Início » Celular » Usuários no iOS 14.5 recusam rastreamento e anunciantes migram para Android

Usuários no iOS 14.5 recusam rastreamento e anunciantes migram para Android

iOS 14.5 passa a exigir a permissão de usuários para que aplicativos possam rastrear dados de outros apps e sites no iPhone

Bruno Gall De Blasi Por

O iOS 14.5 permite que o usuário escolha se deseja ou não que seus dados sejam rastreados por aplicativos. Duas semanas após o seu lançamento, parece que são poucas as pessoas que deram autorização aos apps para acessarem as suas informações de navegação no iPhone. É o que aponta o No IDFA No Problem.

Atualização para o iOS 14.5 no iPhone (Imagem: Bruno Gall De Blasi/Tecnoblog)

Atualização para o iOS 14.5 no iPhone (Imagem: Bruno Gall De Blasi/Tecnoblog)

As informações partem de uma iniciativa da Post-IDFA Alliance, grupo de empresas de publicidade que foca em preocupações de anunciantes com as novas políticas da Apple. Os números, por sua vez, são da AdColony, Fyber, Liftoff, Singular e Vungle, integrantes da aliança. Os dados foram coletados entre 26 de abril e 9 de maio de 2021.

A nova versão do iOS, segundo o relatório, teve taxas de adoção de, em média, 12,9%. Para a Singular, 16,8% das instalações de apps resultaram na liberação de acesso ao identificador de publicidade do dispositivo após o usuário receber a solicitação no iOS 14.5. A AdColony, por sua vez, informa um número maior: 36,5%.

A iniciativa ainda sugere que os anunciantes possam ter se dedicado mais ao Android nesse período. De acordo com o relatório, todos os parceiros da Post-IDFA Alliance relataram aumentos nos gastos com Android após o lançamento do iOS 14.5. As taxas de crescimento apuradas pela Liftoff e Vungle são de 8,29% e 21%, respectivamente.

Enquanto isso, no iOS, a AdColony observou uma diminuição de 2,51%. Para a Singular, a queda foi mais expressiva: 3,59%. A Vungle relata o movimento oposto. Neste caso, segundo a empresa, os gastos com o sistema da Apple para iPhone subiram 3,32%.

A expectativa, segundo o relatório, é de que o custo por mil impressões (CPM) tenha queda em curto prazo. Os parceiros da aliança, por outro lado, esperam um aumento nos valores conforme mais pessoas passem a utilizar o iOS 14.5 em seus celulares.

Alerta de privacidade do iOS

Alerta de privacidade do iOS (Reprodução/Apple)

iOS 14.5 traz melhorias de privacidade

A Apple estreou, no último dia 26, o iOS 14.5. Com a atualização, os aplicativo terão de solicitar a permissão do usuário para monitorar dados de outros apps e sites. A novidade também afetou os softwares para iPad e Apple TV.

A novidade é conhecida como App Tracking Transparency (ATT). O recurso garante mais controle à privacidade no sistema, pois os apps só terão acesso ao identificador de publicidade do dispositivo com a autorização do usuário. Ou seja, se a permissão não for concedida, o app não conseguirá visualizar o código do gadget da Apple.

A Apple ainda atualizou suas diretrizes em relação à função no fim de abril. Segundo a nova regra, os desenvolvedores não poderão oferecer incentivos, como pagamentos em troca da permissão, para que os usuários liberem o rastreamento. O aplicativo que descumprir o novo regulamento pode até ser removido da App Store.

Com informações: No IDFA No Problem

Comentários da Comunidade

Participe da discussão
14 usuários participando

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

Andre Costa (@mr.luizandre)

Afinal, esses anunciantes migrarem pro Android seria ruim? Porque se objetivo seria reduzir os anúncios, pelo jeito tá dando certo.

² (@centauro)

Depende pra quem.
Pro usuário do iOS, não.
Pra Apple, dependendo da intensidade, vai afetar mais ou menos na sua renda.
Pros anunciantes, talvez seja ruim se o ROI no iOS for maior, porque significa que eles terão uma queda no rendimento.
Pro Alphabet isso é ótimo porque aumenta a renda.
Pro usuário do Android, sei lá. A média não deve se importar muito e os que se importam provavelmente já tomam medidas para minimzar esse tipo de rastreamento então não deve mudar muito.

Felipe Silva (@Felipe_Silva)

Se você não paga pelo aplicativo, então você é o pagamento.

Brad da Silva (@Brad_da_Silva)

É exatamente isso. A média no Android não se importa com isso, inclusive nem usuários do iOS, mas como tem a ferramenta, usaram.

Não deve mudar muito em nenhum dos lados, o que é estranho é a empresa ter aumentado enquanto as outras caíram.

Sérgio (@trovalds)

O Android é desenvolvido por uma empresa que vive basicamente de anúncios e monitoramento dos seus usuários. Então algo do tipo acontecer você pode esperar sentado porque não vai ocorrer nunca.

Douglas Knevitz (@Douglas_Knevitz)

Temos visto mudanças nos hábitos de compras já tem um tempo. Saímos do modelo de compra única, para assinatura. Conforme se escala, é mais interessante para o dev ter uma renda previsível e poder continuar ofertando melhorias para o app. Esse modelo de compra única não é mais sustentável, tanto para o dev, quanto para o padrão de qualidade exigido hoje. Ads foram uma solução intermediária, mas indesejada do ponto de vista de experiência de uso.

Falando de usuários de iOS, não acho que a mudança será negativa no longo prazo. Veremos essa migração para o modelo de assinatura ter um boost e consequentemente uma corrida para entregar mais qualidade, já que agora esse app disputa diretamente a carteira do usuário.

Com certeza isso impactará mercados como o Brasil, onde a pirataria ainda é muito forte e as pessoas ainda são resistentes a pagar por um aplicativo.