Início » Carro » China restringe uso de carros da Tesla por medo de espionagem dos EUA

China restringe uso de carros da Tesla por medo de espionagem dos EUA

Governo chinês suspeita que veículos da Tesla repassam aos EUA informações que colocam em risco a segurança nacional

Victor Hugo SilvaPor

A China quer limitar o uso de carros da Tesla devido à suspeita de que eles são usados na espionagem dos Estados Unidos. Após revisão de segurança nos veículos da montadora, o governo chinês concluiu que eles podem ser utilizados para vazar informações que colocam em risco a segurança nacional.

Tesla Model S (Imagem: Divulgação/Tesla)

Tesla Model S (Imagem: Divulgação/Tesla)

Segundo fontes do Wall Street Journal, o governo chinês proibiu o uso de carros da Tesla por militares e funcionários de estatais. A determinação também prevê que os veículos da montadora não podem ser estacionados em residências de funcionários de setores sensíveis e agências de governo.

A medida teria sido adotada por conta do medo de que os carros gravem vídeos e capturem dados de forma constante. Entre os itens que estariam em risco, está a lista de contatos dos motoristas, que pode ser sincronizada entre o celular e o veículo. A China desconfia que as informações podem ser repassadas aos EUA.

Os veículos da Tesla têm 8 câmeras e 12 sensores ultrassônicos para ajudar os motoristas na direção, além de um radar dianteiro voltado ao Autopilot. O Model 3 e o Model Y contam ainda com uma câmera sobre o espelho retrovisor, que funciona como um sistema de segurança do carro.

A Tesla afirma que coleta dados, mas explica que isso só ocorre com o consentimento dos usuários. “A política de proteção de privacidade da Tesla está em conformidade com leis e regulamentações chinesas. A Tesla atribui grande importância à proteção da privacidade dos usuários”, afirmou a montadora ao WSJ.

China segue movimento dos EUA

A decisão do governo chinês é parecida com a tomada pelos EUA em 2019, quando aplicou sanções à Huawei. O Congresso americano também aprovou uma lei que impediu agências de comprarem equipamentos de várias empresas da China. O governo dos EUA trabalhou ainda para que o TikTok vendesse sua operação no país.

Por enquanto, a restrição da China aos carros da Tesla vale apenas para pessoas próximas ao governo. Caso a medida seja levada para toda a população, a montadora poderá ser prejudicada em um de seus principais mercados. A companhia vendeu cerca de 500 mil carros em 2020 e, segundo a China Passenger Car Association, 138 mil unidades do Model 3 foram vendidas aos chineses.

Comentários da Comunidade

Participe da discussão
6 usuários participando

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

Claudio (@claudio)

Parece que o jogo virou, não é mesmo?

Matheus Motta (@Matheus_Motta)

Voltamos pra guerra fria??

Douglas Knevitz (@Douglas_Knevitz)

Desconsiderando as tensões políticas, está certo. Como um funcionário de uma instalação militar (as vezes secreta) vai ir até lá com um carro que pode e tem hardware para gravar acontecimentos ou mesmo enviar dados de localização. Não é uma atitude sensata.

Algo similar aconteceu nos Estados Unidos, com militares que usavam Apple Watch e estavam conectados a um app que compartilhava rotas mais usadas. Em pouco tempo descobriu-se várias instalações que não deveriam estar amostra.

João M. (@RonDamon)

Que hipocrisia gostosa.

Jedielson (@Jedielson)

Sensatos, porém a China não tem o mesmo poder de barganha que os EUA, se prejudicar muito as empresas Americanas (e as grandes) pode ocorrer um embargo gigante às empresas Chinesas ou coisas vindo de lá.
As empresas precisam da China o quanto ela precisa das empresas, mas não é como se faltasse mercados viáveis para fabricação de produtos, nisso a China pode acabar querendo morder mais do que consegue e se ferrar bonito.