Início » Jogos » Blizzard derruba mods para rodar Diablo II: Resurrected offline

Blizzard derruba mods para rodar Diablo II: Resurrected offline

A Blizzard exige do GitHub a remoção de mods com códigos de D2ROffine, que permite jogar Diablo II: Resurrected offline

Murilo Tunholi Por

A Blizzard começou a exigir do GitHub a remoção de todos os mods para Diablo II: Resurrected que permitiam aos usuários jogarem offline sem serem convidados para o teste alfa. Antes, a empresa já tinha notificado o criador do projeto original — o D2ROffine —, pedindo que ele parasse de desenvolver a modificação e tirasse do ar o site da ferramenta.

Diablo II: Resurrected (Imagem: Divulgação/Blizzard)

O usuário conhecido como Ferib Hellscream, responsável pelo mod D2ROffline, recebeu uma notificação judicial da Blizzard no mês passado, na qual a empresa demandava a remoção não só do mod, como também de todos os códigos-fonte relacionados ao projeto no GitHub.

O criador obedeceu à solicitação da desenvolvedora e apagou os arquivos da plataforma. Porém, usuários encontraram os códigos no Internet Archive — um serviço de arquivo histórico de sites com páginas antigas que foram apagadas. Com isso, outras pessoas começaram a reproduzir suas próprias versões do mod e publicá-las no GitHub.

Em resposta, a Blizzard entrou em contato diretamente com o GitHub e exigiu a remoção de todos os mods com códigos do D2ROffline do portal. Além disso, a empresa começou a enviar avisos de violação da lei de direitos autorais para usuários que reproduziram a modificação.

Em um post no GitHub, um representante da Blizzard explicou que as notificações de violação de direitos autorais seriam aplicadas em usuários que supostamente foram contatados pelo GitHub anteriormente e tiveram a opção de mudar o projeto por conta própria, mas não obedeceram.

“O D2ROffline foi criado para contornar as medidas técnicas de proteção da Blizzard, permitindo o desvio das verificações de integridade CRC32. Essas verificações de integridade existem para escanear regiões da memória do jogo, a fim de verificar se o código do game foi modificado antes de ser aberto”, explicou a Blizzard.

GitHub oferece apoio aos criadores de mods

Os desenvolvedores de mods que foram notificados pela Blizzard também receberam mensagens do GitHub. Nos e-mails, o site oferecia apoiar os modders com recursos legais para que pudessem contestar a remoção dos projetos.

Em comunicado, a plataforma disse que os usuários deveriam ter total liberdade para criar, mesmo desagradando as empresas, e que havia investido US$ 1 milhão (por volta de R$ 5 milhões) em um fundo para cobrir os gastos com as defesas nas notificações judiciais.

Ao TorrentFreak, um criador chamado Mike — responsável por uma das versões do D2ROffline — afirmou ter recebido a mensagem do GitHub logo após o mod ter sido deletado. “Se você acredita que seu projeto foi desativado como resultado de um erro ou identificação incorreta, você tem o direito de registrar uma contranotificação e ter o projeto reativado”, escreveu GitHub.

Com informações: TorrentFreak.

Comentários da Comunidade

Participe da discussão
1 usuário participando