Início » Finanças » YouTuber que criou criptomoeda é acusado de faturar US$ 2 milhões em golpe

YouTuber que criou criptomoeda é acusado de faturar US$ 2 milhões em golpe

YouTuber Patrick Shyu, do canal TechLead, criou criptomoeda Million Token (MM) e agora é acusado de arquitetar golpe "pump and dump"

Por

O YouTuber e ex-funcionário do setor de tecnologia do Google Patrick Shyu, também conhecido como TechLead em seu canal, lançou uma criptomoeda chamada Million Token (MM) na exchange descentralizada Uniswap na última quinta-feira (01). Porém, após uma enorme valorização de mais de 3.000%, seu preço vem desabando. Agora, o YouTuber de mais de 1 milhão de inscritos enfrenta acusações de ter arquitetado um esquema “pump and dump”.

Patrick Shyu, do canal TechLeads, criou criptomoeda e agora é acusado de organizar golpe (Imagem: Reprodução/YouTube)

Patrick Shyu, do canal TechLeads, criou criptomoeda e agora é acusado de organizar golpe (Imagem: Reprodução/YouTube)

Tradicionalmente, criadores de criptomoedas realizam uma intensa divulgação do ativo recém-criado para elevar rapidamente seu preço enquanto eles mesmos mantém a maior parte das moedas, para então vendê-las de uma vez. Assim, os desenvolvedores e quem divulgou o esquema (geralmente influenciadores) lucram enquanto todos os outros que compraram a criptomoeda saem no prejuízo.

No caso de Shyu, ele mesmo criou um ativo digital e o divulgou para a sua enorme base de inscritos no YouTube. Após o lançamento do Million Token pelo preço base de US$ 1,00, seu valor disparou para US$ 36 no domingo, mas despencou para o mínimo de US$ 12,8 nesta terça-feira (06), de acordo com dados do CoinGecko.

Criptomoeda é apoiada por US$ 1 milhão em stablecoin

Em um vídeo postado em seu canal no YouTube, Shyu descreve o Million Token literalmente como “uma oportunidade milionária”. Junto ao descritivo do site oficial do projeto, ele explica que colocou US$ 1 milhão em USDC, uma stablecoin lastreada no dólar americano, para apoiar o preço de sua oferta inicial de 1 milhão de MM.

Enquanto cada unidade da criptomoeda vale pelo menos US$ 1, seu preço máximo não tem limite. Com um número de unidades pré-determinado, o Million Token possui uma oferta restrita, o que naturalmente facilita sua valorização.

Porém, a queda imediata no preço da criptomoeda após sua valorização de mais de 3.000% alertou muitas pessoas. O usuário do Twitter DCF GOD criou uma thread para chamar a atenção para um possível golpe de pump and dump organizado por Shyu.

Acontece que a exchange descentralizada Uniswap essencialmente troca criptomoedas por outras criptomoedas, ao invés de operar como uma corretora convencional que troca moedas digitais por dinheiro fiduciário.

Assim, DCF GOD destacou em suas postagens que a carteira de Shyu possuía exatamente 1 milhão de USDC para 1 milhão de MM, conforme sua promessa de manter o equivalente a US$ 1 milhão em stablecoin para apoiar o preço de seu token. Porém, seu endereço agora possui cerca de 3 milhões em USDC e 113 mil MM. “Ele vendeu Million Token e lucrou US$ 2 milhões”, acusa o usuário do Twitter.

Token seria “experimento social”, não investimento

Shyu publicou recentemente um vídeo no YouTube abordando as acusações, negando que tenha prejudicado os investidores ao remover a liquidez do MM no Uniswap. No entanto, o YouTuber também enfatizou que seu token “não deve ser considerado um investimento”, descrevendo o projeto como um forma de experimento social.

“O Million Token não deve ser considerado um investimento de forma alguma. Este é um experimento social e pura especulação. É uma espécie de jogo para nós vermos o que acontece com isso, parecido com o dogecoin”, disse Shyu.

Com informações: Cointelegraph