefixada.

Como funciona o aluguel de ações?

Basicamente, o acordo deve ter uma remuneração, garantia e prazos específicos. Alguns tipos específicos de ativos podem ser locados, entre eles destacamos:

  • Ações;
  • Units (ações compostas por ordinárias e preferenciais);
  • ETFs (Exchange Traded Funds);
  • BDRs (Brazilian Depositary Receipts).

O funcionamento do aluguel de ações é semelhante ao processo de alugar uma casa ou um equipamento ou carro, por exemplo. O primeiro passo vem do doador. Ele precisa informar à corretora sobre o interesse em alugar os papéis, com a definição da quantidade, remuneração e prazo.

A partir desse momento, o tomador que busca a locação, deve se adequar às garantias exigidas pela corretora do doador. Essa garantia pode ser feita com ativos como: títulos do Tesouro Direto, CDBs, LCI/LCA e inclusive outras ações.

Essa garantia é necessária para que seja coberta a liquidação do aluguel no fim do contrato. Após cumprida as exigências o tomador já pode alugar as ações. O papel da corretora é ligar as duas partes interessadas na transação. Na efetivação, ocorre a transferência das ações do doador para o tomador até o prazo estipulado em contrato.

Quem pode alugar ações?

O empréstimo de ações é um serviço que pode ser utilizado pelos investidores em geral sejam pessoas físicas ou jurídicas. Instituições financeiras também são permitidas, porém, existem algumas restrições legais que devem ser observadas.

Quais os custos do aluguel de ações?

O custo inicial para locação de ações é determinado em contrato, o doador determina uma taxa em cima do valor dos ativos por ano. Este valor é repassado ao tomador proporcionalmente pelo tempo de duração do contrato.

No caso do tomador negociar os papéis alugados e não conseguir comprá-los de volta até a liquidação do contrato, será necessário ressarcir o doador no valor integral do contrato que foi estabelecido. Outro custo para o tomador é o IR, sendo cobrado apenas sobre os rendimentos da operação com os ativos alugados.

Quais são as vantagens do aluguel de ações?

Ambos os lados têm vantagens no aluguel de ações, tanto o doador como o tomador. É possível destacar os pontos positivos assim:

Doador

  • Recebimento de remuneração no valor acordado com o tomador;
  • Autonomia para estabelecer qual será o prazo de vencimento da locação;
  • Rentabilidade com a carteira de ações;
  • Reembolso ajustado dos juros e dividendos das ações alugadas durante o período do empréstimo;
  • Sem custos;
  • Operação segura garantida pela CBLC (Companhia Brasileira de Liquidação e Custódia).

Tomador

  • Oportunidade de realizar vendas a descoberto;
  • Chance de ganhar com a oscilação do mercado nas operações de curto prazo.

O fator mais interessante para o tomador é alavancar sua rentabilidade negociando papéis que de fato não são seus, um investimento muito maior poderá ser feito, juntando os ativos do tomador juntamente com os alugados.

Quais são as desvantagens do aluguel de ações?

Não é tão simples dizer que são desvantagens, mas existem direitos e deveres de ambas as partes envolvidas no aluguel de ações.

Direitos do doador

  • Receber os aluguéis dos ativos estabelecidos no contrato;
  • Continuar a ser remunerado pelos proventos dos papéis.

Deveres do doador

  • Não negociar as ações emprestadas;
  • Transferência do direito do voto nas assembleias para o tomador durante a vigência do contrato.

Direitos do tomador

  • Vender as ações sob a cotação e período desejados sem qualquer influência do doador;
  • Exercer o poder de voto nas assembleias, no caso do aluguel de ações ordinárias.

Deveres do tomador

  • Pagar a taxa de aluguel determinada no contrato;
  • Devolver os ativos alugados na mesma quantidade. A liquidação leva três dias úteis, então é necessário fazer a compra com esse prazo de antecedência;
  • Oferecer a garantia exigida pela BM&F Bovespa e Corretora.

Conclusão

Para a posição de tomador, o ideal é ter mais experiência no mercado financeiro ou perfil arrojado. Assim, a probabilidade de fazer bons negócios é maior. Agora, já tem uma noção de como funciona o aluguel de ações, basta investir. Boa sorte.

Com informação: B3, Clear, BTG Pactual

Comentários da Comunidade

Participe da discussão
1 usuário participando