Início » Finanças » Homem que trocava informações confidenciais por bitcoin é indiciado nos EUA

Homem que trocava informações confidenciais por bitcoin é indiciado nos EUA

Cidadão grego Apostolos Trovias é indiciado nos EUA por vender informações confidenciais através de bitcoin (BTC) na dark web

Por

Nesta última sexta-feira (09), a comissão de valores mobiliários (SEC) e o Departamento de Justiça dos Estados Unidos indiciaram o cidadão grego Apostolos Trovias, também conhecido como “The Bull”, por comprar e vender informações confidenciais através do AlphaBay e outros endereços da dark web em 2017, usando principalmente bitcoin (BTC) para realizar as transações.

Apostolos Trovias vendia informações confidenciais na dark web através de bitcoin (Imagem: B_A/Pixabay)

Apostolos Trovias vendia informações confidenciais na dark web através de bitcoin (Imagem: B_A/Pixabay)

Enquanto a maioria dos criminosos que usavam essas plataformas ilegais traficavam drogas, Trovias oferecia algo único: informações privilegiadas e confidenciais, principalmente sobre o mercado de ações. Ele usava esses sites da dark web para buscar e então vendê-las, usando bitcoin para pagamentos a fim de dificultar a identificações dos remetentes e destinatário. Ele também usava diversos softwares de anonimato e usuários falsos para cobrir seus rastros.

Réu vendia dicas privilegiadas do mercado de ações

O plano de Trovias era elaborado, mas agentes da receita federal (IRS) e do FBI conseguiram se passar por clientes, obtendo as provas necessárias para a acusação. Eles negociaram informações privilegiadas de relatórios de lucros trimestrais das empresas Illumina e Analogic.

De acordo com os documentos da denúncia, Trovias se registrou no site da dark web AlphaBay no final de 2016 e colocou a venda informações de documentos confidenciais como dicas de investimentos no mercado de ações durante um período que pode ter se estendido por até 7 meses, até a plataforma ser fechada.

Ele oferecia as dicas privilegiadas individualmente, por US$ 29,95, ou como um serviço mensal através de uma assinatura de US$ 329,95. Os documentos judiciais afirmam que ele concluiu dezenas de vendas únicas e possuía pelo menos três planos semanais e mensais até o fechamento da AlphaBay. Ele teria realizado com sucesso ao menos 45 transações através da plataforma.

A acusação também afirma que o réu lucrou cerca de US$ 5 mil em bitcoin com a venda de informações privilegiadas de uma única empresa de capital aberto em 2017. As investigações identificaram Trovias em 2020, tentando construir seu próprio marketplace na dark web, já que todos os sites que ele usava foram fechados.

O grego é acusado de fraude de valores mobiliários e lavagem de dinheiro, com penas máximas de 25 e 20 anos, respectivamente. Documentos de maio indicam que os EUA pediram a extradição de Trovias do Peru, onde foi preso.

Com informações: The Verge