Início » Celular » Google pode atualizar Android do Pixel 6 e 6 Pro por até 5 anos

Google pode atualizar Android do Pixel 6 e 6 Pro por até 5 anos

Possível ficha técnica de Google Pixel 6 e Pixel 6 Pro vem a público; celulares devem contar com processador criado pelo Google

Bruno Gall De Blasi Por

O Google deve dar um bom tempo de suporte ao Google Pixel 6 e 6 Pro. Segundo Jon Prosser, do Front Page Tech, nesta quinta-feira (8), a companhia deve liberar novas versões do Android aos celulares por até cinco anos. Espera-se que o smartphones sejam anunciados com visual renovado, processador criado pelo Google e mais.

Suposto Google Pixel 6 (Imagem: Reprodução/OnLeaks/91mobiles)

Suposto Google Pixel 6 (Imagem: Reprodução/OnLeaks/91mobiles)

O rumor torna a disputa entre as fabricantes de celulares ainda mais acirrada quando o assunto é atualização. Caso as informações sejam confirmadas no futuro, o Google poderá oferecer até cinco anos de atualizações de software aos novos smartphones. Prosser, no entanto, não falou sobre as gerações anteriores da linha Pixel.

A política de atualização concederia um longo tempo de vida útil à próxima geração. Além disso, os novos telefones receberiam atualizações por um período similar aos produtos da Apple. É o caso do iPhone 6S: o celular foi lançado em setembro de 2015, há quase seis anos, e é compatível com o iOS 15.

A Samsung é outra empresa que tem chamado a atenção neste quesito. Em agosto de 2020, a fabricante prometeu três anos de atualização do Android aos celulares das linhas Galaxy S e Note, dobráveis e alguns da família Galaxy A. A marca sul-coreana também vem se destacando em relação à liberação das correções de segurança.

Supostos Google Pixel 6 (esquerda) e Pixel 6 Pro (direita) (Imagem: Reprodução/Front Page Tech)

Supostos Google Pixel 6 (esquerda) e Pixel 6 Pro (direita) (Imagem: Reprodução/Front Page Tech)

Google Pixel 6 deve trazer processador próprio do Google

Jon Prosser ainda antecipou detalhes da ficha técnica do Google Pixel 6 na mesma publicação. Em comum, os dois smartphones devem trazer um processador desenvolvido pelo próprio Google, atualmente conhecido como Whitechapel. As especificações do chip, no entanto, ainda não foram reveladas.

O Google Pixel 6 também é citado como “Oriel”. Mas, como observado pelo 9to5Google, o codinome é um pouco diferente da identificação encontrada anteriormente pelo site especializado: “Oriole”. O segundo nome interno, vale lembrar, já apareceu tanto no código-fonte do Android 12 quanto em um documento vazado no ano passado.

Espera-se que a tela do celular tenha 6,4 polegadas. Já a câmera dupla pode ser formada por dois sensores de 50 megapixels (principal) e de 12 MP (ultrawide). A câmera frontal, que deve aparecer em um furo no display, deve ser de 8 MP.

O smartphone tende a contar com memória RAM de 8 GB e opções com armazenamento de 128 GB e 256 GB. A bateria seria de 4.614 mAh.

Já o Google Pixel 6 Pro é reconhecido pelo codinome “Raven”. O display de 6,71 polegadas também deve ser recortado por um furo para abrigar a câmera frontal de 12 MP. Na parte de trás, o conjunto fotográfico deve trazer um sensor de 50 MP (principal), 48 MP (teleobjetiva) e outro de 12 MP (ultrawide).

A ficha técnica vazada ainda aponta para a memória RAM de 12 GB e o armazenamento de até 512 GB. Já a bateria pode ter 5.000 mAh, a mesma capacidade do Samsung Galaxy S21 Ultra. Os dois celulares devem sair da caixa com Android 12 de fábrica.

Segundo Prosser, o Google Pixel 6 tende a ser anunciado em outubro.

Suposto Google Pixel 6 Pro (Imagem: Reprodução/OnLeaks/Digit)

Suposto Google Pixel 6 Pro (Imagem: Reprodução/OnLeaks/Digit)

Google Pixel 5a deve ser anunciado em agosto

Ainda nesta semana, o Google Pixel 5a deu as caras na lista de dispositivos da Comissão Federal de Comunicações (FCC, em inglês), órgão equivalente à Anatel nos Estados Unidos. Os celulares são identificados pelos modelos G1F8F, G4S1M e GR0M2. Espera-se que o smartphone seja apresentado oficialmente em agosto.

Com informações: 9to5Google, Android Authority, Android Police, Front Page Tech e Gizmochina

Comentários da Comunidade

Participe da discussão
4 usuários participando

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

Juliano Machado Olivetti (@Juliano_Machado_Oliv)

Sempre um dos calcanhares de aquiles para atualização mais extensa no mundo Android vem justamente da Qualcomm, que nunca se comprometeu por muito tempo em fornecer os divers atualizados aos SOCs mais antigos. Justamente pelo Google agora partir para um projeto encomendado, pode se dedicar a estender os 03 anos, que realmente não é muita coisa. Eu comecei a usar meu atual aparelho em abril de 2020 (Pixel 3XL, laçado em outubro de 2018), e está em perfeitas condições, com ótimo desempenho, e mesmo assim o Android 12 vai ser sua última versão disponibilizada.

Igor Nagase (@nagasedesu1)

Então a Samsung poderia oferecer mais att com o Exynos, não?

Rafael Moreira (@Rafael_Moreira)

E eu que estou com Pixel 2 XL e irei me contatar com o 11 no momento. Aparelho está ótimo com excelente autonomia de bateria. Não sei se arrisco instalar custom ROM Android 12. Na época do Nexus 6P fui inventar de instalar danificou o rádio e não aceitou mais chip de operadora. Melhor deixar o sistema stock.

Juliano Machado Olivetti (@Juliano_Machado_Oliv)

Eu fiquei pelo menos uns 2 anos com o 2 XL, e até hoje está com meu primo, um ótimo aparelho! Se fosse você ficava no 11 mesmo, ainda roda todos apps e dá pra levar ainda mais um tempo com segurança.