Início » Finanças » Bitcoin recebe apoio de políticos no Brasil, México e mais países latinos

Bitcoin recebe apoio de políticos no Brasil, México e mais países latinos

Após sucesso de Bukele, presidente de El Salvador, políticos na América Latina apoiam adoção do bitcoin (BTC)

Bruno Ignacio Por

O bitcoin (BTC) está cada vez mais presente nas falas de políticos latino-americanos. No começo de junho, o presidente de El Salvador Nayib Bukele anunciou que a criptomoeda se tornaria oficial em seu país. Desde então, outros países vêm flertando com a ideia de adotar a moeda digital, principalmente quando o dinheiro fiduciário está fraco e desvalorizado.

Bitcoin vem recebendo apoio de políticos na América Latina (Imagem: MichaelWuensch/ Pixabay)

Bitcoin vem recebendo apoio de políticos na América Latina (Imagem: MichaelWuensch/ Pixabay)

Bukele recebeu atenção global por conta de seu anúncio considerado pioneiro e inovador. O mercado mundial de criptomoedas celebrou a adoção do bitcoin como um primeiro passo para a implementação cotidiana da moeda digital, o que definitivamente caiu muito bem para a carreira do jovem presidente salvadorenho.

Além disso, toda a repercussão da aprovação do bitcoin no Congresso de El Salvador desviou a atenção de outros grandes problemas no país, que está no meio de delicadas negociações com o Fundo Monetário Internacional (FMI) e vem nutrindo tensas relações com os Estados Unidos. Agora, outros políticos vêm emergindo com a criptomoeda no centro de suas propostas econômicas, impulsionando a visibilidade de suas candidaturas.

Bukele rapidamente se tornou um exemplo a ser seguido na América Latina, com toda uma enorme comunidade global apoiadora de criptomoedas impulsionando jovens políticos que são a favor de moedas digitais. Tyler Winklevoss, um dos famosos “gêmeos do Facebook”, tweetou: “Primeiro eles ignoram você, então, de repente, Paraguai, Argentina, Panamá, Brasil, El Salvador e Nicarágua abraçam #Bitcoin.”

Discurso pró-bitcoin impulsiona políticos

Um deles é o brasileiro Fábio Ostermann, deputado estadual do Partido NOVO no Rio Grande do Sul. Ainda em 2018 ele declarou possuir bitcoins e se mostra um apoiador da criptomoeda desde então. Na semana passada, o político aderiu ao movimento dos “olhos laser”, no qual entusiastas do ativo digital trocam suas fotos de perfil para versões editadas com olhos brilhantes e vermelhos. “Laser eyes até os US$ 100 mil”, disse Ostermann na legenda de sua foto.

Gabriel Silva, deputado independente fora do sistema político-partidário de seu país, também tweetou seu apoio ao bitcoin e celebrou o sucesso de Bukele na aprovação de seu projeto de lei no Congresso salvadorenho. Desde sua primeira declaração pró-criptomoedas, seus seguidores no Twitter quase dobraram.

O congressista argentino Francisco Sánchez, da remota cidade patagônica de Neuquén, é mais um que entrou na onda de apoio ao bitcoin. Embora ele ainda não tenha proposto nenhuma legislação, ele mudou brevemente sua foto de perfil no Twitter para se retratar com olhos de laser, o que rapidamente se tornou seu tweet de maior sucesso até hoje, com mais de 7.000 curtidas.

No México há a deputada estadual Indira Kempis Martínez, que se manifestou em apoio à adoção federal do bitcoin. Samuel García, também membro do partido político Movimiento Ciudadano, venceu a recente eleição para governador em seu estado natal, se valendo em parte das mesmas táticas pró-criptomoedas.

Os políticos a favor da adoção nacional do bitcoin vem se tornando cada vez mais populares. Um fator comum presente em quase todos os discursos é a apresentação de uma alternativa monetária às moedas fiduciárias cada vez mais fracas e desvalorizadas. O caso de El Salvador se tornou um grande exemplo politicamente bem-sucedido desse novo discurso. Porém, só o tempo vai revelar os verdadeiros resultados econômicos de se ter o bitcoin como moeda oficial.

Com informações: Rest of World

Comentários da Comunidade

Participe da discussão
2 usuários participando