Início » Internet » Google Docs só vai consumir armazenamento do Workspace em 2022

Google Docs só vai consumir armazenamento do Workspace em 2022

Google adiou nova regra para contas do Workspace; para contas gratuitas, regra começa a valer já em 2021

Victor Hugo SilvaPor

O Google anunciou em novembro que conteúdos do Docs passariam a contar no limite de armazenamento do Drive. A medida segue válida, mas, nesta segunda-feira (5), a empresa adiou o prazo para usuários do Workspace. Em vez de 1º de junho de 2021, como havia sido divulgado, a regra entrará em vigor em 1º de fevereiro de 2022 para esse grupo.

Google Docs (Foto: Reprodução/Bruno Gall De Blasi/Tecnoblog)

Google Docs (Foto: Reprodução/Bruno Gall De Blasi/Tecnoblog)

Com a decisão, documentos, planilhas, apresentações, formulários, desenhos e arquivos do Jamboard criados em contas do Workspace a partir de 1º de fevereiro de 2022 serão contabilizados no seu espaço de armazenamento. Os arquivos mais antigos contarão no limite apenas se forem atualizados a partir desta data.

A mudança no prazo para contas do Workspace vale apenas para o Google Docs. As imagens de alta qualidade armazenadas no Google Fotos passarão a contar para o limite de armazenamento a partir de 1º de junho de 2021, como já estava definido.

Segundo o Google, a prática de não contabilizar arquivos criados com suas ferramentas de edição teve que ser encerrada porque os usuários estão criando mais conteúdo do que nunca. A empresa afirma que, diariamente, são adicionados cerca de 4,3 milhões de gigabytes no Gmail, Drive e Fotos.

“Essas mudanças em nossa política de armazenamento são necessárias para fornecer aos nossos usuários uma ótima experiência e acompanhar o ritmo da crescente demanda”, explicou o Google, em seu comunicado.

Regra do Google para contas gratuitas começa em junho

Enquanto adia o prazo para o Google Docs ser contabilizado no limite de armazenamento de contas do Workspace, a empresa manteve o que estava previsto para contas gratuitas. Os documentos, planilhas e outros arquivos armazenados por quem não paga a assinatura passarão a contar para o limite já em 1º de junho de 2021.

O prazo também vale para imagens e vídeos em alta qualidade no Google Fotos. Os arquivos enviados antes da data não serão contabilizados no espaço de armazenamento, mas, os criados a partir de 1º de junho de 2021, vão consumir o espaço oferecido pela empresa.

Comentários da Comunidade

Participe da discussão
8 usuários participando

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

Sammy (@Sammy)

Toma ai alguns anos de serviços grátis, fica mal acostumado a ter tudo grátis, que depois vamos cobrar tudo, apesar de minerar seus dados by Don’t be Evil

Danilo Cursino (@Danilo)

Google tá muquirana hein. Nem parece que fatura bilhões. Mas né, tem que agradar acionista e mais ninguém.

Cat Games - Contato (@Cat_Games_Contato)

Tá maravilhoso, eu já sabia que o início da cobrança do Google fotos, seria o início do fim… Agora é os documentos, depois é mais o que? Mapas?

Eu diria: COBRA LOGO QUE GANHA MAIS…
Mas temos que lembrar que, se eles lerem isso, terão ideias “novas” KKK,

Mas sério, eu acho isso um desaforo para/com os mais pobres.

E NÃO, SE VOCÊ QUER BANCAR O ESPERTO, ESQUECE; NINGUÉM GUARDAVA FOTOS DE GRAÇA, VOCÊ ACHA QUE OS ANÚNCIOS SERVEM PARA O QUE?.. AGORA ALÉM DOS ANÚNCIOS, TEREMOS QUE PAGAR (e no caso já tô pagando o Google One)

A, MAS O NÚMERO DE PESSOAS AUMENTOU, TEM MAIS ARQUIVOS PARA GUARDAR…
Uma resposta rápida, isso é a mesma coisa, não muda o contexto, pois, se tem mais pessoas, os anúncios tem mais visualizações, e se mais pessoas verem esse anúncio, mas dinheiro o Google ganha para cuidar dos Data Centers…

É bom os planos Premium do Google? É… Mas acho que eles não precisavam cobrar por espaço, mas sim uma pequena taxa, inferior a taxa cobrada pelo Google One…

Na minha opinião, teria que pagar? Sim, o serviço deles é maravilhoso, MAS NÃO PRECISAVA COBRAR EM UM MOMENTO TÃO DELICADO; TEM MUITAS PESSOAS QUE DEPENDEM DA INTERNET (principalmente nas aulas online dos filhos, ou do estudo e/ou trabalho remoto), MAS NEM SEQUER SABEM O QUE VÃO COMER NA JANTA, POIS NÃO CONSEGUEM DINHEIRO, OU UMA AJUDA GOVERNAMENTAL…

André Noia (@Andre_Noia)

Vai ter muita gente perdendo fotos importantes porque está com o backup da pasta de imagens do WhatsApp ativado (e consumindo tudo…).

Danilo Cursino (@Danilo)

O Google Maps já é cobrado hahaha Vc não tem percebido que os sites tem tido muito menos mapas nos últimos anos? Eles cobram por uso pra programador. E é bem caro.

Vinicius Vicentini (@ViniciusHVC)

Além de eu ser o produto do Google, vão cobrar por isso? prefiro usar outro serviço que me faça de produto e não cobre por isso (não que eu conheça kkkkkk)

Felipe Ventura (@felipe)

Pelo que eu entendi, a empresa precisa comprar no mínimo US$ 200 de crédito mensal para usar a plataforma Google Maps, e ir pagando extra para consultas adicionais:

Cat Games - Contato (@Cat_Games_Contato)

Claro KKK, mas quando eu digo mapa, é por exemplo, cobrar pelo uso do GPS, no smartphone… Não a cobrança como um tipo de serviço para sites…

Igor R. (@Igor)

Eu poderia até concordar com você, mas as pessoas abusam. Aproveitavam do armazenamento ilimitado do Docs para guardar arquivos, faziam upload e compartilhamento de filmes piratas no Google Photos. 15GB por pessoa está acima da média, sendo que várias pessoas criam outras contas para ganhar ainda mais armazenamento gratuito.

Cat Games - Contato (@Cat_Games_Contato)

Mas é como eu disse acima, mesmo que guarde coisas “desnecessárias”, o espaço ainda é pago pelos anunciantes… Então, de uma forma ou outra, uma boa quantidade de TB são armazenados por dia…

Mas eu deixei a palavra Desnecessária, entre aspas, por um bom motivo; ninguém sabe o que é necessário, ou não…
Por exemplo, vamos dizer que você seja ateu, na sua percepção, a bíblia gratuita é apenas 50MB gasto de bobeira, mas ela pode significar muitas coisas para outras pessoas… Por isso eu não emprego mais essas palavras nesses contextos, pois algumas pessoas podem se sentir ofendidas…

Mas para encerrar, de forma bem resumida, não considere por arquivo, ou conteúdo de arquivo, mas sim por unidades de armazenamento (MB, GB, TB, e por aí vai)… Pois mesmo se for algo de pouca importância, esse espaço gasto foi, e está, sendo pago.