Início » Legislação » Google tem vantagem indevida em anúncios online? A União Europeia quer saber

Google tem vantagem indevida em anúncios online? A União Europeia quer saber

A comissão antitruste da União Europeia começou a investigação em 2019; ela quer saber se o Google obtém vantagem indevida a partir do Ad Manager, AdX e YouTube

Pedro Knoth Por

Em mais uma disputa entre empresas de tecnologia por possíveis práticas anticompetitivas, a Comissão Europeia, braço da UE que analisa riscos de mercado, abriu uma nova investigação sobre a política de anúncios online do Google. Comissários querem determinar se a empresa adquiriu vantagem imprópria por meio de seu ecossistema de propaganda digital, enquanto restringe o acesso a informação por concorrentes.

Bandeiras da UE, que abriu mais uma investigação contra o Google (Imagem: TeaMeister/ Flickr)

Bandeiras da UE, que abriu mais uma investigação contra o Google (Imagem: TeaMeister/ Flickr)

Mercado de anúncios online ultrapassou R$ 120 bi na UE

Parte da investigação da Comissão Europeia aprofunda estudos sobre as plataformas de marketplace de anúncios do Google: o Ad Manager e o AdX. Ela também vai apurar o uso da ferramenta aplicada ao YouTube, bem como se a companhia impõe acesso limitado a informações a suas rivais no mercado.

Em 2019, o gasto com anúncios digitais ultrapassou a marca de R$ 120 bilhões na União Europeia, segundo números da comissão antitruste do bloco. A vice-presidente da UE e chefe da investigação, Margrethe Vestager, disse em comunicado à imprensa:

“Serviços de anúncios online são um pilar de como o Google e outros anunciantes monetizam produtos digitais. A empresa coleta dados para serem usados por propaganda direcionada, vende espaços e também atua como um intermediário entre anunciantes e domínios. Então o Google está em todos os níveis da cadeia deste setor. Estamos investigando se a companhia dificultou a competição no mercado de tech stack.”

Por enquanto, Vestager não confirmou uma data para a conclusão do inquérito da Comissão Europeia, que levou 2 anos para anunciar a abertura da investigação – ela começou em 2019, quando a UE disse que abriria uma consulta com especialistas e empresas sobre tecnologia em publicidade online.

Margrethe Vestager, vice-presidente da UE e chefe da investigação (Imagem: Friends of Europe/ Flickr)

Margrethe Vestager, vice-presidente da UE e chefe da investigação (Imagem: Friends of Europe/ Flickr)

Google já foi multado 3 vezes pela Comissão Europeia

Segundo a comissão, a demora se deve à complexidade do caso, à cooperação – ou à falta dela – de empresas envolvidas e ao direito de defesa que estas podem exercer mediante ao inquérito. Caso seja condenado, o Google deverá pagar multas a comissão antitruste. Não seria a primeira vez: a UE já multou a a companhia por práticas abusivas em 3 ocasiões diferentes desde 2015.

Dentro da União Europeia, países individuais travam suas próprias disputas jurídicas com o Google. A vitória recente da França sobre a empresa, que concordou pagar multa de mais de R$ 1 bilhão de reais, abre um precedente jurídico a outros membros do bloco. Como parte do acordo firmado com o governo francês, o Google disse que ia reestruturar o Google Ad Manager e o AdX – alvos do processo antitruste.

Em nota ao Engadget, um porta-voz disse que a empresa ia cooperar com a Comissão Europeia para ilustrar as vantagens de suas ferramentas de propaganda online:

“Milhares de negócios usam nossos produtos de anúncios online todos os dias para alcançar novos clientes e gerar receita a seus sites […] Eles escolheram esses serviços porque são competitivos e dão resultados. Vamos continuar a colaborar com a Comissão Europeia para responder as perguntas dela e demonstrar os benefícios de nossos produtos”

Com informações: Engadget.

Comentários da Comunidade

Participe da discussão
1 usuário participando