Início » Aplicativos e Software » Windows 10 agora roda programas de Linux com interface gráfica

Windows 10 agora roda programas de Linux com interface gráfica

Programas de Linux com interface gráfica (GUI) podem rodar lado a lado com aplicativos do Windows 10 sem máquina virtual

Felipe Ventura Por

Talvez você seja muito jovem para se lembrar de quando a Microsoft dizia que o Linux era um “câncer”. Isso mudou radicalmente: agora, programas para distribuições Linux que tenham interface gráfica podem rodar lado a lado com aplicativos do Windows 10, utilizando até mesmo aceleração gráfica por hardware, sem precisar de máquina virtual.

Windows e Linux (Imagem: Divulgação / Microsoft)

Windows e Linux (Imagem: Divulgação / Microsoft)

Nesta quarta-feira (21), a Microsoft cumpriu duas promessas que fez no ano passado, durante a conferência Build 2020: ela garantiu que o WSL (Windows Subsystem for Linux) teria suporte nativo a programas com interface gráfica de usuário (GUI), e que teria suporte a aceleração de hardware por GPU.

Com o WSL, já era possível executar um ambiente Linux no Windows 10 para rodar utilitários e ferramentas do Linux – desde que eles usassem apenas linha de comando. Graças ao novo recurso WSLg, programas com interface gráfica também vão funcionar.

Basicamente, quando você abre um aplicativo do Linux com GUI, o Windows carrega somente os recursos necessários para que ele se comunique com o sistema (Wayland, X Server etc.). Ou seja, você não verá o Ubuntu ou outra distribuição fazendo boot dentro do seu PC – a experiência é mais integrada. Ao fechar o programa, o WSL também é encerrado.

gedit do Linux rodando no Windows 10 (Imagem: Divulgação / Microsoft)

gedit do Linux rodando no Windows 10 (Imagem: Divulgação / Microsoft)

Tá, mas para que serve isso? Eis alguns exemplos:

  • alguns programas de Linux não estão disponíveis para Windows, mas poderão rodar no sistema operacional da Microsoft;
  • programadores poderão criar aplicativos para Linux usando IDEs (ambientes de desenvolvimento integrado) como gedit e gvim;
  • é possível testar o mesmo programa no Windows e no Linux, sem precisar recorrer a outro PC ou máquina virtual.

Linux no Windows tem aceleração gráfica por hardware

A Microsoft também habilitou o suporte a gráficos 3D acelerados por GPU, seja chip gráfico ou placa de vídeo, através do padrão OpenGL. Isso é uma boa notícia para programas que fazem renderizações 3D complexas como o Gazebo, uma ferramenta de simulação robótica.

Além disso, programas do Linux com interface gráfica podem usar o áudio e microfone do PC sem precisarem de modificações, algo útil para o Audacity e programas semelhantes.

Para usar o suporte a aplicativos Linux com GUI, você precisa instalar a build 21364 ou superior do Windows 10, disponível para quem participa do programa Insider.

Então, existem duas possibilidades:

  • se você não tiver o WSL habilitado, rode o comando wsl –install para instalar o WSLg automaticamente;
  • se você já tem o WSL, basta executar o comando wsl –update para usar programas com GUI.

Comentários da Comunidade

Participe da discussão
12 usuários participando

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

Eu (@Keaton)

Espero que isso finalmente coloque um ponto final naquela birra ridicula de Linux vs Windows. :V
Mas ainda fico imaginando qual a penalidade no desempenho de rodar os softwares desta forma.

tec_comentarista (@tec_comentarista)

Isso nunca irá acontecer kkkk

teo venier (@teo_venier)

Outra coisa é q a primeira versão do WSL permitia vc gerenciar o computador com comando Linux, não precisando das ferramentas do Windows para isso. Oq para desenvolvimento é muito útil, já q só precisa usar comandos Linux para criar a aplicação e para gerenciar os serviços/servidor. Mas essa versão atual removeu isso, permitindo somente a execução de aplicativos nativos do Linux dentro do Windows, mas não o contrário.

imhotep (@imhotep)

Tecnicamente fica mais leve do que usar o Linux numa máquina virtual?
Ou é a mesma coisa?

Roberto Costa (@Beto)

Eu estava aguardando por isso. Vou esperar até o final do ano e testar o desenvolvimento com React Native, Flutter e Cypress. Quero ver se roda legal a parte gráfica.
A falta de rodar os apps com interface gráfica é a única coisa que me fez manter o dual boot por enquanto. Ficou o Linux pra desenvolvimento e o Windows basicamente só para jogar. Tirando essa parte gráfica o WSL já estava bem legal pra desenvolver.