Início » Jogos » Vale a pena comprar o PSP Go?

Vale a pena comprar o PSP Go?

Avatar Por
10 anos atrás
pspgo

PSP Go: Novo portátil da Sony

E não é que a Sony resolveu remodelar o seu PlayStation Portable pela terceira vez desde seu lançamento em 2004?  Mal foi anunciado e já saiu o PSP Go (aparentemente a Sony descartou o ponto de exclamação que acompanhava o nome do console), que deu as caras em outubro deste ano na América do Norte, e esse mês no Japão.

Lançar o console primeiro no Oeste não foi o único paradigma que a Sony destruiu com a nova versão do seu portátil.

As mudanças estéticas são as mais óbvias - o PSP Go é menor, mais leve e tem uma tela que desliza sobre os controles, tornando-o mais portátil que seus irmãos mais velhos. O velho conector USB A-to-mini-B foi descartado em prol de um odiável conector proprietário (a lógica por trás da mudança? Irritar os donos, eu imagino). O mesmo conector também faz TV Out, o que nos modelos anteriores exigia uma porta separada. A tela é quase imperceptivelmente menor que a dos PSPs anteriores.

O PSP Go também ganhou Bluetooth, o que permite conectar o console a headsets sem fio e telefones. É uma função útil, já que pessoalmente detesto fios de qualquer espécie, mas que certamente se manifestará na forma de redução de vida da bateria.

Uma característica implorada por donos de PSPs era memória interna, que reduziria a nossa dependência de cartões de memória. Resolvendo sair um pouco do padrão, a Sony decidiu nos ouvir - o PSP Go tem 16 GB de memória flash. De todas as possíveis mudanças do console, essa era provavelmente a mais desejada.

O novo formato do PSP Go viabilizaria uma tela sensível ao toque, e de fato houve boatos a respeito dela, mas infelizmente o input continua sendo feito apenas por botões. É uma pena, na verdade, porque o Nintendo DS e o iPhone mostraram que uma tela de toque abre muitas possibilidades para o desenvolvimento de software.

Até aqui o novo console parece uma atualização atraente do bom e velho PSP, que já estava na idade para um upgrade mais significante. Foi na forma de distribuir os jogos que a Sony enfiou os pés pelas mãos.

A empresa era criticada há anos por causa do ironicamente entitulado Universal Media Disc, o disquinho de filmes e jogos para o PSP. Formato proprietário é sempre uma dor de cabeça desnecessária, mas a Sony insistia em dar apoio ao padrão que ela criou - e todos nós já vimos esse filme antes.

Mesmo quando Hollywood decidiu que a aposta nos UMDs havia sido uma tremenda perda de tempo, a Sony fincou o pé e falou que daria suporte ao formato até a morte. A Sony parecia não aprender com os fracassos do Betamax, Minidisc, Memory stick e todos os outros formatos que ela inventou e empurrou pra cima da gente.

E aí subitamente ela resolveu atender às críticas e livrou o PSP Go do UMD, aderindo ao modelo de distribuição digital. Mas o problema de ser teimoso demais é que, quando você finalmente muda de idéia e aceita sugestões de novas direções, os frutos da insistência de outrora continuarão te dando dor de cabeça.

O que aconteceu é que os gamers já haviam se resignado na insistência da Sony no formato dos discos pro PSP e acumularam vários jogos ao longo dos anos - jogos que eles não poderão jogar em seus PSP Gos novinhos em folha, porque a Sony desistiu de oferecer um programa de download de conteúdo de UMDs. Todos os seus jogos deverão ser recomprados e baixados para o novo console.

Pra usar outro produto da Sony na analogia, isso é equivalente a comprar um blu-ray player que automaticamente inutiliza toda a sua coleção de DVDs.

Permita-me apontar que a Sony não tornará os downloads mais baratos que os jogos físicos. Ou seja, o seu amigo que compra a versão em UMD do jogo que você adquiriu pro teu PSP Go pagará menos que você, e ainda terá a opção de trocar/revender o jogo no futuro.

E já que entramos no âmbito de discutir preços, aí vai a pior parte - o PSP Go custa (por enquanto, ao menos) 299 dólares. É um custo difícil de justificar quando você pode pescar outros 50 dólares da carteira e sair da loja com um PS3 - ou até mesmo um iPod touch de 32 GB.

A comparação da etiqueta de preço com a do iPod touch não é desmerecida - a Sony aprendeu a lição da Apple e resolveu investir nos desenvolvedores independentes, a quem eles estão tentando seduzir pra lançar jogos pro seu portátil.

Tais jogos se chamarão "PSP Minis", custarão entre 5 e 10 dólares, e o primeiro deles é Fieldrunners, que é justamente um título de muito sucesso da AppStore. Ou seja - aqueles que colocavam os dedos nos ouvidos e berravam "não estou ouvindo, não estou ouvindo" quando dizíamos que o iPod touch ameaçava a área do PSP, não poderão mais ignorar o que está acontecendo ao redor deles. A intercessão entre público de iPod touchs e PSPs é admitida pela Sony.

Vale a pena comprar o PSP Go? Como fã de muitos anos do console, estou profundamente desinteressado neste novo modelo do portátil da Sony. O preço é proibitivo e não há grandes jogos pra plataforma que eu não poderei jogar no meu PSP-2000. A (atual) impossibilidade de instalar programas homebrew no aparelho reduz ainda mais sua autonomia - ou seja, adeus emuladores e ports de Counterstrike.

Por ora, deixarei o PSP Go passar. E não vejo por que você também não deveria.

Mais sobre: , , , ,
Participe das conversas do Tecnoblog

Leia o post inteiro antes de comentar
e seja legal com seus amiguinhos.

Carregar Comentários Conheça nossa política de comentários.