Início » Demais assuntos » Volta de Stallman causa indignação, mas FSF não quer dispensá-lo

Volta de Stallman causa indignação, mas FSF não quer dispensá-lo

Em resposta às críticas, Free Software Foundation (FSF) publicou carta defendendo volta de Richard Stallman à organização

Emerson Alecrim Por

Há três semanas que a comunidade do software livre está em polvorosa. Em março, a Free Software Foundation (FSF) trouxe Richard Stallman de volta ao seu conselho, na surdina. Desde então, manifestações contrárias à decisão não param de surgir. Mas a pressão não tem surtido efeito: em carta aberta publicada na segunda-feira (12), a organização defendeu o retorno de seu fundador.

Richard Stallman (imagem: TechCrunch)

Richard Stallman (imagem: TechCrunch)

A saída de Stallman da FSF

Se por um lado Stallman sempre recebeu reconhecimento por suas contribuições ao software livre, com destaque para a criação da própria Free Software Foundation, por outro, carrega a fama de ser uma pessoa de difícil trato.

Mas não foi isso que, em setembro de 2019, o levou a se afastar da presidência da FSF. Embora Stallman já tivesse feito numerosas manifestações controversas e, muitas vezes, repugnantes, o episódio que serviu de gota d’água para a sua permanência na organização foi a sua tentativa de defender Marvin Minsky das acusações de abuso sexual.

Falecido em 2016, aos 88 anos de idade, Marvin Minsky ficou conhecido mundialmente por suas contribuições para o campo da inteligência artificial. Porém, durante as investigações do escândalo Jeffrey Epstein, uma mulher chamada Virginia Giuffre revelou ter sido orientada a ter relações sexuais com Minsky quando ela tinha 17 anos.

Depois que o assunto ganhou repercussão, Richard Stallman tratou de defender Minsky, sobretudo na lista de discussão do Laboratório de Ciência da Computação e Inteligência Artificial do MIT (MIT CSAIL), divisão da qual ambos faziam parte.

Em uma das mensagens, Stallman chegou a dizer (em tradução livre): “podemos imaginar vários cenários, mas o mais plausível é de que ela [Virginia Giuffre] tenha se apresentado a ele [Marvin Minsky] de livre vontade”.

As manifestações em defesa de Minsky se juntaram às polêmicas declarações de cunho sexual que Stallman já tinha feito. A situação ficou insustentável. Além de ter se afastado da função de pesquisador convidado do MIT CSAIL, ele se viu obrigado a deixar a presidência da FSF, bem como o seu posto no conselho da organização.

O retorno de Stallman

Parecia que o assunto estava encerrado. Porém, durante uma conferência do LibrePlanet realizada em 21 de março de 2021, Richard Stallman pegou todo mundo de surpresa ao anunciar que estava de volta ao conselho da FSF:

“Alguns de vocês ficarão felizes com isso, outros talvez fiquem desapontados, vai saber. De todo modo, é assim que as coisas são. E eu não pretendo renunciar uma segunda vez”.

Richard Stallman

A reação foi imediata. Diversas personalidades ligadas ao universo do software livre demonstraram indignação não só com o retorno de Stallman à FSF, mas também com a forma como isso foi feito: de surpresa, como se a entidade quisesse evitar que a decisão fosse questionada antes de ser efetivada.

Em função disso, várias organizações deixaram de apoiar ou passaram a criticar a FSF, a exemplo da Red Hat e da Electronic Frontier Foundation (EFF). Mas a maior ação contrária à decisão é uma carta aberta com mais de 3 mil assinaturas, incluindo nomes como Molly de Blanc (Debian Project, GNOME Foundation) e Deb Nicholson (OSI, SeaGL).

FSF defende Stallman

Apesar de toda a pressão, a FSF não desistiu de trazer Stallman de volta para o seu conselho de administração. Pelo contrário: em nota divulgada na última segunda-feira, a organização defendeu a decisão com o argumento de que o assunto foi ponderado por meses.

Decidimos trazer RMS [Richard M. Stallman] de volta porque sentimos falta de sua sabedoria. Sua perspicácia histórica, jurídica e técnica em software livre é inquestionável. (…) Sua rede global de conexões é inestimável. Ele continua sendo o filósofo mais articulado e um defensor inquestionavelmente dedicado à liberdade na computação.

Free Software Foundation

Stallman também divulgou uma nota, na mesma data. Nela, ele reconhece ter uma personalidade difícil, mas promete tentar um tratamento mais gentil com as pessoas. Por outro lado, Stallman ainda considera que as acusações contra Minsky foram infundadas.

Mais tarde na vida, descobri que algumas pessoas tinham reações negativas ao meu comportamento, das quais eu nem sabia. Tenho a tendência de ser direto e honesto com meus pensamentos, e às vezes isso deixava os outros desconfortáveis ou mesmo os ofendia — especialmente as mulheres.

(…) Às vezes eu perdia a paciência porque não tinha habilidades sociais para evitar isso. Algumas pessoas conseguem lidar com isso; outros ficaram magoadas. Peço desculpas a cada uma delas.

(…) Falsas acusações — reais ou imaginárias, contra mim ou contra outras pessoas — me tiram do sério. Eu conhecia Minsky apenas de longe, mas vê-lo sendo injustamente acusado me fez agir em sua defesa. Eu teria feito isso por qualquer um.

Richard Stallman

Mas, ao que tudo indica, ambas as declarações não foram suficientes para convencer os defensores da saída de Stallman. As manifestações contrárias ao seu retorno continuam. Como a FSF se mostra irredutível, o assunto ainda deve ir longe.

Com informações: Ars Technica.

Comentários da Comunidade

Participe da discussão
6 usuários participando