Início » Software » 5 pontos positivos do Ubuntu 10.10 Maverick Meerkat

5 pontos positivos do Ubuntu 10.10 Maverick Meerkat

Por
8 anos e meio atrás

O Ubuntu 10.10 foi liberado para download há pouco mais de uma semana. Depois de conduzir alguns testes no novo sistema operacional, nosso leitor João Pedro Sacheti listou 5 pontos positivos dessa distribuição Linux. Confira no texto abaixo.

Download | Ubuntu 10.10
Baixatudo | Ubuntu 10.10

• • •

1. Wallpapers novos e tema retocado

Desde o seu lançamento, em 2004, o Ubuntu contava com apenas um wallpaper que não era lá muito bonito. Além dele, tinha a opção de deixar o plano de fundo com a cor laranja, para combinar com o extinto (graças a muita insistência) tema Human. Com o Ubuntu 10.10 vieram os novos wallpapers, que são parte de um desafio que a comunidade em torno do sistema criou para montar uma coleção de fotos mais bonita.

Ubuntu 10.10: nova fonte e tema e botões retocados

As alterações do tema visual do Ubuntu não param por aí: o sistema ganhou uma nova fonte padrão, a Ubuntu, que substitui a Sans e garante um toque de elegância ao Linux da Canonical. E não menos importante, o retoque na interface foi completado com botões similares ao Farol do Mac OS X, que ficaram mais visíveis, com destaque em laranja.

2. Atualizações no Ubiquity, o instalador do Ubuntu

A nova versão do instalador do Ubuntu está mais inteligente e fácil do que nunca. Agora ela permite a instalação de codecs proprietários e dá dicas ao usuário sobre como prosseguir a instalação. Uma apresentação de slides mostra as novidades do sistema enquanto ele é instalado (já esta virando padrão em quase todos os sistemas, né?)

Wubi em funcionamento

A instalação não foi demorada: eu usei o WUBI (Windows Ubuntu installer) e demorou aproximadamente 30 minutos no meu computador, im modesto Celeron D 2.1 com 1 GB de memória RAM DDR e HD IDE de 80GB). Nada mal.

3. Social, muito social

O Me.Menu continua evoluindo desde sua introdução no Ubuntu 9.10 e nesta versão esta com integração total aos programas nativos do Ubuntu. Agora ele usa um banco de dados SQLite, que dá mais leveza ao software que, se integra com o Gwibber (transmissão de mensagens, como o Twitter), o Empathy (mensageiro instantâneo) e o Evolution (software de e-mails do Ubuntu).

4. Vai soar como música para seus ouvidos

Com o novo gerenciador de som, o Ubuntu adota um sistema parecido com o do Windows 7, permitindo controlar o som de cada aplicação individualmente. Além disso, há também uma integração com os players de musicas, como o Rhytmbox e o o Banshee, oferecendo um miniplayer com os controles básicos e informações da musica reproduzida.

5. Novidades no Ubuntu One

Muita coisa mudou no Ubuntu One, em especial na integração com o sistema operacional. O serviço, que é gratuito com o espaço de 2 GB por conta (você pode pagar para ter mais espaço), está mais estável do que no Ubuntu Lucid Lynx. Antes ele era lento e tinha péssimos níveis de integração. Tudo isso ficou no passado: agora o serviço esta a competir até mesmo com os grandes rivais, como a DropBox e iDisk do Mobile.me

A sincronização de pastas esté bem refinada e com as opções melhoradas, tudo integrado ao Nautilus, navegador de arquivos do Ubuntu.

E a loja de músicas do Ubuntu, que está conectada ao player padrão do sistema, agora permite sincronização com os smartphones (até o iPhone, veja você) e suporta streaming de músicas por meio da tão falada computação na nuvem.

Conclusão

Mesmo Ubuntu de sempre, provando que o Linux também pode ter uma boa relação com os usuários domésticos, você só precisa dar um chance a ele. 😉 A versão desktop não trouxe grandes mudanças no sistema em si, apenas refinamentos maiores no que já existe e melhorando o núcleo do sistema, que ganhou o uTouch para uso em computadores com suporte a touchscreen.

João Pedro Sacheti | É um jovem estudante do interior de São Paulo. Depois de detonar instalações do Windows, começou a brincar com Linux e hoje em dia já instala o ArchLinux sem problema algum. Está no Twitter: @joaopedrosachet.

Aviso | As opiniões do autor do texto não refletem necessariamente as do Tecnoblog.

Mais sobre: , , ,