Início » Finanças » Bitcoin vai receber atualização Taproot; veja o que muda na criptomoeda

Bitcoin vai receber atualização Taproot; veja o que muda na criptomoeda

Nova atualização Taproot, a primeira desde 2017, facilitará a criação de contratos inteligentes no blockchain do bitcoin (BTC)

Bruno Ignacio Por

O blockchain do bitcoin (BTC) receberá sua primeira atualização em quatro anos após mineradores de todo o mundo entrarem em um raro consenso sobre o futuro da rede da maior criptomoeda do mercado. Chamado Taproot, o update deverá chegar em novembro para aumentar a privacidade e a eficiência das transações da moeda digital, desbloqueando potencial para a criação de contratos inteligentes.

Bitcoin vai receber primeira atualização desde 2017 (Imagem:

Bitcoin vai receber primeira atualização desde 2017 (Imagem: Dmitry Demidko/Unsplash)

Primeira atualização desde 2017

“A atualização Taproot é importante porque abre uma ampla oportunidade para empreendedores interessados ​​em expandir a utilidade do bitcoin”, disse Alyse Killeen, fundadora e sócia-gerente da empresa de empreendimentos focados em bitcoin Stillmark, à CNBC.

A possibilidade de se criar contratos inteligentes no blockchain do bitcoin é um recurso cada vez mais importante para que a criptomoeda seja algo mais do que apenas um ativo digital especulativo. Essa ferramenta permite eliminar intermediários até nas mais complexas transações, automatizando ainda mais o processamento das movimentações dentro da rede da moeda digital.

A última atualização do bitcoin ocorreu em 2017 e foi apelidada de “guerra civil” por conta da enorme divisão ideológica entre os mineradores na época. Para resolver problemas de altas taxas de transação e lentidão no processamento de dados, muito se discutiu sobre os protocolos internos da rede. Uma das propostas chegou até mesmo a sugerir a divisão da criptomoeda em duas.

Agora, diferente da atualização anterior, o Taproot recebeu um apoio quase universal entre os mineradores de todo o mundo. Isso acontece porque as melhorias são inegavelmente benéficas para o código do blockchain do bitcoin e praticamente não tem lados negativos.

Taproot vai reformular “assinaturas digitais”

As “assinaturas digitais” serão o centro das próximas mudanças na rede da criptomoeda. Atualmente, o blockchain do bitcoin usa algo chamado “Algoritmo de Assinatura Digital da Curva Elíptica”, que é criado a partir da chave privada de uma carteira e garante que a moeda digital só possa ser gasta por seu proprietário legítimo.

Com a chegada da Taproot, esse protocolo será migrado para as chamadas “Assinaturas Schnorr”, que tornarão as transações com múltiplas assinaturas ilegíveis. Na prática, isso significa uma maior privacidade para os usuários da criptomoeda porque as chaves privadas não terão mais tanta exposição na rede.

Contudo, Isso não resultará em um maior anonimato para endereços individuais no blockchain público do bitcoin, o que é uma preocupação constante dos governos na luta contra a lavagem de dinheiro usando criptomoedas. Essencialmente, as transações se tornarão mais simples e indistinguíveis daquelas que são mais complexas e compostas de várias assinaturas.

Contratos inteligentes serão mais fáceis e baratos

Além desses efeitos diretos, as novas assinaturas incrementadas também são uma virada de jogo para os contratos inteligentes, que são acordos automáticos ​​sediados no blockchain. Eles podem ser usados ​​para praticamente qualquer tipo de transação, desde o pagamento de aluguéis agendados mensalmente e até mesmo para a compra e registro de um novo veículo.

Nesse sentido, o Taproot torna esses contratos inteligentes mais baratos e simples em termos de espaço consumido no blockchain. Assim, a rede do bitcoin pode se tornar uma opção mais viável para se criar essas ferramentas que vêm ganhando cada vez mais popularidade.

Atualmente, os contratos inteligentes podem ser criados tanto na camada de protocolo central do bitcoin quanto na Lightning Network, uma plataforma de pagamentos construída no blockchain da criptomoeda que permite transações instantâneas. Contratos inteligentes executados dessa maneira geralmente oferecem transações mais rápidas e baratas.

Fred Thiel, CEO da Marathon Digital Holdings e especialista em mineração de criptomoedas, disse à CNBC que os contratos inteligentes serão o destaque dessa atualização. O recurso já é o maior fator de inovação da rede Ethereum e é um dos responsáveis pela valorização do ether (ETH). “Os contratos inteligentes oferecem essencialmente a oportunidade de se criar aplicativos e negócios no blockchain”, explicou.

Com informações: CNBC

Comentários da Comunidade

Participe da discussão
1 usuário participando