Início » Negócios » Amazon compra MGM, dos filmes de James Bond, em transação bilionária

Amazon compra MGM, dos filmes de James Bond, em transação bilionária

MGM, conhecida pela vinheta com um leão rugindo, conta com mais de 4 mil filmes e 17 mil programas de TV em seu catálogo

Bruno Gall De Blasi Por

A Amazon foi às compras mais uma vez. Nesta quarta-feira (26), a companhia anunciou a aquisição da MGM (Metro-Goldwyn-Mayer) por US$ 8,45 bilhões. O estúdio de cinema, que é conhecido pela icônica vinheta com um leão rugindo, está por trás de filmes da franquia 007, O Silêncio dos Inocentes, entre outros sucessos de Hollywood.

Leão da MGM (Imagem: Reprodução/MGM)

Leão da MGM (Imagem: Reprodução/MGM)

Amazon compra MGM por US$ 8,45 bilhões

A transação é de, aproximadamente, R$ 44,8 bilhões em conversão direta. Em comunicado, a Amazon informou que ajudará a preservar a herança e o catálogo de filmes da MGM e fornecerá aos seus clientes maior acesso às obras existentes. “Por meio dessa aquisição, a Amazon capacitaria a MGM para continuar a fazer o que faz de melhor: uma ótima narrativa”, anunciaram.

A aquisição engloba um vasto catálogo de produções do estúdio. Ao todo, a companhia traz mais de 4 mil filmes em sua relação, como A Pantera Cor de Rosa, Robocop, Rocky e Sete Homens e Um Destino. Em programas de televisão, a lista engloba 17 mil títulos, entre eles, Fargo, O Conto da Aia (The Handmaid’s Tale, em inglês) e Vikings.

As produções do estúdio fundado em 1924 ainda contam com mais de 180 estatuetas do Oscar e 100 Emmys. “O valor financeiro real por trás deste negócio é o tesouro de propriedade intelectual no profundo catálogo que planejamos reimaginar e desenvolver junto com a talentosa equipe da MGM”, afirmou Mike Hopkins, vice-presidente sênior do Prime Video e Amazon Studios.

Amazon Prime Video (Imagem: André Fogaça/Tecnoblog)

Amazon Prime Video (Imagem: André Fogaça/Tecnoblog)

Esta é mais uma grande movimentação no mercado de entretenimento. No começo de 2019, a Disney oficializou a aquisição da Fox após a AT&T concluir a compra da Time Warner em meados de 2018. Além disso, esta também é a segunda maior transação da Amazon depois que a companhia arrematou a Whole Foods por US$ 13,7 bilhões.

Segundo a Amazon, “a conclusão desta transação está sujeita a aprovações regulatórias e de outras condições habituais de fechamento”. A expectativa é de que o processo seja finalizado até o fim do ano.

Com informações: Variety

Comentários da Comunidade

Participe da discussão
11 usuários participando

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

Luis Carllos (@XxxStrangeManxxX)

Agora irei assistir todos os filmes de 007 e Rocky sem a preocupação de serem removidos da plataforma

Rogério Calsavara (@Rogeriocal)

Interessante ver como a maior parte desse valor não vem da capacidade do estúdio de fazer filmes, mas do catálogo, como afirmou Mike Hopkins. Ou mais precisamente, da propriedade intelectual desse catálogo.

Esse é um grande exemplo da importância das marcas. O mais valioso é o direito de usar essas marcas, como 007, em novas produções que trazem muito mais lucro do que em produções idênticas, mas sem a marca.

Giovani (@Giovani)

Tomara que isso ai seja aprovado. E essa caralhada de filmes vá tudo para o Prime! Lançamentos e novidades sempre é bom, assistir clássicos e filmes antigos é melhor ainda, tem várias obras conhecidas e que eu não me interessei na época, que tenho visto agora que tá sobrando tempo por causa da … pandemia … ontem vi American Psycho no prime mesmo, filmão.

Douglas Knevitz (@Douglas_Knevitz)

A metodologia de compra de empresas da Apple é diferente. Ela não compra a empresa em específico, mas os engenheiros, a empresa acaba sendo o efeito colateral. E essas compras são baseadas em features/produtos que ela quer implementar, e comprar essas pequenas empresas, com profissionais capacitados desenvolvendo projetos relevantes, irá acelerar seu desenvolvimento interno.

A Beats foi o caso mais fora a curva, 3BI. Foi uma das poucas aquisições que ainda estão vivas ativamente e acabaram gerando outros produtos em paralelo …

A Netflix é grande de mais pra entrar no escopo da Apple. Fora os problemas de antitrust que geraria. No mais, acaba sendo mais proveitoso comprar as mentes por trás das produções, que é de fato o que importa.

Um fato curioso, é que o Jobs era muito ligado a Disney, recentemente chegou a ser revelado pelo CEO, que se o Jobs ainda estivesse vivo, talvez as duas empresas poderiam se fundir. Se de fato aconteceria, não é possível afirmar, mas o Jobs tinha seu pezinho na indústria de mídia, com a Pixar.