Início » Finanças » CryptoPunks, pioneiro em projetos NFT, vendem ativos digitais por US$ 17 milhões

CryptoPunks, pioneiro em projetos NFT, vendem ativos digitais por US$ 17 milhões

NFTs de avatares pixelados CryptoPunks foram distribuídos gratuitamente em 2017, mas hoje são colecionáveis raros

Bruno Ignacio Por

Uma coleção de nove avatares CryptoPunks registrados como NFTs, ou tokens não fungíveis, fez parte de uma venda histórica na tradicional casa de leilões Christie’s nesta última terça-feira (11). Com o lance vencedor de quase US$ 17 milhões, o conjunto de ativos digitais se tornou uma das compras mais caras até hoje.

Coleção de NFTs de avatares CryptoPunks são vendidos por US$ 17 milhões em leilão (Imagem: Reprodução/Christie's)

Coleção de NFTs de avatares CryptoPunks são vendidos por US$ 17 milhões em leilão (Imagem: Reprodução/Christie’s)

NFTs foram distribuídos gratuitamente em 2017

Os CryptoPunks são avatares pixelados em 24×24 que oferecem uma infinidade de recursos e acessórios para que se crie um personagem visualmente único. Eles começaram como um dos primeiros projetos de NFT ainda em 2017 e de maneira gratuita. Ironicamente, agora que os ativos digitais se valorizaram, esses avatares se tornaram uma das vendas mais caras de tokens não fungíveis até hoje.

Inicialmente, os criadores dos CryptoPunks e fundadores do Larva Lab, Matt Hall e John Watkinson, ofereceram todos os 10.000 NFTs de avatares em blockchain de graça e eles foram rapidamente reivindicados. Os dois mantiveram 1.000 tokens para si, nove dos dois quais foram a leilão na Christie’s.

Entre os avatares, havia cinco “punks femininos”, três “punks masculinos” e um “punk alienígena”, de acordo com a página do leilão. Cada um é visto como um colecionável raríssimo. Por exemplo, o avatar com um rosto azul e óculos de sol é um dos apenas nove extraterrestres em toda a série. Assim, o conjunto se tornou um prato cheio para colecionadores.

Hoje, CryptoPunks são colecionáveis raríssimos

Após a distribuição gratuita dos NFTs em 2017, muitos começaram a vender seus tokens por preços que chegara no máximo a US$ 30 na época. Porém, assim como é a essência desses ativos digitais, eles se valorizaram ao decorrer dos anos e Hall e Watkinson viram a oportunidade de lucrar em meio a essa recente e eufórica alta.

Nos últimos meses, dois “punks alienígenas” foram vendidos por mais de US$ 7,5 milhões cada, de acordo com o CryptoSlam, e sete outros foram vendidos por mais de US$ 1 milhão. Só nos últimos 30 dias, houve mais de US$ 102 milhões em vendas de avatares CryptoPunks.

Entre os leilões milionários de NFTs, se destaca a venda da obra de arte digital “Everydays: The First 5000 Days” do artista Beeple, também realizado na Christie’s. O lance vencedor foi de mais de US$ 69 milhões, o token o mais caro até hoje.

Com informações: TechCrunch

Comentários da Comunidade

Participe da discussão
1 usuário participando