Início » Carro » Volvo XC40 Recharge, carro 100% elétrico, é anunciado para o Brasil

Volvo XC40 Recharge, carro 100% elétrico, é anunciado para o Brasil

Novo XC40 Recharge começa a ser vendido pela Volvo a partir de setembro; carro elétrico tem autonomia para rodar 400 km

Lucas Braga Por

A Volvo anunciou a chegada do novo XC40 Recharge Pure Electric no Brasil. O SUV da montadora é 100% elétrico e estará disponível no mercado a partir de setembro de 2021. A empresa também revelou que deixará de comercializar veículos a combustão no Brasil em prol de modelos elétricos ou híbridos.

Volvo XC40 Recharge Pure Electric (Divulgação: Fabio Aro/Volvo)

Volvo XC40 Recharge Pure Electric (Divulgação: Fabio Aro/Volvo)

Volvo XC40 Recharge tem autonomia para 400 km

O XC40 Recharge é o lançamento da montadora sueca para o Brasil. Com pré-venda disponível a partir de hoje e entregas em setembro de 2021, o veículo tem motor P8 100% elétrico com potência de 408 cv.

O veículo também conta com tela multimídia de 9 polegadas com sistema Android Automotive OS, versão específica do Google para carros. O condutor poderá baixar aplicativos compatíveis na Play Store, além de usar Google Maps, Spotify e dar comandos de voz através ao Google Assistente — inclusive para ações dentro do carro, como controlar o ar condicionado.

A bateria do XC40 Recharge tem capacidade para rodar até 418km. O tempo de carregamento depende do equipamento utilizado – com um carregador convencional o veículo demora até 10h para a recarga completa, enquanto o modelo rápido de 150 kW leva apenas 40 minutos para completar 80% da autonomia.

O primeiro lote do XC40 Recharge contará com 300 unidades, e o veículo custa R$ 389.950. Quem comprar o carro na pré-venda levará o carregador Wallbox sem custo extra; após o período o equipamento é comercializado por aproximadamente R$ 8 mil.

Volvo vai expandir pontos de recarga veicular

Enquanto veículos tradicionais precisam de abastecimento de combustível, carros elétricos dependem de pontos de recarga espalhados por estradas e cidades. De acordo com o diretor de marketing da Volvo, Rafael Ugo, a empresa tem cerca de 700 eletropostos espalhados pelo Brasil, com previsão de atingir 1.000 locais até o final do ano.

Carregador Wallbox (Divulgação: Fábio Aro/Volvo)

Carregador Wallbox (Divulgação: Fábio Aro/Volvo)

O executivo destaca as parcerias com o Grupo Pão de Açúcar e a rede de estacionamentos Estapar. Os pontos de recarga são gratuitos e também podem ser utilizados por proprietários de veículos elétricos ou híbridos que não sejam da Volvo.

Além de estabelecimentos comerciais, a Volvo quer subsidiar a instalação de 300 carregadores em edifícios comerciais e residenciais.

Volvo passa a comercializar apenas elétricos e híbridos

O lançamento do XC40 Recharge também marca a nova fase da Volvo: a montadora deixou de vender veículos com motor por combustão no Brasil, e aposta na venda exclusiva de carros híbridos ou elétricos.

De acordo com João Oliveira, diretor geral de Operações e Eletrificação da Volvo, o Brasil é o segundo mercado da montadora a ter a gama de veículos 100% eletrificada.

Além disso, a empresa quer que a metade dos produtos da Volvo sejam 100% elétricos até 2025, além de neutralizar as emissões de carbono de toda a cadeia de produção. A empresa mantém uma meta para que todos os veículos produzidos a partir de 2030 sejam 100% elétricos.

Comentários da Comunidade

Participe da discussão
5 usuários participando

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

Léo (@leo_oliveira)

De acordo com o diretor de marketing da Volvo, Rafael Ugo, a empresa tem cerca de 700 eletropostos espalhados pelo Brasil

690 em São Paulo, 5 no RJ e 5 espalhados por aí kkkk

Mas muito bacana a iniciativa da empresa de deixar de vender carros a combustão no país. Que isso se torne algo mais comum daqui pra frente… Uma pena que ela não tem lá muita relevância no mercado nacional

² (@centauro)

Eu acho que vai ser complicado se popularizar no Brasil se não tiver um incentivo do governo ou um lobby muito grande a favor dessa mudança.

O país já tem a infraestrutura pra gasolina, então o incentivo pra trocar toda essa infraestrutura pra suportar eletricidade é mínima.

Infelizmente não é só trazer carro elétrico pra cá, precisa de toda uma rede pra poder utilizar esses carros da mesma forma que os carros a combustão interna num país continental como o nosso.