Início » Celular » Galaxy S21 Ultra: testes mostram Exynos mais próximo do Snapdragon 888

Galaxy S21 Ultra: testes mostram Exynos mais próximo do Snapdragon 888

Samsung Galaxy S21 Ultra possui edições com os processadores Qualcomm Snapdragon 888 e Exynos 2100 em sua ficha técnica

Bruno Gall De Blasi Por

A Samsung lançou o Samsung Galaxy S21 Ultra em duas edições: uma com o processador Qualcomm Snapdragon 888 e outra com o Exynos 2100. Mas, ainda que os chips tenham especificações bem próximas, existe alguma diferença tangível entre os componentes? É o que o Android Authority buscou responder em um comparativo.

Samsung Galaxy S21 Ultra (Imagem: Paulo Higa/Tecnoblog)

Samsung Galaxy S21 Ultra (Imagem: Paulo Higa/Tecnoblog)

O experimento utilizou as duas variantes do celular com tela na resolução Full HD e com a taxa de atualização variável de até 120 Hz ligada. Os resultados revelaram que o chip da Samsung não está tão distante assim da peça da Qualcomm, encontrada em países como os Estados Unidos. No Brasil, o celular é comercializado com o Exynos 2100.

Os processadores possuem a mesma quantidade de núcleos, mas com arranjos diferentes. O Snapdragon 888 tem um Cortex-X1 de 2,84 GHz, três Cortex-A78 de 2,4 GHz e quatro Cortex-A55 de 1,8 GHz. Os gráficos são representados pela Adreno 660.

O Exynos 2100 é formado por um Cortex-X1 de 2,9GHz, três Cortex-A78 de 2,8 GHz e mais quatro Cortex-A55 de 2,2GHz. O chip gráfico é o Mali-G78. Assim como o processador da Qualcomm, o componente é feito em um processo de 5 nanômetros.

Site compara processadores do Samsung Galaxy S21 Ultra

A primeira rodada envolveu os testes Geekbench 5, 3DMark e AnTuTu. No primeiro momento, que foca na CPU, o Exynos 2100 levou vantagem com apenas um núcleo (single core) e com múltiplos núcleos (multi-core), com 1.109 pontos e 3.620 pontos, respectivamente. O Snapdragon 888 alcançou 1.098 pontos e 3.363 pontos.

No teste 3DMark, que se concentra no chip gráfico, a ordem mudou. A edição com Snapdragon saiu na frente, com 7.895 pontos, enquanto o modelo com Exynos alcançou 7.761 pontos. Assim como o Geekbench 5, quanto maior a pontuação, melhor.

O AnTuTu considera o conjunto do celular como um todo para determinar seus resultados. Novamente, o modelo com Snapdragon manteve-se no topo, com 701.672 pontos. A opção com o processador da Samsung alcançou 644.316 pontos.

Samsung Galaxy S21 Ultra (Imagem: Paulo Higa/Tecnoblog)

Samsung Galaxy S21 Ultra (Imagem: Paulo Higa/Tecnoblog)

A segunda rodada envolveu o Speed Test G, um teste independente do site especializado para medir o desempenho de smartphones. Aqui, o Android Authority tirou a média de dez execuções para compará-los. Neste momento, como os resultados são mensurados em milissegundos (ms), quanto menor, melhor.

O Qualcomm Snapdragon 888 manteve-se na frente. Em relação à CPU e à GPU, o processador realizou as execuções em 36,23 ms e 26,28 ms, respectivamente. Ao misturar ambos os componentes, o tempo é de 18,53 ms.

Mas o Exynos 2100 não ficou tão atrás. Ao combiná-los, o resultado alcançado é de 21,59 ms. O tempo registrado pela CPU e pela GPU é de 37,82 ms e de 34,43 ms.

Também houve um teste de resistência que leva a CPU e a GPU ao limite. O site observou que o modelo com Snapdragon é notavelmente mais rápido que a edição com Exynos. Além de demonstrar uma potência mais consistente no processo, o chip da Qualcomm demora mais a apresentar queda no desempenho sustentado.

O Exynos 2100, por outro lado, levou vantagem na duração de bateria. O modelo com o chip da Samsung registrou 226 minutos contra 199 minutos da edição com o processador da Qualcomm.

No experimento, o site notou que o estrangulamento do Exynos começa antes do Snapdragon. Ou seja, ainda que o desempenho seja reduzido com antecedência, o chip da Samsung passa a consumir menos energia nesse processo.

Benchmark Exynos 2100 Qualcomm Snapdragon 888
Geekbench 5 (CPU) – single core: 1.109 pontos

– multi-core: 3.620 pontos

– single core: 1.098 pontos

– multi-core: 3.363 pontos

3DMark (GPU) 7.761 pontos 7.895 pontos
AnTuTu (sistema) 644.316 pontos 701.672 pontos
Speed Test G (média de 10 execuções) – CPU: 37,82 ms

– GPU: 34,43 ms

– Misturado: 21,59 ms

– CPU: 36,23 ms

– GPU: 26,28 ms

– Misturado: 18,53 ms

Duração da bateria 226 minutos 199 minutos

Com informações: Android Authority

Comentários da Comunidade

Participe da discussão
6 usuários participando

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

André Gorgen (@Banana_Phone)

O Exynos 2100, por outro lado, levou vantagem na duração de bateria. O modelo com o chip da Samsung registrou 226 minutos contra 199 minutos da edição com o processador da Qualcomm.

Isso basta pra mim.
Eu considero duração de bateria mais importante que desempenho.

No S20 a duração de bateria com Exynos era quase a metade quando comparado com o Snapdragon, fico feliz que a Samsung tenha percebido a tremenda cagada que foi o Exynos 990 e espero que daqui pra frente eles não cometam o mesmo erro.

No Galaxy S7 a versão com Exynos era até melhor que com Snapdragon, perdia apenas em processamento gráfico. Mas naquela época era o Snapdragon 820, que era bem problemático.

² (@centauro)

É mais ou menos o que foi visto no S20.
Nos testes sintéticos a diferença não é tão significativa, mas no uso mais prolongado o Exynos trava mais e mais rápido do que o Snapdragon. Além de o Exynos esquentar mais (no S20, nesse S21 eu não sei).

De qualquer forma, eu ainda acho que o que eu disse pro S20 também vale para o S21.
O fato de um chip ser um pouco pior do que o outro não faz com o modelo com esse chip seja ruim. Ou seja, independente do modelo do chip, o S21 é um baita dum aparelho.

Eu (@Keaton)

Po… os SoCs atuais estão ficando tão rápidos que eu nem me importo mais em verificar o desempenho, quero ver qual consome menos e tem uma bateria maior para ter uma autonomia monstra. Fico imaginando se existe algum jeito de deixar esses SoCs em modo de baixo consumo na maior parte do tempo, mesmo em jogos.