Início » Aplicativos e Software » Windows 11 ainda terá elementos de interface do Windows 3.1

Windows 11 ainda terá elementos de interface do Windows 3.1

Apesar da transformação focada no “rejuvenescimento” do sistema operacional, a Microsoft conserva alguns elementos há quase trinta anos

Ana Marques Por

Muito se fala na interface do Windows 11, que é, de fato, o principal atrativo da próxima versão do sistema. A ISO vazada revelou o novo menu Iniciar e até mesmo algumas alterações em ícones presentes desde o Windows 95. No entanto, na contramão de toda essa mudança, alguns elementos do Windows 11 permanecem inalterados – ou quase –, como as caixas de diálogo.

Caixas de diálogo no Windows 11 (Imagem: Reprodução/Microsoft)

Caixas de diálogo no Windows 11 (Imagem: Reprodução/Reddit)

Como aponta o Windows Latest, a Microsoft fez alguns ajustes sutis nas caixas de diálogo do Windows 11, incluindo as bordas levemente arredondadas e sombreados, para corresponder de forma consistente às demais partes da interface. No entanto, elas continuam sendo essencialmente as mesmas desde o Windows 3.1.

Windows 10 vs Windows 11 (Imagem: Reprodução/Microsoft)

Windows 10 vs Windows 11 (Imagem: Reprodução/Microsoft)

Outros programas legados, incluindo o Gerenciador de dispositivos do Windows, também foram adaptados para uma melhor integração visual.

Gerenciador de dispositivos no Windows 11 (Imagem: Reprodução/Microsoft)

Gerenciador de dispositivos no Windows 11 (Imagem: Reprodução/Windows Latest)

Na prática, isso quer dizer que apesar de tudo o que há de novo no Windows 11, a Microsoft não está reescrevendo (ou redesenhando) o sistema do zero, contrariando as expectativas de algumas pessoas que ficaram animadas após a promessa da “atualização mais significativa do Windows na última década”.

Windows 11 pode trazer melhorias em desempenho

Contrariando o que muita gente pensa, talvez o Windows 11 não seja apenas um rostinho bonito, no fim das contas. Um usuário que experimentou a build vazada (que ainda não é a versão final do sistema), afirma que a nova plataforma traz algumas grandes melhorias de desempenho em relação ao Windows 10.

De acordo com o YouTuber Ben Anonymous, o Windows 11 tem tempo de inicialização de 13 segundos, em vez de 16. Ele também conduziu alguns testes de performance, incluindo um no Geekbench, no qual o single-core aumentou de 1.138 para 1.251, e no multi-core foi de 6.284 a 7.444.

Você pode conferir mais detalhes no vídeo:

Com informações: Windows Latest e XDA Developers.

Comentários da Comunidade

Participe da discussão
19 usuários participando

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

Tio Arlequim (@Felipepperoni)

Ahhhh o legado…

João Almeida (@Joao_Almeida)

O W11 é só um W10 com border radius gente kkk, menu iniciar diferentao e a taskbar com um height maior

Rafael Machado de Souza (@rafael.mds)

Que bagunça!!! Isso ai deve ser um inferno de código legado. O negócio deve ter uma porrada de gambiarra pra manter-se em funcionamento.

Tori Niwikari (@Tori)

Por mais que eu queira um Windows sem elementos lá do Windows 3.1, infelizmente é culpa do “Personal Computer” e os desenvolvedores/empresas.
Microsoft não tem barra o suficiente para simplesmente largar os aplicativos legado, isso iria fazer uma tempestade gigante na comunidade de tecnologia e empresas iriam se recusar a usar a ultima versão do sistema.

Isso poderia ser contornado atualizando esses aplicativos legado? sim.
Vai valer a pena investir dinheiro, tempo e pessoal para atualizar um aplicativo que somente bancos ou empresas que não saem do Windows 3.1/COBOL usam? não.

Se bobear, isso tá até hoje no sistema pois o Pentágono usa.

Severino Cavalcante (@sev.cavalcante)

Mas o que a interface tem a ver com o núcleo do sistema? Conheço bem pouco de Windows, mas nos sistemas Linux e no macOS a interface está sobre todo o resto.

Mas mesmo que não seja possível desassociar a interface de certas partes do sistema, qual é a dificuldade de se criar um modo de retrocompatibilidade com software legado baseado em virtualização? Acho que temos hoje poder computacional de sobra para virtualizar aplicações COBOL da década de 1980. Ou, sei lá, lançar um Windows Legacy Edition (bem a cara da MS). Vai carregar código legado até quando?

A MS iniciou diversas empreitadas de renovação visual e nunca as terminou. O problema nem é ter elementos do Windows 3.1, mas de ter elementos de todas as diretrizes de design já lançadas, basta olhar o print que o bkdwt postou acima. O Windows é de longe o OS com mais inconsistências visuais atualmente.

Daniel R. Pinheiro (@DiFF7Skyns)

Na minha humilde opinião, o que eu penso que a MS deveria fazer é o seguinte: lançar um sistema completamente novo, com consistência visual até às camadas mais profundas.

E pra essa meia dúzia de gatos pingados (empresas da época da Kodak e Nokia), apenas atualizar o sistema com patchs de segurança.

Quer o sistema novo? Vai mudar tudo significativamente. Não quer? Pega aqui uma att de segurança, mas vai ficar sem os recursos novos. Po a MS tá ligadona com o Linux (e ainda tem o Windows Server/Enterprise). Não consigo entender pq o Windows Home e Pro ainda tem essas inconsistências.

Maaas, é a opinião de um consumidor. Não sei como isso impactaria na empresa como um todo.

Rafael Machado de Souza (@rafael.mds)

Gera cliques… ninguem aguenta mais aquela porcaria de NFT, mas o Tecnoblog insiste por que gera audiência.

Rafael Machado de Souza (@rafael.mds)

Isso que me impressiona no uso do linux. O negócio têm seus problemas, é claro, mas a interface é só uma casca que pode ser facilmente trocada. Eu uso faz mais de 10 anos e abandonei o Windows faz 8… até no notebook da minha esposa eu instalei o KDE neon e ela usa sem problemas. O negócio é muito rápido e deixa muito mais RAM pra usar em outros softwares.
Um negócio que é feito em grande parte por trabalho voluntário!
Por isso a gente têm a impressão que o Windows sempre foi algo feito na base da adaptação.

josias rodrigues (@thejorsias)

Sem contar na interface dos programas que quase nunca seguem as guidelines de design do sistema. Na verdade eu nem sei se a Microsoft tem algo do tipo

J. Alves (@alves)

Eu olhei cada item da imagem achando que foi uma montagem feita com vários sistemas diferentes, até que percebi ser uma tela do Windows 11. Fui surpreendido (ou não) kkkkkkk

J. Alves (@alves)

Mas tem que reclamar é do que temos acesso mesmo, é algo natural. Pra MS é até bom, já que vão ter um feedback antecipado e avaliar o que vale a pena atender.

@bkdwt

Uma coisa que um cara comentou lá no Adrenaline e até concordei com ele, é fazer como a Apple fez com relação aos aplicativos de x86 pra rodar no M1:

Exatamente! Chega de ficar entupindo o kernel pra dar compatibilidade com programas lá da época do Windows 95. Coloca logo uma emulação estilo Rosetta da Apple caso vc tenha algum software legado e mete uma limpa nesse kernel ao msm estilo que foi no XP e 7. Tá na hr da MS começar a colocar as bolas na mesa e encarar de frente esses caras que são “saudosistas de software” e parar de dar suporte nativo e sim via emulação. O sistema seria mto mais leve do que é hj em dia e eliminaria mtos problemas decorrentes desses códigos legados.

Nisso eu bato palma pra Apple, ou aceitem as mudanças ou partem pra outra, pois o sistema precisa seguir a evolução natural da tecnologia.

Jonas (@jonas)

As interfaces são diferentes até mesmo entre os novos programas. Cada um parece seguir suas próprias diretrizes.

Exibir mais comentários