Início » Jogos » Switch OLED corrige drift do Joy-Con? Nintendo se recusa a dizer

Switch OLED corrige drift do Joy-Con? Nintendo se recusa a dizer

Modelo OLED do Nintendo Switch usa os mesmos Joy-Cons sujeitos a drift da versão tradicional do console, lançada em 2017

Murilo Tunholi Por

Com o anúncio do novo Nintendo Switch (modelo OLED), usuários ficaram sem saber se o problema de drift nos analógicos dos Joy-Cons havia sido corrigido. Na apresentação do console, a Big N não comentou sobre uma possível atualização nos controles, mesmo sendo um problema recorrente desde que o console foi lançado, em 2017. Ao ser questionada sobre o drift, a empresa se recusou a dar uma resposta clara.

Nintendo Switch OLED Model chega ainda este ano com melhorias (Imagem: Divulgação/Nintendo)

Nintendo Switch OLED Model (Imagem: Divulgação/Nintendo)

Os casos de Joy-Cons com drift acontecem há mais de quatro anos, e a Nintendo responde a diversos processos judiciais por distribuir produtos defeituosos com o Switch. Uma das soluções da empresa foi oferecer o reparo gratuito dos controles por meio de assistências técnicas autorizadas, porém o ideal seria ter um console sem vícios de fábrica.

O modelo OLED do Switch poderia resolver o defeito dos Joy-Cons por ser uma edição revisada, mas a empresa preferiu ignorar a falha. O The Verge chegou a perguntar diretamente à Nintendo se o drift seria corrigido no novo console, mas a Big N respondeu que “a configuração e a funcionalidade do controle Joy-Con não mudou no Nintendo Switch (modelo OLED)”.

No site oficial europeu da desenvolvedora, inclusive, a Nintendo informa que “os controles Joy-Con inclusos no Nintendo Switch (modelo OLED) são iguais aos controles disponíveis atualmente”. No comunicado enviado ao The Verge, a empresa ainda reconheceu que os controles podem sofrer drift com o tempo, mas só recomendou aos usuários procurarem uma assistência em casos de defeito.

Vale a pena comprar um Nintendo Switch OLED?

Em resumo, as únicas novidades do Nintendo Switch (modelo OLED) são a nova tela um pouco maior com painel OLED, a dock revisada com entrada dedicada para cabo de rede (Ethernet), alto-falantes melhorados, aumento no armazenamento interno para 64 GB e o preço de US$ 350 — US$ 50 mais caro que a versão anterior. Assim como os Joy-Cons, o console mantém bateria e processador gráfico idênticos ao videogame tradicional.

Vale a pena comprar um modelo com tela OLED? Caso você não tenha um Nintendo Switch em casa e consiga esperar até o lançamento no Brasil em 2022, pode ser interessante guardar o dinheiro. Se já for dono de um Switch tradicional, é melhor aguardar uma edição com chip gráfico mais potente, pois o modelo OLED não melhora o desempenho de jogos.

Com informações: The Verge.

Comentários da Comunidade

Participe da discussão
10 usuários participando

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

Gigo CAP (@GigoCAP)

As vezes eu acho que pra companhia, é bem mais barato reparar/dar um controle remanufaturado pro cliente, do que mudar o projeto/fornecedor pra consertar esses vícios.

Aí fica nessa, se der problema deu. Se não deu, não deu.

Eduardo Alvim (@Eduardo_Alvim)

Mandei recentemente o Switch do meu filho para a garantia aqui no Brasil, mesmo tendo sido comprado no Paraguay em 2019 (com nota fiscal do shopping paraguaio). Os problemas foram dois: o drift no joy-con e uma pane mortal que não deixava o aparelho ligar (Error 2101-0001). Quanto ao drift, não teve conversa, trocaram os joy-con sem questionar, mesmo o console tendo sido comprado há mais de 2 anos. Com relação ao erro 2101-0001, não teve jeito, o tablet precisou ser substituído. Me cobraram R$953,00 por um novo. Cheguei a pesquisar sobre como arrumar esse problema, encontrei videos de um maluco no UK que presta esse serviço, o processo seria extremamente complicado, necessitando diversos equipamentos (tem video de 30 min dele arrumando um exemplar)… E ainda cobrava 200 libras para fazer o conserto, então paguei os R$953,00 para a “Nintendo” feliz. Um mês depois, o novo tablet começou a apresentar uma, digamos, resistência no botão power para ser ligado. Não pensei 2x e acionei a garantia de 90 dias do conserto, mandaram um outro tablet novo sem pestanejar. Então, moral da história, a garantia aqui no Brasil até que funciona direitinho e os novos joy-con, até o momento, estão funcionando a contento.