Início » Jogos » Jogo do PlayStation Studios chega ao Xbox Game Pass no lançamento

Jogo do PlayStation Studios chega ao Xbox Game Pass no lançamento

MLB The Show 21, jogo do PlayStation Studios, chegará ao Game Pass no mesmo dia em que chega às lojas para todo mundo

Felipe VinhaPor

MLB The Show 21 será lançado para o Xbox Game Pass no mesmo dia em que chega às lojas, em 20 de abril. O detalhe importante é que se trata de um jogo produzido pelo PlayStation Studios, da Sony. O game já havia sido confirmado como multiplataforma neste ano, mas agora veio a adição ao Game Pass.

MLB The Show 21 será o jogo do PlayStation no Game Pass (Imagem: Reprodução)

MLB The Show 21 será o jogo do PlayStation no Game Pass (Imagem: Reprodução)

A partir de 20 de abril o jogo poderá ser aproveitado por quem tem Xbox One, Xbox Series X|S e também em celulares Android, para quem usa o xCloud – desde que tenha a assinatura do Xbox Game Pass ativa.

Outro ponto curioso é ver o trailer de lançamento do game, que traz os símbolos do PlayStation e do Xbox, lado a lado:

Vale lembrar que o game também sai para PS4 e PS5, mas o título será vendido normalmente nestas plataformas, com preços entre US$ 60 e US$ 70.

Multiplayer e progressão crossplataforma

As edições para Xbox One, Xbox Series S e Xbox Series X de MLB The Show 21 terão até mesmo multiplayer crossplataforma, ou seja, que funciona com outros consoles, como PS4 e PS5, independente do fabricante.

O game também terá progressão e saves independentes de um console para outro. Quem começar a jogar no Xbox, pode continuar de onde parou no PlayStation, se tiver as duas versões. Isso já acontece em outros games, como Fortnite, mas é a primeira vez que rola em um exclusivo da Sony – que não é mais.

Apesar de não ser muito conhecido no Brasil, por ser um título e baseball, ele é muito querido nos EUA e faz grande sucesso por lá. O lançamento multiplataforma pode ser um passo importante para que mais jogos sigam este caminho no futuro.

Com informações: Xbox.

Comentários da Comunidade

Participe da discussão
10 usuários participando

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

wesley soares (@wesley_soares)

A tendência é q marca PlayStation virar uma produtora de jogos somente e embarcar os jogos em outras plataformas.
Infelizmente ou felizmente o mercado tende ao streaming e a Sony não se preparou adequadamente para oferecer hardware em nuvem, a Amazon e a Microsoft por exemplo eles têm os próprios servidores, desenvolvidos ao longo de décadas para suportar as outras empresas, logo, muito provavelmente as duas empresas oferecerão toda a infraestrutura para streaming para as companhias usarem em seus jogos, aí te pergunto, pq embarcar no PlayStation, se você (ela, Ubisoft etc…) pode subir seu jogo no servidor no Azure(xbox) ou AWS e ofertar por lá?

Pelo menos a Sony em um ponto ela se preparou, começou a comprar bem cedo vários estúdios e a fazer os próprios jogos, mais ou menos a mesma iniciativa que teve a Netflix quando entendeu que a Disney, HBO etc… Seguiriam o mesmo caminho, e passou a focar em produções próprias.

Claro que muita água vai rolar ainda até chegarmos a esse ponto, mas os movimentos parecem bem claros já pra qual rumo cada companhia vai tomar.

Pericles Cipriano (@Pericles_Cipriano)

Ok, isso foi inesperado.

Vou jogar? Provavelmente não, mas é bizarro ver um jogo que na plataforma da própria desenvolvedora tá custando R$ 299,90 saindo de graça no serviço do concorrente. Acho que os brasileiros não se importam muito com esse jogo, mas nos EUA ele é BEM forte.

Vale dizer que já é o segundo AAA third-party saindo day one no Game Pass só esse mês.

Mateus B. Cassiano (@mbc07)

PlayStation Now manda lembranças, embora não esteja disponível em todos os países já está em funcionamento faz muito mais tempo que xCloud, Stadia e similares…

wesley soares (@wesley_soares)

PlayStation now não mandou lembranças pq é justamente o que eu disse acima. A Sony vai hospedar os jogos dela em algum lugar. O que acontece é que as outras(EA, Ubisoft…) NAO irão hospedar o jogo no now, pq elas podem hospedar por elas mesmas direto na nuvem, da aws ou Azure. Vai restar as pequenas produtoras.

Aliás o PlayStation now é hospedado dentro do Azure da Microsoft.

Milton T Silva (@Milton_T_Silva)

Não cara…

A tendência real é ter uma parceria que dá sinais de estar muito próxima de acontecer, marca Playstation domina o mercado sendo a plataforma mais vendida. Um nome muito forte de mercado para se acabar e virar só desenvolvedor de game, porém isso não significa que essa parceria seja com a Microsoft, pode ser qualquer outra empresa.

Milton T Silva (@Milton_T_Silva)

Pode ter certeza que é vantajoso para empresa, porém pode ser um erro mandar seus exclusivos para outra plataforma, mas talvez sejam jogos que não fizeram sucesso e se não me engano esse jogo saiu de graça para assinantes plus.

Pericles Cipriano (@Pericles_Cipriano)

O jogo nem foi lançado ainda, vai lançar dia 20, na PS Store por 300 reais e no Game Pass de graça. Com certeza deve ter sido vantajoso pra ambas as empresas, mas não deixa de ser bem inusitado.

João M. (@RonDamon)

Só aqui q espanta, nos mercados foco deles está o preço padrão de todo jogo lá.

E F Medeiros (@bfowl)

Sim, e o Playstation Now está totalmente abandonado, sem nenhuma perspectiva de crescimento por parte da Sony e praticamente sem adições relevantes no catálogo. A Sony já deveria ter expandido o PS Now, mas não, deixou que Google, Amazon e Microsoft ditassem as regras no Streaming. O resultado disso é que hoje se fala mais de xCloud e Stadia do que em PS Now, porque são serviços que se expandem, que trazem novidades, que estão na boca do povo. O PS Now está estagnado, e quando a Sony começar a se mexer com ele, pode ser tarde demais!

E F Medeiros (@bfowl)

Essa foi uma jogada de mestre da Microsoft, e o pior, a maior humilhação dos últimos tempos para a Playstation.

Ter um jogo da Playstation Studios, produzido pela SIE San Diego (estúdio first-party), day-one no Gamepass, o serviço “odiado” pelos fanboys da Sony, justamente por ir contra a estratégia da Sony, é demais. Principalmente porque o argumento é que a Sony é a casa dos “exclusivos AAA”, porque “exclusivo é o que vende Playstation”, por causa disso e daquilo. Agora veja só isso daí kkkkkkkkk

Impagável!!!

Mateus B. Cassiano (@mbc07)

Você poderia até afirmar que pouca gente conhece o PlayStation Now, que a Sony deveria investir mais no marketing dele e que a essa altura ele ja deveria estar disponível no mundo inteiro (inclusive assino embaixo), mas dizer que o serviço tá abandonado? Muito longe disso. Assim como no Game Pass, novos jogos chegam ao PS Now quase todo mês e a própria Sony já prometeu novidades tanto para o PS Now quanto para a PS Plus, ainda nesse ano.

Para comparação, no momento que escrevo esse post, o catálogo do PS Now conta com aproximadamente 1200 jogos. O serviço pode ser acessado no PlayStation 4, PlayStation 5 e PC, e disponibiliza o catálogo inteiro via streaming. Em 2018 também passaram a disponibilizar os jogos de PlayStation 2 e 4 presentes no catálogo para download nos consoles, se não quiser depender do streaming para jogar.

Já o catálogo do Xbox Game Pass conta com aproximadamente 400 jogos e apenas uma pequena parcela deles é acessível via streaming, visto que o xCloud (no Brasil) permanece em beta fechado e limitado apenas ao Android no momento. Se você acessa o serviço pelo PC, o catálogo é menor, visto que os jogos do primeiro Xbox e do Xbox 360 só estão disponíveis ao acessar o Game Pass no Xbox One ou Xbox Series.

PlayStation Now chegou com streaming lá atrás, em 2014, acompanhado do GeForce NOW em 2015. Já o xCloud só foi dar as caras em 2019, junto do Stadia (que já tá praticamente morto a essa altura), seguido do Amazon Luna em 2020. Comparando todas essas empresas, quais você acha que estão mais preparadas, as que já estão operando nesse segmento há anos ou as que acabaram de chegar?

E F Medeiros (@bfowl)

Primeiro ponto, o Gamepass já conta, atualmente, com mais de 530 jogos disponíveis. Segundo, o xCloud já tem mais de 200 jogos disponíveis para jogar direto em servidores da Nuvem. Terceiro ponto, juntamente pelo fato do PS Now ter surgido em 2014, que ele deveria ser, atualmente, o serviço líder no mercado, e estar disponível em todos os mercados mundiais. Quarto, a Sony não está tão preparada quanto você pensa, pois além da falta de expansão e do marketing, a empresa parece ter problemas em relação a infraestrutura. Recentemente, a Sony assinou acordo com a própria Microsoft para usar os servidores do Azure para o Playstation, seja na PSN, PS Store, PS Plus e PS Now, então, praticamente, os serviços dela terão a mesma qualidade dos do Xbox. O que não é uma vantagem pra Sony, que precisou aderir ao sistema da concorrência, pois foi incapaz de construir o seu próprio.

A Microsoft tem dinheiro para adquirir vários estúdios de forma compulsiva, incluindo publishers. A Sony, infelizmente, está contando dinheiro pra comprar 1% das ações de empresas como Epic Games e From Software. A Microsoft tem a segunda maior cadeia de servidores em nuvem no mundo, perdendo apenas para o AWS da Amazon. A Sony precisou alugar os servers da Microsoft, e o alcance de seu streaming vai depender de quantos servidores ela alugou e do quanto ela poderá pagar por novos servidores se os atuais congestionarem.

A Microsoft pode suportar prejuízos milionários e bilionários por muito mais tempo que a Sony, que infelizmente, é atualmente “sustentada” pela divisão de Games.

A grande questão é, por ter surgido primeiro, e por agregar toda a força da marca Playstation, o PS Now deveria ser a verdadeira Netflix dos Jogos, mas quando se usa o termo atualmente, se refere-se ao Gamepass. E sabe o que isso indica? Que o mercado não acredita na Sony, que o mercado não acredita no PS Now, porque está vendo que a Sony teve tempo para tal, mas não o aproveitou. Mas o mercado acredita no Gamepass, acredita na Microsoft, pois está vendo investimentos muito mais importante e expressivos por parte da Microsoft. Então o que se deduz é que: A Microsoft, certamente, chegará lá. O Gamepass será uma Netflix do Jogos.

Mas a Sony? Pra ela, Streaming é uma incógnita, sempre foi e parece que não deixará de ser tão cedo. Por isso o mercado não enxerga nela uma verdadeira concorrente pra Microsoft, porque não se tem a certeza de que a Sony irá chegar lá.