Início » Finanças » Tradicionais broches olímpicos viram NFTs na Tóquio 2021

Tradicionais broches olímpicos viram NFTs na Tóquio 2021

Em parceria com a desenvolvedora nWay, Comitê Olímpico Internacional oferece os tradicionais broches colecionáveis como NFTs

Bruno Ignacio Por

Já era de se esperar que os Jogos Olímpicos de Tóquio seriam diferentes. Tradicionalmente planejado para 2020, a pandemia de COVID-19 forçou o Comitê Olímpico Internacional (COI) a reagendar o mais importante evento esportivo mundial para julho de 2021. Agora, ainda mais novidades foram anunciadas. Serão desenvolvidos tokens não fungíveis (NFTs) para oferecer os clássicos “broches” colecionáveis de maneira digital aos torcedores e colecionadores.

Broches olímpicos dos Jogos de Tóquio 2021 serão vendidos como NFTs (Imagem: Divulgação/ nWay)

Broches olímpicos dos Jogos de Tóquio 2021 serão vendidos como NFTs (Imagem: Divulgação/ nWay)

Coincidentemente, o Comitê Olímpico Internacional firmou uma parceria com a nWay, uma desenvolvedora de videogames e subsidiária da Animoca Brands. A empresa se tornou, junto à Nintendo, parceira de conteúdo digital do COI durante os Jogos de Tóquio, disse seu CEO, Taehoon Kim, ao USA Today na terça-feira (02).

COI digitaliza broches em meio à pandemia

Contudo, a experiência da nWay criou uma oportunidade para que o COI expandisse sua lista de produtos licenciados e o engajamento do público com os Jogos já ameaçados pela pandemia. Neste caso, o Cômite Olímpico teve a ideia de aproveitar a parceria com a desenvolvedora para criar tokens não fungíveis (NFTs) colecionáveis e temáticos dos eventos passados.

Os broches em NFTs foram registrados como propriedade intelectual oficialmente licenciada do COI e foram produzidos pela nWay. Eles estarão disponíveis a partir de 17 de junho e algumas imagens já revelam ícones clássicos dos Jogos Olímpicos passados.

Um broche de raridade “lendária” representa um pôster dos Jogos de Atenas de 1896. Outro marca um pictograma aquático de quando Tóquio sediou as Olimpíadas pela primeira vez em 1964. “Os fãs agora podem se conectar com a emoção dos Jogos de uma maneira totalmente nova e possuir um pedaço da história olímpica”, disse o diretor-gerente de televisão e serviços de marketing do COI, Timo Lumme, em um comunicado.

Broches em NFTs contemplam todos os jogos entre 1896 e 2014 (Imagem: Divulgação/ nWay)

Broches em NFTs contemplam todos os Jogos entre 1896 e 2014 (Imagem: Divulgação/ nWay)

Naturalmente, as transações de NFTs ocorrerão através de uma rede blockchain, e não pessoalmente. “Tanto a nWay quanto o COI sentiram que essa era uma tradição que daria certo no mundo digital, criando broches virtuais como tokens não fungíveis, que são muito mais colecionáveis”, disse Kim.

Tradição olímpica vira NFT

Esses ativos digitais que serão oferecidos nos Jogos Olímpicos de Tóquio deste ano contemplam coleções que datam desde 1896, das Olimpíadas de Atenas, e vão até os Jogos de Inverno de Sochi, em 2014. “É muito positivo que nós possamos realmente colocar um monte de história nos broches em NFTs”, disse Kim. Para ele, essa carga cultural e histórica dos tokens será o fator principal de valorização entre colecionadores.

Já os preços variam muito, existem coleções e peças individuais que começam em US$ 9 e podem chegar até US$ 499, dependendo de sua raridade estabelecida. Todos os ativos estarão disponíveis para compras na plataforma nWayPlay.

“Os broches olímpicos começaram como uma forma de identificar atletas, juízes e oficiais. Porém, nos últimos 125 anos, eles se tornaram uma tradição dos Jogos Olímpicos”, afirmou Lumme. “O anúncio de hoje é uma evolução natural desta tradição.”

Com informações: Engadget, USA Today

Comentários da Comunidade

Participe da discussão
1 usuário participando