Início » Negócios » Mercado Bitcoin é 1º unicórnio cripto na América Latina após captar US$ 200 milhões

Mercado Bitcoin é 1º unicórnio cripto na América Latina após captar US$ 200 milhões

Grupo 2TM, que controla a corretora de criptomoedas Mercado Bitcoin, passa a valer US$ 2,1 bilhões e se torna 1º unicórnio do setor na América Latina

Bruno Ignacio Por

O Mercado Bitcoin, exchange brasileira que se tornou a maior plataforma latina de negociação de ativos digitais, revelou que recebeu um investimento de US$ 200 milhões do grupo japonês SoftBank Latin American Fund. Trata-se do maior aporte em uma empresa cripto já realizado pelo conglomerado. Agora, o Grupo 2TM, que controla a corretora, é avaliado em US$ 2,1 bilhões, se tornando o primeiro unicórnio do setor de criptomoedas de toda a América Latina.

Corretora de criptomoedas Mercado Bitcoin se torna primeiro unicórnio do setor na América Latina (Imagem: Reprodução)

Corretora de criptomoedas Mercado Bitcoin se torna primeiro unicórnio do setor na América Latina (Imagem: Reprodução)

A holding brasileira passou a ocupar também a oitava posição em valor de mercado entre as 20 startups unicórnios da região, que inclui grandes nomes como Nubank, Stone, Rappi, Creditas, 99 e iFood. Em comunicado à imprensa, o grupo revelou que o novo aporte será direcionado para a ampliação de sua infraestrutura, a fim de atender a crescente demanda por criptoativos na região.

Somente nos primeiros cinco meses de 2021, o Mercado Bitcoin viu o volume negociado em moedas digitais aumentar para cerca de US$ 5 bilhões, valor que ultrapassa os dados combinados dos últimos sete anos. Além disso, a exchange de criptomoeda brasileira viu sua base de clientes atingir seu recorde de 2,8 milhões, o que equivale a cerca de 70% de todos os investidores do varejo presentes na bolsa de valores brasileira B3. Somente em 2021, 700 mil novos usuários aderiram à plataforma de negociação de criptoativos.

Investimento será direcionado para infraestrutura

“Milhões de pessoas em todo o mundo perceberam que ativos digitais e criptomoedas são tecnologias inovadoras e eficientes reservas de valor. O Brasil não é uma exceção”, afirmou Roberto Dagnoni, CEO do Grupo 2TM, no comunicado.

Ele adicionou que a nova rodada de investimentos é fundamental para a ampliação da capacidade da holding de não apenas atender a demanda por negociação de ativos digitais, mas também a do mercado financeiro por soluções baseadas na tecnologia blockchain. “Ter o Softbank Latin American Fund conosco será fundamental para concretizar essa ambição, especialmente por conta da combinação incomparável de expertise financeira, profunda experiência no setor e ampla presença regional”, concluiu.

Gustavo Chamati, co-fundador do Mercado Bitcoin e membro do conselho do Grupo 2TM, afirmou que tanto a exchange quanto as outras empresas da holding demonstraram grande capacidade de inovação. “Nós desenvolvemos uma infraestrutura de mercado absolutamente escalável e nos tornamos a empresa mais relevante do setor. Essa posição privilegiada nos permitiu capturar e aproveitar o interesse em cripto que estamos vendo no Brasil e na América Latina”, disse o executivo.

O CEO do SoftBank Group International e COO do SoftBank Group, Marcelo Claure, também comentou o aporte milionário: “Graças à liderança do Roberto e do Gustavo, o Mercado Bitcoin se tornou um líder global em criptomoedas. Nós ficamos impressionados pela compreensão que o Grupo 2TM tem do ecossistema brasileiro e da contribuição para a discussão em curso, sobre o ambiente regulatório no Brasil. Esses elementos colocaram a empresa não só como líder no país, mas como um player fundamental para atender essa revolução do Blockchain em toda a América Latina”.

Comentários da Comunidade

Participe da discussão
3 usuários participando