Início » Negócios » Apple confessa motivo para não liberar iMessage no Android

Apple confessa motivo para não liberar iMessage no Android

Em disputa judicial, documento da Epic Games revela depoimentos e emails de funcionários da Apple sobre iMessage para Android

Bruno Gall De BlasiPor

A disputa judicial entre a Apple e a Epic Games acabou respingando no iMessage. Em depoimentos e emails revelados por um documento apresentado pela dona do Fortnite, a fabricante do iPhone explicou o motivo para não lançar uma versão do mensageiro para celulares Android. De acordo com um executivo da companhia, levar o app de mensagens para o sistema do Google poderia prejudicar mais do que ajudar.

iMessage no iPhone (Imagem: Divulgação/Apple)

iMessage no iPhone (Imagem: Divulgação/Apple)

O documento diz que a Apple decidiu não levar o aplicativo de mensagens ao Android em 2013. Nele, Eddy Cue, vice-presidente sênior de software e serviços de internet, afirmou que a empresa “poderia ter feito uma versão no Android que funcionasse com iOS”. Mas Craig Federighi, vice-presidente sênior de engenharia de software, expressou algumas preocupações sobre a ideia.

De acordo com o processo, o executivo argumentou que “o iMessage no Android serviria simplesmente para remover [um] obstáculo para as famílias de iPhone darem aos seus filhos telefones Android”. Phil Schiller, atual consultor da companhia, também concordou em não oferecer o mensageiro ao sistema do Google.

Mais tarde, em 2016, um ex-funcionário da Apple observou que o motivo mais difícil para sair do ecossistema da Apple é o iMessage. Em seguida, em outra citação ao executivo, Schiller comentou que “portar o iMessage para o Android vai nos prejudicar mais do que nos ajudar, e este e-mail ilustra o motivo”.

A disputa entre Apple e Epic Games

Este é mais um episódio no atrito entre a Apple e a Epic Games devido às regras da App Store. No processo, a responsável pelo Fortnite argumenta que a fabricante do iPhone tenta segurar os usuários em seu ecossistema e que o iMessage seria uma peça fundamental para esta prática, além do FaceTime. O caso está previsto para ser analisado pela justiça dos Estados Unidos em 3 de maio.

Anteriormente, a Epic ainda apoiou um projeto de lei que tinha como objetivo restringir a exclusividade em lojas de aplicativos. A proposta discutida no Senado da Dakota do Norte, no entanto, foi rejeitada dias após o seu anúncio.

Com informações: Android Police e The Verge

Comentários da Comunidade

Participe da discussão
15 usuários participando

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

Igor (@igor_meloil)

Hoje com tantos mensageiros opcionais não acredito que o iMessage seja um dealbreaker na briga android/iOS, embora tenha sido mto relevante no começo.

Filipe Espósito (@filipeesposito)

Nos EUA, é sim. Lá o iMessage tem uma posição predominante no mercado já que o próprio iPhone domina o mercado de smartphones lá. Americano quase não usa WhatsApp, inclusive o The Verge chegou a fazer uma matéria curiosíssima sobre como adolescentes que não tem iPhone lá sofrem bullying por não poderem estar nos grupos do iMessage.

Quase 50% da receita da Apple vem dos EUA, logo a empresa não está errada em pensar dessa forma.

Paulo Higa (@higa)

Para quem quiser entender o quão bizarramente relevante é o iMessage (e as bolhas azuis/verdes) no mercado americano: