Início » Finanças » Carta da DC Comics que proíbe venda de NFTs vira ativo digital NFT

Carta da DC Comics que proíbe venda de NFTs vira ativo digital NFT

DC Comics proíbe venda de NFTs com seus personagens; carta de aviso é ironicamente digitalizada e vai a leilão como NFT

Bruno IgnacioPor

A DC Comics emitiu recentemente um comunicado para todos os artistas vinculados à produção de seus quadrinhos de super-heróis. A empresa proibiu a comercialização de artes com seus personagens, com ênfase nas produções digitais como tokens não fungíveis. Ironicamente, até mesmo essa carta de aviso virou um NFT e está a leilão.

Ilustração da Mulher-Maravilha feita por José Delgo e vendida como NFT (Imagem: Reprodução)

Ilustração da Mulher-Maravilha feita por José Delgo e vendida como NFT (Imagem: Reprodução)

DC Comics versus NFTs

Na quinta-feira (11), a DC comics enviou uma carta a todos os seus desenhistas fixos e freelancers esclarecendo que a comercialização de NFTs e artes que incluam personagens de seus quadrinhos está proibida. Acontece que tokens do tipo já foram criados e vendidos por milhões de dólares utilizando a propriedade intelectual da empresa, mas ela mesma não ganhou nada por isso.

“Enquanto a DC examina as complexidades do mercado de NFTs e trabalha em uma solução razoável e justa para todas as partes envolvidas, incluindo fãs e colecionadores…  Não é permitida a oferta de venda de quaisquer imagens digitais com propriedade intelectual da DC, sejam como NFTs ou não, criadas para publicações da DC ou fornecidas fora do escopo de um compromisso contratual”, diz a carta.

Para a DC, esses NFTs seriam algo como produtos não licenciados por ela que estão sendo vendidos irregularmente utilizando sua propriedade intelectual. O gatilho para isso foi o leilão de um NFT da Mulher-Maravilha no começo de março. José Delbo, ex-ilustrador da DC e da Marvel, foi o desenhista da super-heroína nos anos 70 e 80. Hoje com 87 anos, ele criou sua própria série de artes digitais da personagem e a vendeu em leilão por US$ 1,85 milhões.

Carta de aviso vira NFT

Em um movimento claramente irônico, a carta de aviso enviada pela DC Comics foi digitalizada, registrada como NFT e posta a leilão nas plataformas Open Sea e Zora por um usuário chamado Sean Bonner. Até o momento, o lance mais alto é de US$ 946. Na descrição do token, consta: “Tinta em papel, fita de celofane. (2021)”.

Carta de aviso da DC Comics, proibindo seus artistas de venderem artes em NFT (Imagem: Reprodução)

Carta de aviso da DC Comics, proibindo seus artistas de venderem artes em NFT (Imagem: Reprodução)

DC planeja entrar no mercado de NFTs

Um dos motivos centrais para a decisão da empresa é que ela também planeja entrar no mercado de NFTs, por isso seria um problema se qualquer pessoa pudesse sair por aí criando e vendendo artes com seus personagens. Jay Kogan, Vice-Presidente Sênior de Assuntos Jurídicos da DC Comics, decidiu proibir todos os seus artistas com algum vínculo contratual de fazê-lo.

“A DC está explorando oportunidades para entrar no mercado de distribuição e venda de arte digital original com NFTs, incluindo tanto novas artes criadas especificamente para o mercado NFT, quanto artes originais renderizadas para as publicações de quadrinhos”, diz a carta.

Mesmo assim, se trata de um terreno ainda não regulamentado, portanto é uma tarefa difícil para a DC Comics reprimir toda a criação e venda de NFTs com seus super-heróis. Enquanto a empresa pode impor a seus contratados a proibição, ainda é incerto o que ela pode fazer quanto a pessoas como José Delbo, que hoje não possui nenhum vínculo com a DC.

Com informações: Gizmodo

Comentários da Comunidade

Participe da discussão
8 usuários participando

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

Kleverton Soares (@Kleverton)

Quando sai o Tecnocast sobre NFT? Até agora não entendi porque tem gente gastando rios de dinheiro com isso.

Bruno Peres Vieira (@bvieira)

É um colecionável virtual. A ideia de gastar rios de dinheiro com isso é a mesma de quem coleciona quadrinhos, action figures ou qualquer outra coisa física.

Kleverton Soares (@Kleverton)

Mas tipo, o que impede que este arquivo seja copiado? Quando eu for mostrar para alguém NFT da carta da DC como eu provo que aquele é o original?

Aliás, como eu exibo isso? Abro um pdf no pc e digo, olha, só eu tenho isso! kkkkk

Matheus Motta (@Matheus_Motta)

Não tem como evitar “pirataria” por assim dizer (qualquer um pode fazer algo sem precisar de autorização da detentora dos direitos dos personagens), por isso que esse sistema é uma b****

João M. (@RonDamon)

Confirmam originalidade por blockchain, estilo criptomoeda. Pelo menos é isso que entendi, mal li sobre as NFTs.

Felipe Ferraro (@Felipepperoni)

Complementando com que disseram e com o que eu entendi (eeu achho)

É como ter um item de coleção, ou item de acumulo como preferir. Você e qualquer um pode comprovar a originalidade via blockchain, mas ele não é seu de fato, como uma action figure física (que por sua vez é uma das várias replicas da original).
E claro, nada impede vc de modificar ou criar uma parecida e lançar no multiverso como NFT com seu nome e bingo! Outros farão o mesmo.

Robson c (@Robson)

Vocês não entenderam o ponto (e acho que isso é culpa dos meios de comunicação e noticias). Não li muito sobre NFT, mas entendo um pouco sobre blockchain. A questão não é impedir cópia. Isso pode ser feito com um printscreen. A questão é registrar de forma IMUTÁVEL e validar a posse.
Você por exemplo pode criar uma imagem no seu celular, mas se perder o celular ou se o servidor do google der pau, ou te banirem, você perde essa imagem pra sempre. Algo no blockchain vai sempre estar lá e de forma descentralizada (em teoria), sem necessidade de permissão ou regulamentação de uma empresa.

Marco Túlio Rezende (@Marco_Tulio_Rezende)

Aí o cara vai lá, shift + del + OK, pronto não tem mais