Início » Finanças » Mercado Livre revela compra de US$ 7,8 milhões em bitcoin

Mercado Livre revela compra de US$ 7,8 milhões em bitcoin

Resultados financeiros trimestrais do Mercado Livre revelam compra de US$ 7,8 milhões em bitcoin (BTC)

Bruno Ignacio Por

Considerada a maior plataforma de e-commerce da América Latina, o Mercado Livre anunciou nesta última quarta-feira (05) em um documento do U.S. Securities and Exchange Commission (SEC) que comprou US$ 7,8 milhões em bitcoin (BTC) no primeiro trimestre de 2021. A empresa agora diversifica parte de sua reserva de valor com a criptomoeda, acompanhando a crescente adoção institucional no mundo todo.

Mercado Livre anuncia compra de bitcoin (Imagem/Divulgação)

Mercado Livre anuncia compra de bitcoin (Imagem/Divulgação)

Bitcoin é usado por empresas para se proteger da inflação

O bitcoin vem sendo usado por empresas para se proteger da desvalorização de moedas fiduciárias e da inflação. A Tesla se tornou um dos maiores exemplos dessa tendência, quando comprou US$ 1,5 bilhão na criptomoeda em janeiro. Trata-se de uma opção cada vez mais atrativa uma vez que as taxas de juros caíram em muitos países durante a pandemia de COVID-19, tornando investimentos de rentabilidade fixa menos vantajosos.

No Brasil, a inflação acumulada em 12 meses já ultrapassou 6% em março, acima das metas do Banco Central. Na Argentina, um dos mais importantes países onde o Mercado Livre está presente, registra uma inflação de mais de 40% em 2021.

Mercado Livre não planeja vender bitcoin

Agora, a plataforma de e-commerce se tornou uma das primeiras empresas públicas da América do Sul a comprar bitcoin. Como o Mercado Livre é listado na bolsa de valores americana Nasdaq, ele deve informar periodicamente seus resultados financeiros a U.S. Securities and Exchange Commission (SEC).

No documento mais recente, a empresa anunciou a compra de US$ 7,8 milhões (aproximadamente R$ 41 milhões) em bitcoin realizada durante o primeiro trimestre de 2021. O investimento é considerado de duração indefinida, ou seja, não há nenhuma previsão para que o montante em criptomoeda seja vendido.

“Como parte de nossa estratégia de tesouraria neste trimestre, compramos 7,8 milhões de dólares em bitcoin, um ativo digital que estamos divulgando dentro de nossos ativos intangíveis de duração indefinida”, revelou o Mercado Livre.

A empresa já havia demonstrado uma crescente adesão às moedas digitais. No final de abril, o Mercado Livre passou a permitir a compra de imóveis com bitcoin na Argentina, país sede da companhia. Além disso, Marcos Galperin, fundador e antigo CEO, é um conhecido apoiador das criptomoedas e investe nesses ativos desde 2013.

Com informações: Clarín

Comentários da Comunidade

Participe da discussão
2 usuários participando