Início » Cultura » Disney e Starz entram em disputa pela marca Star no Brasil

Disney e Starz entram em disputa pela marca Star no Brasil

Disney usa marca Star nos antigos canais da Fox e deve lançar streaming Star+ em junho de 2021

Lucas Braga Por

A Disney comprou a Fox em 2019, mas optou por trocar o nome dos canais de entretenimento para Star. A mudança não agradou o canal de televisão Starz, que registrou oposição no Instituto Nacional de Propriedade Industrial (INPI), órgão responsável pelo registro de marcas no Brasil.

Disney anuncia chegada do Star+ no Brasil

Disney pode ser impedida de usar marca Star no Brasil e outros países (Imagem: Reprodução/Disney)

A informação divulgada pelo usuário PawneeBR no Twitter. A Starz, que possui o serviço de streaming StarzPlay no Brasil, também tenta barrar a marca Star em outros países da América Latina, como Argentina e México.

No INPI, há registro para oposição das marcas Star+, Star Channel e Star Hits. Caso o órgão aceite o pedido da Starz, a Disney ficaria obrigada a usar outra marca ou fechar um acordo para remunerar a reclamante.

Starz registrou pedido de oposição à marca Star (Imagem: Reprodução/INPI)

Starz registrou pedido de oposição à marca Star (Imagem: Reprodução/INPI)

As marcas da Star constam no sistema do INPI como registradas pela Disney em dezembro de 2020. As petições para registro de oposição da Starz foram incluídas em abril de 2021.

Mas quem é Starz?

A Starz pode não ser uma empresa tão conhecida como a Disney, mas sua plataforma de streaming StarzPlay existe no Brasil desde outubro de 2019. A empresa produz filmes e séries, incluindo sucessos como Jogos Vorazes, Divergente e Truque de Mestre.

Aplicativo Starzplay no Android (Imagem: Lucas Lima/Tecnoblog)

Aplicativo Starzplay no Android (Imagem: Lucas Lima/Tecnoblog)

O StarzPlay pode ser assinado diretamente com a programadora ou através de parceiros como Amazon Prime Video, Apple TV e operadoras de telecomunicações.

Star+ seria equivalente ao Hulu no Brasil

A adoção da marca Star pela Disney foi uma forma de separar os conteúdos voltados para um público mais adulto. Com a falta de filmes e séries da Fox no Disney+, a empresa deverá lançar o serviço de streaming Star+, incluindo todas as temporadas de Os Simpsons e demais conteúdos da programadora.

O Star+ exigirá uma assinatura separada da Disney+, assim como ocorre com o Hulu nos Estados Unidos. O preço mensal ainda não foi divulgado pelo conglomerado de mídia.

Comentários da Comunidade

Participe da discussão
19 usuários participando

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

Nilberto Melo (@nilberto)

Era melhor colocar tudo junto no Disney+ e manter o nome Fox que já tem tradição e credibilidade entre o público

Giovani (@Giovani)

Briga de cachorro grande. Não assisto nenhum dos dois, e quando anunciaram a troca de nomes eu achei que era o mesmo, confunde sim, a Disney também poderia ter escolhido outro nome, esse aí não é nada original … sei lá achei meio sem nexo quando mudou .
.

Arthur Silva Vicentini (@ArthurVX)

E continuar pagando royalties para a Fox Corporation (empresa de Rupert Murdoch que manteve a marca Fox e os canais com essa marca nos EUA - FOX, Fox News, Fox Business, FS1, FS2 e Fox Deportes)?

Fora que a Disney, que tem um portfólio de marcas imenso (com destaque para as marcas-chave, como Disney, ABC, Marvel, Star Wars, ESPN, FX, National Geographic - essa com a National Geographic Society - e 20th Century Studios), preferiu lançar a marca Star (já usada na Índia, e também vinda da compra da maior parte da 21st Century Fox) no Ocidente do que estender a marca ABC para fora dos EUA (talvez por ser muito comum e também por causa da ABC australiana - a emissora pública de rádio e TV de lá) ou estender a marca FX (essa que, não apenas foi mantida pela Disney, como também reforçada, com o “FX on Hulu” e a marca FX endossando seus conteúdos, como a marca Disney desde sempre e a marca Nat Geo recentemente) para tudo

Rodrigo Dias (@rodrigodias)

Podiam ao menos ter trazido a marca Hulu ao invés de mudar o nome para Star.

Adriano Garcez (@Adriano_Garcez)

Deveria ser Hulu, não Star, que realmente confunde, principalmente para quem tem Prime Video.

Lucas Pinheiro (@LucasMiller)

Nessa treta sou totalmente a favor da STARZ (Lionsgate), afinal, se a Apple entrou com uma ação contra a Prepear, só por usar um logo de fruta, oq faria alusão a marca, a LIONSGATE tem a marca STARZ desde 2016, além de ser uma marca existente desde 1994, então acho que ela tem total preferência pelo uso da marca.
A Disney que leve a marca Hulu para a televisão, ou implemente a marca FX entre todos os canais, ou ainda crie uma marca nova, mais criativa do que o nome genérico Star.

Vítor Gomes Neves Oliveira (@vctgomes)

Achei bem feito. Tomara q dê alguma coisa… Fox era um nome incrível, tinha credibilidade e toda uma história por trás.

Star é muito feio, sem originalidade…

R F (@R_F)

Disney: Please!
Starz: No.
Disney: Please!
Starz: No.
Disney: Please!
Starz: No.
Disney: I’ll buy Starz.
Starz: Please no!

Douglas Knevitz (@Douglas_Knevitz)

Se trouxesse pro Brasil, pessoal iria char que é streaming de conteúdo adulto.

Gustavo Guerra (@GustavoGuerra)

O mais bizarro é que fui assinar o Disney+ hoje e olha o que eu encontrei na página de conclusão da assinatura… propaganda para assinar o Starz e ter um preço promocional por ser novo no D+.

Captura de Tela 2021-05-03 às 22.55.411260×886 79.5 KB